Estudo sobre a ressurreição de Cristo:: O homem celeste

Jesus ressuscitado estabelece com seus discípulos relações diretas, em que estes o apalpam e com Ele comem. Convida-os, com isso, a reconhecer que Ele não é um espírito, mas, sobretudo a constatar que o corpo ressuscitado com o qual Ele se apresenta a eles é o mesmo que foi martirizado e crucificado, pois ainda traz as marcas de sua Paixão. Contudo, este corpo autêntico e real possui, ao mesmo tempo, as propriedades novas de um corpo glorioso: não está mais situado no espaço e no tempo, mas pode tornar-se presente a seu modo, onde e quando quiser, pois sua humanidade não pode mais ficar presa à terra, mas já pertence exclusivamente ao domínio divino do Pai. Por esta razão também Jesus ressuscitado é soberanamente livre de aparecer como quiser: sob a aparência de um jardineiro ou “de outra forma” (Mc 16,12), diferente das que eram familiares aos discípulos, e isto precisamente para suscitar-lhes a fé. (Cat. §645)

Não sei para você, mas cada dia que medito um artigo do catecismo da Igreja Católica, eu vou descobrindo algo novo que fortalece minha fé. Esse artigo de hoje nos ensina como fica a situação de Jesus Cristo depois de ressuscitado (já vimos que Ele não é um fantasminha).

É importantíssimo sabermos disso, por que com esse conhecimento, certamente nossa fé no Cristo aumenta. O Catecismo nos diz que Jesus ao ressuscitar não fica como aqueles que Ele ressuscitou: Estes voltam a ter uma vida normal e mais a frente morrerão novamente, mas o corpo de Jesus depois da ressurreição passa a ter propriedades diferentes do corpo de um ser humano comum.

Embora implicitamente saibamos que Jesus não é como Lázaro ou como o jovem de Naim (que depois de um tempo morreram novamente), é bacana perceber o cuidado da Igreja em ensinar isso ao seu povo: Jesus não está mais sujeito ao espaço tempo que nós estamos. Jesus ressuscitado tem um corpo, mas pode aparecer em vários lugares ao mesmo tempo. Jesus pode visitar nosso passado, nosso presente e nosso futuro. Essa propriedade que o Corpo de Jesus tem, não pode ser imitada por nenhum outro ser humano.

Todos os grandes líderes religiosos nasceram, viveram e morreram. Jesus nasceu, viveu, morreu e ressuscitou! Ele está vivo! E esse poder que Jesus tem de ir e vir, de visitar nosso presente, passado e futuro é que nos dá a certeza que se Ele quiser, Ele pode fazer coisas extraordinárias em nossas vidas. Nenhum outro líder religioso goza ou gozou desse prestígio, desse poder. Somente Jesus por ser Deus pode fazer isso.

A Ressurreição de Cristo é essencialmente diferente. Em seu corpo ressuscitado, Ele passa de um estado de morte para outra vida, para além do tempo e do espaço. Na Ressurreição, o corpo de Jesus é repleto do poder do Espírito Santo; participa da vida divina no estado de sua glória, de modo que Paulo pode chamar a Cristo de “o homem celeste”. (Cat. §646)

Isso é um mistério da fé. Não se explica e graças a Deus que é assim, afinal de contas, como o homem que usa apenas 10% da sua cabeça animal poderá entender a complexidade de Deus?

Eu creio que quando as pessoas começam a pensar a respeito disso que estamos falando agora, a concepção sobre quem é Jesus hoje e o que Ele pode fazer em nossas vidas muda. Pense num Deus que pode agir na tua vida por inteiro (passado, presente e futuro). Pense num Deus que tem um corpo humano e pode ao mesmo tempo aparecer em vários lugares, para várias pessoas fazendo o que sempre fez (ensinando, exortando, perdoando e curando).

Este é o Nosso Senhor Jesus Cristo! Aquele a quem servimos e cremos. É a Ele que devemos entregar nossas vidas! Ele é o Senhor dos vivos e dos mortos e quer ser o meu Senhor e o seu também!

Dominus Vobiscum

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Anúncios

Evangelho do Dia:: Jesus cura nossos corpos, e sobretudo nossas almas

Quem julga, pois, que aprenda a perdoar; e quem estiver doente, a suplicar. E se não esperais o perdão imediato das faltas graves, recorrei a intercessores, recorrei à Igreja, que rezará por vós...

Do Evangelho Quotidiano

Quando Jesus entrou de novo em Cafarnaum e se soube que estava em casa, juntou-se tanta gente que nem mesmo à volta da porta havia lugar, e anunciava-lhes a Palavra. Vieram, então, trazer-lhe um paralítico, transportado por quatro homens. Como não podiam aproximar-se por causa da multidão, descobriram o tecto no sítio onde Ele estava, fizeram uma abertura e desceram o catre em que jazia o paralítico. Vendo Jesus a fé daqueles homens, disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados. Ora estavam lá sentados alguns doutores da Lei que discorriam em seus corações: Porque fala este assim? Blasfema! Quem pode perdoar pecados senão Deus? Jesus percebeu logo, em seu íntimo, que eles assim discorriam; e disse-lhes: Porque discorreis assim em vossos corações? Que é mais fácil? Dizer ao paralítico: Os teus pecados estão perdoados, ou dizer: Levanta-te, pega no teu catre e anda? Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar os pecados, Eu te ordeno disse ao paralítico: levanta-te, pega no teu catre e vai para tua casa. Ele levantou-se e, pegando logo no catre, saiu à vista de todos, de modo que todos se maravilhavam e glorificavam a Deus, dizendo: Nunca vimos coisa assim! (Mc 2,1-12)

Comentário feito por Santo Ambrósio (c.340-397), Bispo de Milão e Doutor da Igreja

Vendo Jesus a fé daqueles homens, disse ao paralítico: Os teus pecados estão perdoados. Como é grande o Senhor! Por causa de uns, perdoa aos outros; de uns recebe a oração, a outros perdoa os pecados. Por que razão, ó homem, não poderá o teu semelhante interceder por ti, quando é um servo que do Senhor alcança e obtém, pela súplica insistente, a graça?

Quem julga, pois, que aprenda a perdoar; e quem estiver doente, a suplicar. E se não esperais o perdão imediato das faltas graves, recorrei a intercessores, recorrei à Igreja, que rezará por vós, e, em consideração a ela, o Senhor vos concederá o perdão que podia ter-vos recusado. Não negamos a realidade histórica da cura do paralítico, apenas queremos aqui realçar sobretudo a sua cura interior, por causa dos pecados que lhe foram perdoados. […]

O Senhor quer salvar os pecadores e demonstra a Sua divindade através do conhecimento que tem dos corações e dos prodígios das Suas ações: Que é mais fácil? Dizer ao paralítico os teus pecados estão perdoados, ou dizer Levanta-te, pega no teu catre e anda? E assim faz-lhes ver a imagem completa da Ressurreição, uma vez que, ao curar as feridas do corpo e da alma […], é o homem todo que fica curado.

Siga-nos e fique por dentro das novidades: