Especial Padre Jonas Abib:: Fortes como Macabeus

Os macabeus ficaram conhecidos para a posteridade pela sua fé e entrega irrestrita a Deus, mesmo quando suas vidas estavam em jogo, diante de promessas de fortuna e favores do rei caso renunciassem a Deus. Hoje vemos pessoas se vendendo por muito menos. Pessoas que se dizem católicas vão e ainda levam os familiares a templos de outras religiões, espiritismos, benzedeiros, curandeiros, a troco de curas, prosperidade e coisas do tipo. 

Ao invés disso precisamos ser fortes como os macabeus que não se corromperam e foram fiéis!

Nesse especial quero homenagear o Monsenhor Jonas Abib em seu mês de aniversário, colocando aqui pregações significativas para mim. Muito do que aprendi, foi com este Servo de Deus.  Ouça com atenção e carinho!

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

AVISO:: Estamos assumindo aqui no blog Dominus Vobiscum uma campanha de oração pela Jornada Mundial da Juventude. A proposta é que todo católico reze um terço por dia de hoje até o evento que acontecerá em 2013 no Rio de Janeiro. Você topa o desafio?

Anúncios

Notícia:: Obama diz: Quem não ajudar a causa gayzista não terá apoio americano

Do ACI Digital com inserções do Blog Dominus Vobiscum

Uma matéria digna de atenção da Comunidade Cristã do mundo: O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ordenou a todos os organismos governamentais, incluindo os de cooperação e ajuda, que promovam no resto de países os supostos “direitos” homossexuais, como centro da política externa.

Não bastasse todo dinheiro injetado nos movimentos gayzistas, agora eles contam com a “ordem” (quanta prepotência) do presidente norte-americano para beneficiá-los. Ou seja, para um país menos desenvolvido receber algum tipo de ajuda dos EUA, ele deve privilegiar a minoria gayzista, retirando a maioria dos cidadãos coisas como a liberdade de expressão. É uma verdadeira pressão que o governo de Obama vai exercer sobre o mundo em prol da causa gayzista.

Diz Obama: “Neste memorando estou instruindo a todos os organismos no exterior para que assegurem que a diplomacia americana e a ajuda externa promova e proteja os direitos humanos das pessoas gays, lésbicas, bissexuais e transexuais”.

Não tenha nada contra os direitos humanos de ninguém. O grande problema é quando o direito do outro interfere no meu direito de ser e de me expressar. Você que visita este blog sabe da luta que travamos contra a Lei da Homofobia aqui neste blog (para saber mais veja as matérias anteriores sobre o assunto). Pelo que saiba, a Lei que proteje o hetero, proteje o homo. Criar leis de proteção que previlegiem eles, tirando nosso direito de expressão é o que combato aqui.

E Obama segue impondo sua “democracia”: Ordenou que as agências de ajuda exterior e desenvolvimento comprometam os governos e grupos da sociedade civil no exterior a “fomentar o respeito aos direitos humanos dos homossexuais”.

Ou seja, eles só vão ajudar os países que necessitam de sua ajuda, se esses países mudarem suas leis para “protegerem” os gayzistas. Quem não protege os amigos do Obama não ganha presente! Essa é a lei!

Previamente, a secretária de Estado Hillary Clinton anunciou em Genebra (Suíça), que seu Governo atribuiu três milhões de dólares para lançar um Fundo Mundial para a Igualdade, que apóie os grupos de “lésbicas, gays, bissexuais e transexuais em todo mundo”.

Mais uma vez eu digo: Católicos do mundo abram seus olhos. Essa história querer o primeiro presidente negro, a primeira presidente mulher, o primeiro presidente anão, a primeira presidente índia é tolice. Precisamos de políticos competentes e no nosso caso, que defendam a nossa liberdade de expressar nossa fé e de decidir como queremos que o nosso país seja.

Eles tem dinheiro. Nós temos fé e temos o voto. Sempre digo isso: Nenhuma arma é maior do que o voto. Temos o poder de mudar essas coisas nas eleições. Claro, não podemos mudar o presidente norte-americano, mas podemos colocar no poder aqui no Brasil, pessoas sérias e comprometidas com o povo sensato que deseja uma sociedade pautada em valores cristãos, que é a grande maioria.

É preciso ficar de olhos abertos e atentos! Queremos uma sociedade pautada nos valores evangélicos e não na proteção de castas de minorias!

Nossa Senhora Aparecida rogai por nós e pelo Brasil!

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

AVISO:: Estamos assumindo aqui no blog Dominus Vobiscum uma campanha de oração pela Jornada Mundial da Juventude. A proposta é que todo católico reze um terço por dia de hoje até o evento que acontecerá em 2013 no Rio de Janeiro. Você topa o desafio?

Evangelho do Dia: Vai chamar-Se Filho do Altíssimo […] e reinará eternamente

Do Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. Ao entrar em casa dela, o anjo disse-lhe: Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo. Ao ouvir estas palavras, ela perturbou-se e inquiria de si própria o que significava tal saudação. Disse-lhe o anjo: Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus. Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai Davi, reinará eternamente sobre a casa de Jacó e o seu reinado não terá fim. Maria disse ao anjo: Como será isso, se eu não conheço homem? O anjo respondeu-lhe: O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo estenderá sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer é Santo e será chamado Filho de Deus. Também a tua parente Isabel concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês, ela, a quem chamavam estéril, porque nada é impossível a Deus. Maria disse, então: Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo retirou-se de junto dela. (Lc 1,26-38)

Comentário do Evangelho do dia feito por Prudêncio (348-após 405), poeta em Espanha

Mostra-Te, doce criança,
Trazida ao mundo por mãe tão casta,
Que deu à luz sem ter conhecido homem;
Mostra-Te, Mediador, em ambas as Tuas naturezas.

Ainda que nascido no tempo, da boca do Pai,
Engendrado pela Sua palavra (Lc 1,38),
Já habitavas no seio do Pai (Jo 1,2)
Ó Sabedoria eterna (1Co 1,24).

Tu és a Sabedoria que tudo criou (Pr 8,27),
Os céus, a luz e todas as coisas.
Tu és o Verbo poderoso que fez o universo (Heb 1,3)
Porque o Verbo é Deus (Jo 1,2).

Tendo ordenado o curso dos séculos
E fixado as leis do universo,
Este artesão do mundo, este construtor,
Permaneceu no seio do Pai.

Mas, quando se cumpriu o tempo,
Passados milhões de anos,
Desceste a visitar
Este mundo há muito pecador. […]

Cristo não suportava a queda
Dos povos que se perdiam;
Não podia aceitar que a obra do Pai
Se dissolvesse em nada.

Revestiu-Se de um corpo mortal
A fim de que a ressurreição da nossa carne
Quebrasse as cadeias da morte
E nos conduzisse ao Pai. […]

Não sentes, ó nobre Virgem,
Apesar dos dolorosos pressentimentos,
Que esse glorioso nascimento
Faz aumentar o brilho da tua virgindade?

Teu seio puríssimo contém o fruto bendito
Que encherá de alegria toda a criatura.
Por ti nascerá um mundo novo,
Aurora de um dia brilhante como o ouro.

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Estudo: O Amor que vem da cruz:: Amar é morrer para nós mesmos

O cálice da Nova Aliança, que Jesus antecipou na Ceia, oferecendo-se a si mesmo, aceita-o em seguida das mãos do Pai em sua agonia no Getsêmani, tornando-se “obediente até a morte” (Fl 2,8). Jesus ora: “Meu Pai, se for possível, que passe de mim este cálice…” (Mt 26,39). Exprime assim o horror que a morte representa para sua natureza humana. Com efeito, a natureza humana de Jesus, como a nossa, está destinada à Vida Eterna; além disso, diversamente da nossa, ela é totalmente isenta de pecado, que causa a morte; mas ela é, sobretudo, assumida pela pessoa divina do “Príncipe da Vida”, do “vivente”. Ao aceitar em sua vontade humana que a vontade do Pai seja feita, aceita sua morte como redentora para “carregar em seu próprio corpo os nossos pecados sobre o madeiro” (1Pd 2,24). (Cat. § 612)

Continuando com a proposta deste blog, cada dia conversamos sobre um parágrafo do catecismo. Queremos ir lendo e comentando com você este lindo e rico documento que é o Catecismo da Igreja Católica e hoje vamos falar sobre a obediência de Jesus na hora da sua morte, que foi até o fim sem pestanejar para nos dar a salvação.

Cada ato de Jesus é importante para nós que queremos segui-lo. Um bom seguidor busca imitar os detalhes, os atos, os gestos e sentimentos daquele a quem segue. Por isso este estudo minucioso e diário que fazemos é essencial para nós, sobretudo em um tempo onde as pessoas são formadas e treinadas para fazer a sua vontade e o seu querer (chamando isso de amor), e quando se precisa “morrer” para si, em coisas pequenas, muitos irmãos fazem verdadeiras tempestades em copo d’água.

No Getsêmani, vimos Jesus apesar de pedir ao Pai, que afastasse Dele o Cálice que Ele deveria tomar, Ele no fim das contas disse que faria a vontade do Pai. Você pode ver isso em Mt 26, 36-45.

Sei que não é fácil morrer para si, e fazer o que é preciso. Infelizmente o pecado que entrou no mundo colocou em nós esse sentimento egoísta e imaturo de querer ser servido e nunca servir. Mas é contra isso que devemos lutar se queremos alcançar a maturidade perfeita de Jesus. Precisamos ir em à direção oposta desse desejo de ser servido e não servir. Precisamos caminhar contra esse sentimento de querer fazer apenas a nossa vontade.

É ou não é verdade que quando encontramos alguém que diariamente morre pra si, e faz o bem comum, logo exaltamos aquela pessoa ao menos dentro de nós. Gostamos de pessoas que morrem para si e fazem nossos gostos. Gostamos de ter café da manhã pronto, cama arrumada, roupa lavada… Gostamos que as pessoas comprem as comidas que gostamos, deixem a TV a nossa disposição para assistirmos nossos programas favoritos. No entanto, não gostamos de morrer para fazer o desejo do outro. Quando temos que fazer isso no dia a dia, logo vêm as reclamações e murmurações. Algumas pessoas reclamam por ter que acordar mais cedo para fazer o café. Outras causam verdadeiros tumultos em casa, se querem ver um programa de TV e o outro está assistindo um filme e não quer mudar. Estou dando pequenos do dia a dia, onde as pessoas se fecham em seus desejos egoístas e se esquecem de morrer para si. Digo pessoas, porém muitas vezes eu também sou assim. Eu também preciso crescer nesse aspecto.

Quando treinamos “morrer” nas pequenas coisas do dia a dia, vamos matando em nós esse egoísmo nocivo e esse individualismo mortal que trazemos em nosso interior. Digo seguramente: Quem não morre para si, está destinado a solidão. Ninguém agüenta viver com um reizinho ou com uma princesinha do lado. O cristianismo acontece quando vivemos o amor concreto: morremos para nós para que o outro cresça.

Talvez você diga: Mas Cadú, na minha casa só eu me sacrifico. Só eu que tenho que abrir mão de tudo! Tem que ser assim sempre?

A resposta é: Talvez você precise viver isso por muito tempo. Porque você que encontrou o Cristo é quem precisa viver o evangelho. Não tem como você cobrar de alguém algo que essa pessoa não conhece. É preciso antes de tudo ter muita paciência, oração e jeito, para levá-la a um encontro com o Senhor. Depois desse encontro, a pessoa vai passar pelo mesmo processo que você passou e vai começar um caminho de crescimento rumo a maturidade. Talvez esse processo seja mais rápido ou mais lento que o seu. Isso vai depender de Jesus e da pessoa. Até que os passos sejam dados, vai um tempo e durante esse tempo é preciso amar, rezar e ter muita paciência.

Quando fazemos a vontade do Pai, cada gesto por menor que seja, é um largo passo que damos rumo ao céu! Não esqueça que a eternidade é para aqueles que seguem os exemplos de Jesus. São Francisco já dizia: É morrendo que se vive para a Vida Eterna.

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

AVISO:: Estamos assumindo aqui no blog Dominus Vobiscum uma campanha de oração pela Jornada Mundial da Juventude. A proposta é que todo católico reze um terço por dia de hoje até o evento que acontecerá em 2013 no Rio de Janeiro. Você topa o desafio?