Cardeal retira licença de teólogo gay oposto à doutrina católica

Da ACI Digital

O Arcebispo de Colônia (Alemanha), Cardeal Joachim Meisner, decidiu retirar a licença de ensino do teólogo gay David Berger, quem pública e reiteradamente expressou sua oposição à doutrina católica sobre a homossexualidade. Em um recente comunicado publicado pela Arquidiocese sobre o caso, destaca-se que o Cardeal decidiu retirar a Berger a “missio canonica”, quer dizer, a licença para ensinar religião católica em escolas. O texto indica ademais que o Cardeal se “viu obrigado a dar este passo porque o Dr. Berger, através de suas publicações e pronunciamentos em meios de comunicação estabelece que não está de acordo com a doutrina e as normas morais e jurídicas da Igreja”.

Com esta atitude, Berger de 43 anos de idade, “destruiu a essencial confiança para a missão de evangelizar e por isso o Bispo considera que não pode ser digno de crédito quanto à instrução religiosa da Igreja Católica. Por isso, o retiro da licença para ensinar a doutrina da Igreja é inevitável”. O Arcebispo tomou esta decisão apoiado no Código de Direito Canônico e nas demais normas complementares da Igreja.

Sobre David Berger, o jornal francês La Croix recorda que no ano 2010 foi separado pela Academia Pontifícia de Santo Tomás de Aquino devido a um artigo que publicou no jornal alemão Frankfurter Rundschau, no qual “deplorava uma atitude ‘limitada’ da Igreja para com os homossexuais”. Além disso, Berger escreveu o livro titulado Der heilige Schein (A Santa Aparição) “no que critica abertamente a doutrina da Igreja”.

O ensinamento católico em relação à homossexualidade está resumida em três artigos do Catecismo da Igreja Católica; 2357, 2358 e 2359. Nestes artigos a Igreja ensina que:

Os homossexuais “devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á, em relação a eles, qualquer sinal de discriminação injusta”. 

A homossexualidade, como tendência é “objetivamente desordenada”, que “constitui para a maioria deles (os homossexuais) uma autêntica prova”.

Apoiado na Sagrada Escritura “a Tradição declarou sempre que “os atos homossexuais são intrinsecamente desordenados”, “não procedem de uma verdadeira complementaridade afetiva e sexual” e portanto “não podem receber aprovação em nenhum caso”.

“As pessoas homossexuais estão chamadas à castidade” e “mediante o apoio de uma amizade desinteressada, da oração e a graça sacramental, podem e devem aproximar-se gradual e resolutamente à perfeição cristã”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s