Dicas para viver bem a Quaresma:: Fazer o jejum toda sexta-feira

 

Na Bíblia encontramos várias passagens onde se fala do jejum. Lendo-as podemos afirmar que esta prática refere-se à abstenção de alimento para finalidades espirituais. O jejum é diferente da greve de fome, ou das dietas (seja por motivo de saúde, seja por motivos estéticos). Quando você faz uma dieta ou regime, você faz na intenção física. O Jejum tem uma púnica função: Espiritual.

Embora seja uma prática antiga da Igreja. A grande maioria dos católicos não sabe fazer jejum e conhece muito pouco sobre ele.

O bacana é que todos podem fazer jejum. Sejam idosos ou estejam cansados ou doentes; sejam gestantes, mães que amamentam, jovens ou adultos. Todos podem jejuar sem que isso lhe faça mal, mas, pelo contrário, lhes faça bem.

3ª dica:: O Jejum

Não tenho a intenção de trazer para você os aspectos teológicos ou doutrinários do jejum. Um bom artigo sobre isso está aqui no blog O catequista. O que eu pretendo fazer aqui é ensinar a você como fazer bem o jejum. Existem várias formas de se fazer jejum aprovadas pela Igreja. Mas como eu aprendi essas quatro, quero ensiná-las para você!

Obs.: Se depois de ler o texto você tiver dúvidas sobre essas práticas, adquira o livro práticas de Jejum do Monsenhor Jonas Abib!

Jejum da Igreja

É extremamente simples, e pode ser feito por qualquer pessoa. Alguém depois de ler esse texto, pode pensar que esse seja um jejum relaxado ou que nem seja realmente jejum, porque ele é muito fácil. Mas não é bem assim.

Esse modo de jejuar vem da Tradição da Igreja e pode ser praticado por todos sem exceção, sendo esse o motivo porque é prescrito a toda a Igreja.

O básico desse tipo de jejum é que você tome o café da manhã normalmente e depois faça apenas uma refeição – almoçar ou jantar -, a depender dos seus hábitos, de sua saúde e de seu trabalho. A outra refeição, a que você não vai fazer, será substituída por um lanche simples, de acordo com as suas necessidades.

Exemplo: Se você escolher o almoço para fazer a refeição completa, no jantar faça um lanche que lhe dê condições de passar o resto da noite sem fome.

O conceito de jejum não exige que você passe fome. Em suas aparições em Medjurgorje, a própria Nossa Senhora o repetiu várias vezes. Jejuar é refrear a nossa gula e disciplinar o nosso comer.

O importante, e aí está a essência do jejum, é a disciplina, e é você não comer nada além dessas três refeições. O que interessa é cortar de vez o hábito de “beliscar”, de abrir a geladeira várias vezes ao dia para comer “uma coisinha”. Evitar completamente, nesse dia, as balas, os doces, os chocolates e os biscoitos. Deixar de lado os refrigerantes, as bebidas e os cafezinhos.

Para quem é indisciplinado – e muitos de nós o somos -, isso é um jejum, e dos “bravos”! Nesse tipo de jejum, não se passa fome. Mas como “a gente” se disciplina; como refreia a gula! Esse tipo de jejum, mesmo os doentes podem fazer, porque água e remédios não quebram jejum. Se for necessário leite para tomar os remédios, o jejum não é quebrado, pois a disciplina fica mantida. Para o doente e para o idoso, disciplina mesmo talvez seja tomar os remédios e tomar corretamente.

Jejum a pão e água

Nesse segundo tipo de jejum, deve-se comer pão quando se tem fome e beber água quando se tem sede. Apenas isso e nada mais. Não se trata de comer pão e beber água ao mesmo tempo. Pelo contrato: é preciso evitar isso. Nosso tipo de pão, quando comido com água, geralmente fermenta no estômago, provocando dor de cabeça.

É melhor ir comendo aos poucos durante todo o jejum. Você vai perceber que, nesse dia, o pão adquire um novo sabor. Também se deve beber água várias vezes no decorrer do dia. O organismo precisa de água. Por isso, tome água, mesmo que você não tenha sede. O principal desse tipo de jejum é que você só coma pão e beba apenas água.

Jejum à base de líquidos

O terceiro tipo de jejum requer que você passe o dia sem comer nada, limitando-se a tomar líquidos. Ou seja, durante todo o seu dia de jejum, você se alimenta somente com líquidos. Essa é uma modalidade muito boa de jejum, que refreia a nossa gula e garante a nossa disciplina. Tratando-se de líquidos, temos uma grande variedade de opções e de combinações possíveis; todas elas nos mantêm alimentados e bem dispostos sem a quebra do jejum.

É recomendável passar o dia tomando chá. Existem vários tipos de chá, podendo-se escolher. Quem não puder usar açúcar nem mel, pode usar adoçante ou tomar chá puro; fazendo assim estará se privando da glicose, que é alimentícia, mas conservará as vantagens do chá e do calor. Laranjada, limonada, sucos de fruta e sucos de legumes como cenoura e beterraba também são indicados para esse dia. Veja bem: tome suco, não vitamina. Combinando-se frutas, legumes e verduras, as possibilidades aumentam bastante. Pode se também tomar água de coco, que é completa, tendo tudo para nos manter hidratados e alimentados.

Qualquer pessoa, mas em especial os idosos e os doentes, pode fazer um jejum muito saudável à base de caldos. Tal como os sucos, os caldos também apresentam um grande variedade.

Observe, no entanto, que estou me referindo a caldos, e não a sopas e canjas, embora se possa fazer caldo de frango e até de carne. O que importa é que o caldo é líquido e tem como vantagens ser nutritivo e quente, além de conter sal.

O Jejum completo

Nesse quarto tipo de jejum, não se come coisa alguma e só se bebe água. É recomendável que, antes de experimentar essa forma de jejum, você já tenha feito o jejum a pão e água e o jejum à base de líquidos, que podem servir de treino.

No jejum completo, é fundamental beber várias vezes ao dia. Não é bom fazer jejum a seco.

É fundamental ter em mente que não estamos nos submetendo a um teste de resistência. Não precisamos provar nada a ninguém: nem a nós, nem ao Senhor. O objetivo do jejum é nos encontrar com Deus, favorecer a oração e nos disciplinar. Ele serve para nos abrir à Graça da contemplação, da intercessão a da Unção do Espírito Santo. Como dissemos acima, nosso organismo precisa de água. Ele necessita estar bem hidratado para agir e reagir no campo espiritual. E como o nosso jejum se destina a combatentes que batalham por Deus na dimensão espiritual, tome água várias vezes ao dia quando praticar o jejum completo.

Quanto a hora de terminar o jejum, principalmente o jejum completo, Nossa Senhora de Medjugorje fala em encerrá-lo às quatro da tarde. Você pode terminá-lo às cinco, às seis ou às oito horas da noite. O importante é ser comedido e agir com sabedoria. Nossa intenção não é bancar os heróis.

Repito: não temos de provar nada a ninguém, nem a nós e nem mesmo ao Senhor.

Observações Finais

Um erro muito comum que as pessoas cometem consiste em fazer um dia de jejum sem tomar café da manhã. Agindo assim, elas na verdade começam a jejuar a partir da última refeição que fizeram na véspera, e não pela manhã.

Essas pessoas mal-informadas acabam ficando com dor de cabeça, que em geral; começa bem cedo. Ora, dor de cabeça não é o objetivo do jejum. Além disso, trata-se de uma coisa que deixa a pessoa indisposta o resto do dia, que a torna irritadiça e sempre pronta a perder a paciência. E isso é totalmente oposto ao que se espera conseguir jejuando.

É bom que você tome tranqüilamente seu café da manhã, como se faz todos os dias, e, a partir daí, inicie o jejum. Agindo dessa maneira, você fica livre dos ácidos do estômago, da dor de cabeça, da irritabilidade e da indisposição. E isso custa muito pouco: basta tomar café da manhã como nos outros dias.

Um outro erro que muitas vezes acontece é de não oferecer esse jejum em oração. É importante rezar antes de começar o seu jejum.

O jejum é uma riqueza que precisamos reconquistar. É uma forte expressão do católico que decidiu fazer uma conversão, começar uma vida nova. Creio que depois dessas dicas, será mais fácil começar a fazer o jejum.

Deus abençoe o seu jejum!

Veja também:: Dicas para viver bem a Quaresma:: Silêncio interior | Faça um bom propósito

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Anúncios

3 comentários sobre “Dicas para viver bem a Quaresma:: Fazer o jejum toda sexta-feira

  1. Vale também compartilhar: “O que agrada a Deus é que, com o alimento economizado com o jejum, se alivie, pelo menos por um dia, a fome de um irmão.” (Dom Moacyr José Vitti)

  2. Pingback: Dicas para viver bem a Quaresma:: Rezar a Via Sacra « Dominus Vobiscum

  3. Pingback: Dicas para viver bem a Quaresma:: Fazer uma penitência « Dominus Vobiscum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s