Estudo sobre a infância de Jesus:: A apresentação de Jesus no templo

Assim nos conta São Lucas:

Ora, havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Este homem, justo e piedoso, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava nele. Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não morreria sem primeiro ver o Cristo do Senhor. Impelido pelo Espírito Santo, foi ao templo. E tendo os pais apresentado o menino Jesus, para cumprirem a respeito dele os preceitos da lei, tomou-o em seus braços e louvou a Deus nestes termos: “Agora, Senhor, deixai o vosso servo ir em paz, segundo a vossa palavra. Porque os meus olhos viram a vossa salvação que preparastes diante de todos os povos, como luz para iluminar as nações, e para a glória de vosso povo de Israel. Seu pai e sua mãe estavam admirados das coisas que dele se diziam. (Lc 2,25-33)

Assim como Simeão,também Ana, a profetisa, teve um papel importante nesse dia. Simeão era um homem justo. Aqui entendemos justo, não apenas como um homem que nunca cometeu um delito, mas um homem que buscava a justiça do Senhor. Assim como Simeão, muitos justos esperaram a primeira vinda de Cristo, assim como muitos justos hoje, esperam a sua segunda vinda. Conforme a Lei de Moisés, todo primogênito era pertença do Senhor, por isso Maria e José foram apresentar o seu primogênito ao Senhor.

Dizendo isso, não estamos afirmando que sendo Jesus o primogênito, Maria e José teriam “outros” filhos. É só que nascendo o primeiro (ou o único, que obviamente também seria o primeiro), era costume da época oferecer o primeiro filho ao Senhor. Isso é só um parênteses para desfazer qualquer tipo de mal entendido.

Agora imagine a situação: Haviam no tempo muitas pessoas indo e vindo. Muitos viram José, Maria e o menino passar. Talvez até pediram licença ou esbarraram neles. Porém apenas Simeão e Ana reconheceram a criança.

A apresentação de Jesus no Templo mostra-o como o Primogênito pertencente ao Senhor. Com Simeão e Ana, é toda a espera de Israel que vem ao encontro de seu Salvador (a tradição bizantina designa com este termo tal acontecimento). (CIC§529)

Por que apenas os dois?

Porque ambos já estava esperando o Messias. Talvez você me diga: Ah! Mas todo povo de Israel esperava o Messias. Você tem razão amigo leitor. Porém existe um “esperar” e outro “esperar”. Um exemplo: Se você não está com fome e algúem te promete uma comida você vai esperar. Mas se você está com fome, e alguém tem promete uma comida, você espera de outro jeito não é mesmo? Existe aquela espera que é do tipo se viver bom se não vier bom também. E existe aquela espera confiante. Assim como naquele tempo, existem pessoas que esperam por esperar, mas também existem os que esperam confiantemente.

Ana e Simeão esperavam o Messias como todo o povo. A diferença, é que eles estavam esperando em Deus. Os olhos, o coração, a mente deles estavam fitos em Deus. Eles realmente esperavam no sentido mais firme da palavra. Assim precisamos ser nós.

Em breve retornaremos falando das profecias que Simeão e Ana fizeram a respeito do Menino Jesus.

Dominus Vobiscum

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s