Estudo sobre Jesus Cristo, homem ou Deus? Podcast

Vamos continuar falando sobre a encarnação de Jesus, e dessa vez vamos conversar sobre uma polêmica que a muito tempo rondou a Igreja: Jesus quando se encarnou, Ele era 100% Deus, ou 100% homem? Tinha corpo como nós? Não seria Jesus uma mescla de Deus e homem? Tinha dois espíritos?

Gostaria que você prestasse toda a atenção a esse podcast para que você entendesse bem esse estudo.

Dominus Vobiscum

Obs.: Vale a pena salientar que este podcast ainda era do tempo em que eu fazia parte da Comunidade Canção Nova. Alguns endereços, dados, datas e locais já não são mais válidos, porém o conteúdo do ensino é super atual!

Ouça este podcast aqui, acessando o player abaixo

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

Evangelho do Dia: O cobrador de impostos foi libertado para o Reino de Deus

Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: Segue-me! E ele levantou se e seguiu-o. Encontrando-se Jesus à mesa em sua casa, numerosos cobradores de impostos e outros pecadores vieram e sentaram-se com Ele e seus discípulos. Os fariseus, vendo isto, diziam aos discípulos: Por que é que o vosso Mestre come com os cobradores de impostos e os pecadores? Jesus ouviu-os e respondeu-lhes: Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Ide aprender o que significa: Prefiro a misericórdia ao sacrifício. Porque Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.(S. Mateus 9,9-13)

Comentário do Evangelho do dia feito por Rupert de Deutz (c. 1075-1130), monge beneditino

Mateus, o publicano, recebeu por alimento o pão da vida e da inteligência (Sir 15, 3); e dessa mesma inteligência, fez em sua casa um grande banquete para o Senhor Jesus, pois tinha recebido uma graça abundante, em conformidade com o seu nome [que quer dizer “dom do Senhor”]. Um presságio desse banquete de graças havia sido preparado por Deus: tendo sido chamado enquanto estava no seu posto de cobrança, seguiu a Cristo e ofereceu-Lhe, em sua casa, um grande banquete (Lc 5, 29). Ofereceu-Lhe portanto um banquete, dos grandes – um banquete real, diríamos. Mateus é de fato o evangelista que nos mostra Cristo Rei através da Sua família e dos Seus atos. Logo no início da obra, declara que se trata do livro da Genealogia de Jesus Cristo, filho de David (Mt 1, 1). Em seguida, comenta como o recém-nascido é adorado pelos magos como rei dos judeus; depois, tecendo o resto da narração com régios feitos e parábolas do reino, termina por fim com as próprias palavras de um Rei que já está coroado pela glória da ressurreição: “Foi-Me dado todo o poder no Céu e na Terra” (28, 18). Se examinarmos bem o conjunto da sua redação, reconheceremos portanto que toda ela respira os mistérios do Reino de Deus. Nada de espantoso há nisto; Mateus tinha sido publicano, lembrava-se de ter sido chamado do serviço público do reino de pecado para a liberdade do Reino de Deus, do Reino de justiça. Como homem verdadeiramente grato para com o grande Rei que o tinha libertado, serviu portanto com fidelidade as leis do Seu Reino.

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

Oração: Pequeno exorcismo ensinado por Santo Antônio

A tradição popular diz que Santo Antônio deu uma oração a uma pobre mulher que procurava ajuda contra as tentações do demônio. Sisto V, Papa franciscano, mandou esculpir a oração – chamada também de “lema de Santo Antônio” – na base do obelisco que mandou erigir na Praça de S. Pedro, em Roma. Eis o original, em latim:

Ecce Crucem Domini! – Eis a cruz do Senhor!
Fugite partes adversae! – 
Fugi forças inimigas!
Vicit Leo de tribu Juda, – 
Venceu o Leão de Judá,
Radix David! Alleluia! – 
A raiz de David! Aleluia !

Esta breve oração tem todo o sabor de um pequeno exorcismo. Também nós podemos usá-la – em latim ou português – para nos ajudar a superar as tentações que se nos apresentam.

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Estudo sobre Jesus Cristo: Você acredita que Jesus Filho de Deus se fez homem?

O Catecismo da Igreja Católica é claro e direto:

A fé na Encarnação verdadeira do Filho de Deus é o sinal distintivo da fé cristã (CIC§463)

O que isso quer dizer? Quer dizer que para uma pessoa dizer que é cristã, ela precisa acreditar verdadeiramente na Encarnação do Verbo. Não é católico aquele que não crê que o verbo se fez carne. E é importante sabermos que nossa fé exige determinadas atitudes e determinados posicionamentos. Embora hoje vejamos pessoas que discordem do que a Igreja ensina e professa, e ainda assim se digam católicas, precisamos dizer com certeza: Só é católico aquele que Crê que o Verbo de Deus, Jesus Cristo se encarnou e se fez homem.

“Nisto reconheceis o Espírito de Deus. Todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio na carne é de Deus” (1Jo 4,2).

Este estudo é curto e parece ser muito óbvio. Mas vamos a partir do próximo começar a ver este mesmo assunto com um certo grau de profundidade. Vamos estudar a afirmação da Igreja que diz que Jesus Cristo era verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus. Ou seja, vamos estudar e saber que Ele não era parte humana e parte Divina, mas 100% homem e 100%. E por causa disso, muitas pessoas desde o início da Igreja de Cristo começaram a espalhar heresias e bobagens acerca da pessoa de Cristo.

E essa é a fé da Igreja. Este o ensinamento da Igreja. E agora fica a pergunta: Você crê?

Gostaria que no dia de hoje você parasse e pensasse nisso. É importante que você veja e reveja aquilo que você crê. E se você acredita que Jesus Cristo se encarnou no seio da Virgem Maria e se fez carne, posso dizer para você: Louvado seja Deus pela sua fé!

Pax Domini

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

Série espiritualidade: Como pedir algo ao Senhor e ser ouvido por Ele

Do Livro Imitação de Cristo

Jesus: Filho, dize assim em todas as coisas: Senhor, se for do vosso agrado, faça-se isto assim. Senhor, se for para vossa honra, suceda isto em vosso nome. Senhor, se vos parecer que me é proveitosa e útil tal coisa, concedei-ma para que dela use para vossa glória; mas, se conheceis que me seria nociva e sem proveito para minha salvação, tirai-me tal desejo; porque nem todo desejo procede do Espírito Santo, ainda que nos pareça bom e justo. É dificultoso discernir se te move espírito bom ou mau, a desejar isto ou aquilo, ou se te move tua própria vontade. Muitos se acharam no fim enganados, que a princípio pareciam animados de bom espírito.

Qualquer coisa, pois, que se te afigura desejável, deves sempre desejá-la e pedir com temor de Deus e humildade de coração, particularmente encomendar-me tudo com sincera resignação, dizendo: Vós sabeis, Senhor, o que é melhor; faça-se isto ou aquilo, conforme vossa vontade. Dai-me o que quiserdes, quanto e quando quiserdes. Disponde de mim como entendeis, como mais vos agradar e para maior glória vossa. Ponde-me onde quiserdes e disponde de mim livremente em tudo; estou em vossas mãos, virai-me e revirai-me segundo vos parecer. Eis aqui vosso servo, pronto para tudo; pois não desejo viver para mim, mas para vós, oxalá com dignidade e perfeição.

Oração para cumprir a vontade de Deus:

Concedei-me, benigníssimo Jesus, que a vossa graça esteja comigo, comigo trabalhe e persevere comigo até ao fim. Dai-me que deseje e queira sempre o que mais vos for aceito e agradável. Vossa vontade seja a minha, e a minha acompanhe sempre a vossa e se conforme em tudo com ela. Tenha eu convosco o mesmo querer e não querer, de modo que não possa querer ou não querer, senão o que vós quereis ou não quereis.

Fazei que eu morra a tudo que é do mundo, e que deseje ser desprezado e esquecido neste século, por vosso amor. Daí-me que descanse em vós acima de todos os bens desejáveis, e repouse em vós o meu coração. Vós sois a verdadeira paz do coração e seu único descanso; fora de vós tudo é inquietação e desassossego. Nesta paz verdadeira, que sois vós, sumo e eterno bem, quero dormir e descansar. Amém.

Siga-nos e fique por dentro das novidades: