Notícia:: Bento XVI pede “Que todos sejam um”

Da Radio Vaticana

Como todas as quartas, Bento XVI recebeu peregrinos e fiéis de todas as partes do mundo para a Audiência Geral, que foi realizada na Sala Paulo VI.

O Papa dedicou a sua catequese à conclusão da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que se encerra nesta quarta-feira, dia da conversão de São Paulo. No Brasil, esta Semana se realiza entre Ascensão e Pentecostes.

O centro da catequese foi a oração sacerdotal que o Senhor pronuncia antes de sua Paixão. Nela, e evocando a festa judaica do Yom kippùr, Jesus se apresenta como Sumo Sacerdote que pede por si próprio, pelos sacerdotes e pelo povo, como a vítima que se oferece ao Pai em expiação.

Em primeiro lugar, explica Bento XVI, Jesus pede ao Pai a glorificação, invocando ao Senhor para que aceite seu sacrificio. Depois, intercede pelos discípulos, consagrando-os enteramente a Deus para enviá-los à missão que lhes confia. Por último, Jesus ora por todos aqueles que creerão mediante este envio, que se prolonga na história. Suplica para eles a unidade, entendida como dom de Deus que pode ter lugar somente na comunhão trinitária. Deste modo, inaugura a Igreja que se define como povo enviado, consagrado, chamado ao conhecimento de Deus e nascido na cruz.

Ouça a catequese do Santo Padre em Português

[audio http://212.77.9.15/audiomp3/00298937.MP3]

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Anúncios

Notícia:: Missa de Réquiem é celebrada por 53 milhões de bebês abortados nos EUA

Missa pelos bebês mortos por aborto. Estima-se que cerca de35 milhões de nascituros foram assassinados desde 1973.

Da ACI Digital

O Arcebispo de Los Angeles (Estados Unidos), presidiu uma Missa de réquiem pelos mais de 53 milhões de bebês abortados nesse país desde que a Corte Suprema legalizou o aborto com a sentença Roe vs Wade em 1973.

Em sua homilia na Catedral de Nossa Senhora de Los Angeles no sábado 21 de janeiro, o Arcebispo assinalou que “não podemos jamais deixar de fazer que o mundo saiba a verdade” já que a humanidade das pessoas não é uma “verdade religiosa ou católica” e sim uma “verdade da biologia e da ciência”. O Prelado criticou a sentença da Corte Suprema que em 1973 deu ao estado a potestade de reger os direitos das pessoas.

As palavras do Arcebispo foram pronunciadas um dia depois de que a administração Obama anunciasse que não ampliará a isenção para os grupos religiosos que se opõem ao pagamento de planos de seguro médico para seus empregados que incluem esterilização e anticoncepcionais, inclusive os de efeito abortivo.

Dom José Gómez se referiu ao Evangelho do dia, que narra a fuga ao Egito da Sagrada Família para evitar que o Menino Jesus fosse assassinado logo que o rei Herodes ordenou acabar com todos os pequenos varões com menos de dois anos. O Arcebispo alentou a rezar aos Santos Inocentes pelo estado da Califórnia e pelos Estados Unidos, e advertiu que ainda “existem Herodes” que aceitam e promovem a injustiça do aborto.

“O rei Herodes é um símbolo de todos os governantes e todas as forças de nosso mundo que temem e estão ciumentos de Deus… representa todos os que querem expulsar Deus do mundo e erradicá-lo da memória da sociedade”, disse o Prelado.

O amparo da vida humana, precisou logo, “é vital para a civilização porque em uma criança e na família vemos o amor de Deus”. Deste modo exortou os presentes a serem “guardiães do direito à vida” como São José quando respondeu à voz de Deus que lhe pediu partir para o Egito.

“Precisamos dizer ao mundo as boas notícias deste Menino, que o Filho de Deus se fez carne no seio de Maria e que cada filho de uma mãe pode ser o filho de Deus”, concluiu.

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Padres do Deserto: Sentença do Pai Daniel sobre a Eucaristia

Apotegma do Pai Daniel, o Faranita - Do Site Central de Obras do Cristianismo Primitivo

Isto é o que disse Pai Daniel, o Faranita:

Nosso Pai Arsênio nos contou sobre um habitante de Scetis, de vida digna e fé simples; pela sua ingenuidade, ele foi enganado e disse: O pão que recebemos não é verdadeiramente o Corpo de Cristo, mas um símbolo. Dois anciãos souberam que ele dissera aquilo, conhecendo seu modo de vida correto acreditaram que ele não falara por malícia, mas por simplicidade. Então, vieram a ele e disseram:

Pai, ouvimos da parte de alguém uma proposição contrária à fé, que disse que o pão que recebemos não é verdadeiramente o corpo de Cristo, mas um símbolo. O ancião disse: Fui eu quem disse isso. Então os outros dois o exortaram dizendo:

Não mantenha essa crença, Pai, mas aquela em conformidade com o que a Igreja Católica nos deu. Acreditamos, de nossa parte, que o pão por si mesmo é o Corpo de Cristo, como no início, Deus formou o homem à sua imagem, tomando do pó da terra, sem que ninguém possa dizer que ele não é a imagem de Deus, mesmo que não pareça. Do mesmo modo, com o pão do qual ele disse: este é meu corpo, assim nós cremos que é verdadeiramente o Corpo de Cristo.

O ancião disse-lhes: Enquanto eu não for convencido pela coisa em si, não estarei completamente convicto. Então eles disseram: Vamos rezar a Deus sobre este mistério por toda a semana e acreditamos que Deus vai nos revelar isto.

O ancião ouviu isso com alegria e rezou nessas palavras: Senhor, vós sabeis que não é por malícia que eu não creio, e, de maneira que eu não erre por ignorância, revele isto a mim, Senhor Jesus Cristo. Os dois homens voltaram a suas celas e rezaram também a Deus, dizendo: Senhor Jesus Cristo, revele esse mistério a esse homem de modo que ele creia e não perca sua recompensa.

Deus ouviu suas preces. Ao final da semana eles vieram à igreja no domingo e se sentaram todos os três no mesmo tapete, o ancião no meio.

Em seguida seus olhos se abriram e quando o pão foi colocado na mesa sagrada, aparecia-lhes uma criança pequena, sozinha. E quando o sacerdote estendeu a mão para partir o pão, viram um anjo descer do céu com uma espada e servir o sangue da criança no cálice. Quando o padre partiu o pão em pedacinhos, o anjo também cortou a criança em pedaços. Quando se aproximaram para receber os sagrados elementos o ancião sozinho recebeu um pedaço da carne sangrenta. Vendo isto, ficou com medo e gritou: Senhor, eu creio que isto é vosso corpo e este cálice vosso sangue. Imediatamente a carne que ele segurava em suas mãos se tornou pão, de acordo com o mistério e ele o tomou dando graças a Deus.

Em seguida os dois homens lhe disseram: Deus conhece a natureza humana e sabe que o homem não pode comer carne crua e é por isso que ele mudou seu corpo em pão e seu sangue em vinho, para aqueles que o recebem na fé. Em seguida, deram graças a Deus pelo ancião, porque Ele não permitiu que o mesmo perdesse a recompensa pelo seu trabalho. Então, todos os três retornaram com alegria para suas celas.

Leia também >> Quem eram os padres do deserto? | Padres do Deserto: Sentenças do Pai Abraão | Padres do Deserto: Sentenças do Pai Agatão | Padres do Deserto: Sentenças do Pai Ammoes | Padres do Deserto: Sentenças do Abade Antônio | Padres do Deserto: Sentenças do Pai Arsênio

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Evangelho do Dia:: De Saulo a Paulo

Do Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, Jesus apareceu aos Onze e disse-lhes: Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura. Quem acreditar e for batizado será salvo; mas, quem não acreditar será condenado. Estes sinais acompanharão aqueles que acreditarem: em meu nome expulsarão demônios, falarão línguas novas, apanharão serpentes com as mãos e, se beberem algum veneno mortal, não sofrerão nenhum mal; hão-de impor as mãos aos doentes e eles ficarão curados. (Mc 16,15-18)

Comentário feito por São Fulgêncio de Ruspe (467-532), bispo no Norte de África

Saulo foi enviado pelo caminho de Damasco para se tornar cego, pois se ele cegou, foi para ver o verdadeiro Caminho (Jo 14,6). […] Perdeu a vista do corpo, mas o seu coração foi iluminado para que a verdadeira luz brilhasse, quer aos olhos do seu coração, quer aos do corpo. […] Foi enviado para dentro de si mesmo, para se procurar a si mesmo. Andava errante na sua própria companhia, viajante inconsciente, e não se encontrava porque interiormente tinha perdido o caminho.

Foi por isso que ouviu uma voz que lhe dizia […]: Desvia os teus passos do caminho de Saulo, para encontrares a fé de Paulo. Despe a túnica da tua cegueira e reveste-te das vestes do teu Salvador (Gl 3,27). […] Eu quis manifestar na tua carne a cegueira do teu coração, para que pudesses ver o que não vias e não te parecesses com aqueles que ‘têm olhos mas não vêem e ouvidos mas não ouvem’ (Sl 115,5-6). Que Saulo se afaste deles com as suas cartas inúteis (Act 22,5), para que Paulo escreva as suas tão necessárias epístolas. Que Saulo, o cego, desapareça […] para que Paulo se torne a luz dos crentes.

Paulo, quem te transformou assim? Ele respondeu: Esse homem, que Se chama Jesus, fez lama, ungiu-me os olhos e disse-me: Vai à piscina de Siloé e lava-te. Então eu fui, lavei-me e comecei a ver! (Jo 9,11). Porquê esse espanto? Eis que Aquele que me criou me recriou; com o poder com que me criou, agora curou-me; eu tinha pecado mas Ele purificou-me.

Portanto, Paulo, vem, deixa o velho Saulo, em breve também verás Pedro. […] Ananias, toca em Saulo e dá-nos Paulo; afasta para longe o perseguidor, envia em missão o pregador: os cordeiros já não terão medo, as ovelhas de Cristo viverão na alegria. Toca no lobo que perseguia Cristo, para que agora, com Pedro, ele leve a pastar as ovelhas.

Veja também > 25 de janeiro, dia da conversão de São Paulo

Siga-nos e fique por dentro das novidades: