Quem foi o autor da Carta contra o Padre Paulo Ricardo? Nós temos um nome…

Bom, pelo que pude averiguar, a tal carta contra o Padre Paulo Ricardo tem um autor que está prestes a ser identificado. Conseguimos descobrir um nome que pode ou não ser o autor do texto.

Conseguimos esta informação através de um amigo que pegando o arquivo original da carta, checou as propriedades do arquivo e encontrou o nome de Paulo da Rocha Dias. Depois checando a lista dos membros do clero, achamos um padre com o mesmo nome, ligado ao Pontifício Instituto de Missões Estrangeiras. Quem entende um pouco de informática sabe que quando alguém cria um documento de word, o dono do programa tem seu nome registrado nele. Se não foi esse padre quem escreveu, ao menos sabemos que alguém que acessa o computador do Padre foi o autor de tal carta. Veja aqui o arquivo original da CARTA ABERTA.

Ainda na lista de propriedades do arquivo, tem um outro nome, o de Pe.Julio Paulino da Silva. Mas quanto a isso é impossível afirmar que ele tenha participado da elaboração do texto. Todavia ele quem salvou pela última vez o arquivo antes que ele caísse em nossas mãos.

Para ter acesso ao telefone e ao email do padre clique aqui

Acho que poderíamos escrever para ele e perguntar a respeito da autoria dessa carta. O que acham?

Veja também:: Caso Padre Paulo Ricardo. Saiba como ajudar! | Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão | Perseguição do clero diocesano de Cuiabá contra o Pe. Paulo Ricardo de Azevedo | Perseguição ao padre Paulo Ricardo | Ajude ao Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Júnior |Padres do Regional Oeste II da CNBB se levantam contra Padre Paulo Ricardo

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Caso Padre Paulo Ricardo. Saiba como ajudar!

Caríssimos, hoje cedo publiquei aqui no blog que o Padre Paulo Ricardo Azevedo Júnior estava sendo vítima de ataques contra sua pessoa. Dessa vez, o ataque teria vindo em forma de carta, que segundo minhas fontes, foi escrita por alguns padres da Diocese de Cuiabá, para ser entregue a Dom Milton – Arquidiocese de Cuiabá e a CNBB.

“Solicitamos, portanto, de Vossas Excelências Reverendíssimas que Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior seja imediatamente afastado das atividades de magistério no Sedac e das demais atividades por ele desenvolvidas nas diversas instituições formativas sediadas na Arquidiocese e fora dela tais como direção espiritual de seminaristas, palestras, conferências e celebrações, pois não tem saúde mental para ser formador de futuros presbíteros. Pedimos também que seja afastado de todos os meios de comunicação social em todo e qualquer suporte, isto é, meios eletrônicos, meios impressos, mídias sociais e rede mundial de computadores.” (para ver a carta na íntegra, clique aqui)

A carta acusa o Padre Paulo de ser amargurado, fatigado, raivoso, compulsivo, profundamente infeliz e transtornado.

A bomba caríssimos, é que ao que parece a carta realmente é verídica. Pelas informações que recebi, ela foi assinada por 27 padres da Arquidiocese e de outras dioceses próximas que desejam (como mostrei acima),que o Padre seja destituído das suas funções.

Mas o bom é que o povo católico pode ajudar. Se você, mesmo não sendo da Arquidiocese de Cuiabá, é beneficiado pelas pregações do Padre Paulo, gostaria de pedir o seu apoio escrevendo para os bispos da região e mostrando seu descontentamento com a atitude deste padres. Deixo abaixo os nomes, as dioceses e os emails. Agora é nossa vez!

Dom Milton Antônio dos Santos SDB – Arquidiocese de Cuiabá

dmilton@terra.com.br

Dom Antônio Emídio Vilar SDB – Diocese de São Luís de Cáceres

diocese.vilar@terra.com.br

Dom Derek John Christopher Byrne SPS – Diocese de Guiratinga

djcbb@yahoo.com

Dom Gentil Delazari – Diocese de Sinop

delazarigentil@hotmail.com

Dom Juventino Kestering – Diocese de Rondonópolis

juvake@terra.com.br

Dom Neri José Tondello – Diocese de Juína

nerijosetondello@yahoo.com.br

Dom Protógenes José Luft SC – Diocese de Barra do Garças

domprotogenes@hotmail.com

Dom Vital Chitolina Diocese de Diamantino

diocesedtno@uol.com.br

Escreva aos senhores bispos, manifestando sua indignação por esta carta que na minha opinião tem o dedo do capeta. Trate-os com o devido respeito mas não deixe dizer o quão importante é o ministério do Padre Paulo Ricardo para a Igreja e sobretudo para os católicos que tem a internet como fonte de crescimento da fé.

Alem disso, você pode assinar a petição pública em apoio ao Padre Paulo Ricardo e divulgar o nosso twittaço no dia 08/03 às 19h com a tag #padrepauloricardo.

Veja também:: Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarãoPerseguição do clero diocesano de Cuiabá contra o Pe. Paulo Ricardo de Azevedo | Perseguição ao padre Paulo Ricardo | Ajude ao Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Júnior |Padres do Regional Oeste II da CNBB se levantam contra Padre Paulo Ricardo

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão

Os profetas nunca foram bem vistos pelos que desejam o Reino da mentira e da conveniência. Seria diferente hoje em dia?

Na história do povo de Deus os profetas eram homens escolhidos por Ele, para serem canais da manifestação de sua vontade. Durante muito tempo, eles foram instrumentos poderosos e através destes, a glória do Senhor por diversas vezes foi manifestada.

Foi pela boca dos profetas que muitas vezes o povo de Deus retomou a caminhada. Embora os lobos com pele de cordeiro sempre andassem no meio do povo escolhido, quando Deus via que a coisa andava feia, Ele separava um profeta que aparecia para denunciar o pecado e o erro, e assim o povo recomeçava.

Também nos tempos de hoje, o povo de Deus precisa de profetas. E Deus nos tem mandado alguns. E eles não tem se omitido. Até por que Jesus disse: Se estes (seus discípulos) se calarem, clamarão as pedras! (Lc 19,40).

Ontem à noite recebi um email de uma amiga me contando que o Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, sacerdote da Diocese de Cuiabá estava sendo alvo de uma suposta carta aberta e que seria assinada pelos padres de Cuiabá, Mato Grosso e região, e virtude do posicionamento do mesmo em diversas questões. Ainda não se sabe quem irá assinar, ou já assinou tal carta, todo caso é sabido que o Padre tem sofrido pressões diversas por parte de alguns movimentos que flertam com o marxismo.

A amiga que me enviou a carta me pediu sigilo, pois ao que me parece a Diocese estaria apurando esse fato, bem como buscando os autores da mesma. Porém hoje cedo vi que o assunto já estava na rede. Alguns blogs de amigos já estavam falando sobre o assunto e por isso resolvi escrever também. Eu não vou transcrever a carta, mas você pode ler a carta aqui. Só peço que faça isso depois de ler este texto e meu pensamento.

Não é de hoje que sabemos que o Padre Paulo Ricardo de Azevedo Junior é um apologeta de primeira linha. Defensor da Fé e da Doutrina Católica, ele tem sido uma grande referência para a fé, como foi em outros tempos o grande e saudoso Dom Estevão Bittencourt, OSB. Penso que a diferença dos dois é que no tempo de Dom Estevão não existia internet, e aparecer em uma televisão era muito difícil. Porém o conteúdo é doutrinal é bastante semelhante, até pelo fato de ambos seguirem com fidelidade o ensinamento de Cristo e da Santa Igreja.

Não temos a certeza de que esta carta tenha sido escrita pelos padres da Diocese de Cuiabá, porém uma coisa é fato: Existem muitos sacerdotes que ao invés de viverem com fervor e amor a sua vocação, vivem uma vida medíocre. São de Deus, querendo ser do mundo. Isso não é novidade para ninguém. Se algum leitor deste me blog conhecer uma diocese que não tenha um padre assim, que escreva e proteste.

Na verdade o que eu sei é que é raro, raríssimo que haja uma Diocese onde os padres “vocação light” não exerçam alguma pressão no bispo local quando ele deseja dar uma apertada no parafuso do clero.  Tem bispo que sofre! Rezemos por estes bispos…

O fato que esse tipo de padre (os vocação light) se sentem incomodados quando aparece um padre que consegue fazer o que eles não conseguem (ou não querem): Viver uma vida santa e austera. Foi esse o sentimento que os fariseus tiveram ao se deparar com Jesus e a sua autoridade. Este texto quer na verdade repudiar a ação desta suposta carta, e mais ainda a ação destes supostos padres. Sinceramente, me sinto envergonhado por saber que tem padres que não vivem a sua vocação com integridade. Sinto-me triste em saber que um padre quer difamar o outro para continuar vestindo calças apertadas, assistir sua novela preferida, militar nos grupelhos políticos e virar o catecismo de cabeça para baixo, ensinando asneiras para o povo.

A verdade incomoda o Reino da Mentira. Estão incomodados? Que bom!

De antemão lendo a carta, eu não vi em nenhum momento nada que desabonasse o Padre Paulo. Ao contrário, acho que lendo tal difamação ele deve bem no fundo estar feliz. Ele queria colocar o dedo na ferida e conseguiu. Se ele deseja uma mudança de paradigma na Igreja do Brasil, essa atitude dos “vocação light” mostra que algo bom já começou. Se essa estória for verdadeira e o bispo tiver postura de bispo o que vai acontecer é que essa carta aberta não vai dar em absolutamente nada. Se essa estória for forjada, saberemos que existem forças querendo derrubar o padre, ou seja, quem joga pedras, é porque está vendo frutos.

Porém fica uma observação: Acho que nós católicos do Brasil devemos sim apoiar o Padre Paulo nesse momento. Porém o povo cuiabano precisa se manifestar. A ação precisa vir dos católicos cuiabanos. Eles têm na sua diocese um sacerdote que todos nós gostaríamos de ter nas nossas dioceses. Como diz o jargão da minha cidade: Quem ama cuida! Nós precisamos ser o suporte mas que fique claro, a ação é de vocês.

No mais o que eu proponho:

  1. Assine a petição pública em apoio ao Padre Paulo Ricardo (clique aqui);
  2. Fazer um twittaço dia 08/08 às 19h com a tag #padrepauloricardo (tudo minúscula para facilitar);
  3. Reze ao menos um terço pelo ministério Dele.

Se a verdade incomoda o reino da mentira, o inimigo de Deus deve estar bem incomodado com o anúncio da verdade. Portanto vamos revestir o sacerdote em oração. No mais, deixo com vocês uma  leitura bíblica do profeta Jeremias. Será que ela se aprece com a situação atual? Veja por si mesmo…

Naqueles dias, disseram eles: “Vinde para conspirarmos juntos contra Jeremias; um sacerdote não deixará morrer a lei; nem um sábio, o conselho; nem um profeta, a palavra. Vinde para o atacarmos com a língua, e não vamos prestar atenção a todas as suas palavras”. Atende-me, Senhor, ouve o que dizem meus adversários. Acaso pode-se retribuir o bem com o mal? Pois eles cavaram uma cova para mim. Lembra-te de que fui à tua presença, para interceder por eles e tentar afastar deles a tua ira. (Jr 18,18-20)

Veja também:: Perseguição do clero diocesano de Cuiabá contra o Pe. Paulo Ricardo de Azevedo | Perseguição ao padre Paulo Ricardo | Ajude ao Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Júnior |Padres do Regional Oeste II da CNBB se levantam contra Padre Paulo Ricardo

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Evangelho do Dia:: Quem se humilhar será exaltado

Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, Jesus falou assim à multidão e aos seus discípulos: Os doutores da Lei e os fariseus instalaram-se na cátedra de Moisés. Fazei, pois, e observai tudo o que eles disserem, mas não imiteis as suas obras, pois eles dizem e não fazem. Atam fardos pesados e insuportáveis e colocam-nos aos ombros dos outros, mas eles não põem nem um dedo para os deslocar. Tudo o que fazem é com o fim de se tornarem notados pelos homens. Por isso, alargam as filactérias e alongam as orlas dos seus mantos. Gostam de ocupar o primeiro lugar nos banquetes e os primeiros assentos nas sinagogas. Gostam das saudações nas praças públicas e de serem chamados ‘mestres’ pelos homens. Quanto a vós, não vos deixeis tratar por ‘mestres’, pois um só é o vosso Mestre, e vós sois todos irmãos. E, na terra, a ninguém chameis ‘Pai’, porque um só é o vosso ‘Pai’: aquele que está no Céu. Nem permitais que vos tratem por ‘doutores’, porque um só é o vosso ‘Doutor’: Cristo. O maior de entre vós será o vosso servo. Quem se exaltar será humilhado e quem se humilhar será exaltado. (Mt 23,1-12)

Comentário feito por Santo [Padre] Pio de Pietrelcina (1887-1968), capuchinho

Não pares de realizar atos de humildade e de amor a Deus e aos homens; porque Deus fala àquele que tem o coração humilde perante Ele e enriquece-o com os Seus dons.

Se Deus te reservar os sofrimentos do Seu Filho e quiser que conheças a tua própria fraqueza, é preferível seres humilde do que perderes a coragem. Faz subir até Deus uma oração de abandono e de esperança quando a tua fragilidade te fizer cair, e agradece ao Senhor todas as graças com que Ele te enriquece.

Veja também:: Exame de consciência para uma boa confissão

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Exortação sobre o discernimento das paixões vãs e os pensamentos vacilantes – Evágrio Pôntico

O homem não pode expulsar as lembranças apaixonadas se não presta atenção a concupiscência e a cólera, dissipando a primeira com jejuns, velando e durmindo no chão, e acalmando a segunda com atos de suportação, paciência, perdão e de misericórdia.

Fiquei muito feliz em saber que muitas pessoas gostaram dos textos de Evágrio Pôntico que publiquei no blog. Achei mais esse texto do mesmo autor, onde ele vai nos falar sobre nosso pensamento e também sobre o discernimento que devemos ter.

Entre os demônios que se opõe a prática das virtudes, os primeiros que adotam uma atitude de combate são aqueles que ostentam as paixões pelo comer, os que insinuam o amor ao dinheiro, e os que nos estimulam na busca da glória que provém dos homens. Todos os demais vêm depois destes e recebem os que são feridos por eles. Realmente, é pouco provável que se caia nas mãos dos espíritos da fornicação senão cair antes na gula. E não há quem, tendo sido perturbado pela ira, não tenha previamente caído nos prazeres de uma boa mesa, pelas riquezas e pela glória. E não há modo de fugir do demônio da tristeza, se não suporta a privação de todas essas coisas. Assim como nada pode fugir do orgulho, ninhada do diabo; se não há erradicado antes a raiz de todos os males, que é o amor pelo dinheiro, sim é verdade, como disse Salomão, que a indigência faz o homem humilde (Pr 10,4).

Resumindo: não sucede que o homem tropece com o Demônio, sem antes não ter sido ferido por esses três principais males. E também diante do Salvador, o Diabo o tentou primeiramente com estes três pessamentos: primeiramente exortando-o a converter as pedras em pães, depois prometendo-o que o mundo se prostaría a seus pés, adorando-o, e como terceira coisa, o tenta com a possibilidade de que a glória o cobriria se, caindo do ponto mais alto do templo, os anjos O pegariam e o salvariam, como Filho de Deus que é. Porém nosso Senhor, se mostra superior a tudo isto, ordena ao Diabo que se afaste dEle, ensinando assim que é impossível rejeitar o Diabo sem depreciar estes três pensamentos.

Todos os pensamentos demoníacos introduzem na alma concepções relativas a objetos sensíveis, e o intelecto, se compenetrando deles, imprime em si mesmo as formas desses objetos. A alma reconhece, então, o demônio que se associa ao próprio objeto. Por exemplo: se em minha mente se apresenta a fisionomia de quem me tem insultado ou ofendido, é evidente que surgirão em mim pensamentos de rancor. Se surgir a lembrança das riquezas e da glória, recordará claramente do objeto, o qual é o motivo da minha angústia. O mesmo acontece com os outros pensamentos: pelo objeto descubrirá quem é que vem a sugeri-los. Sem embargo, não quero dizer que todas as lembranças de tais objetos venham dos demônios. Porque é o intelecto mesmo, acionado pelo homem, que produzem as imagens dos acontecimentos. Provêm dos demônios aquelas lembranças que sucitam a ira ou a concupiscência anormais.

O homem não pode expulsar as lembranças apaixonadas se não presta atenção a concupiscência e a cólera, dissipando a primeira com jejuns, velando e durmindo no chão, e acalmando a segunda com atos de suportação, paciência, perdão e de misericórdia. Das paixões ditas anteriormente surgem quase todos os pensamentos demoníacos que empurram o intelecto a ruína e a perdição. Porém é impossível superar estas paixões se não se depreciam totalmente os banquetes, as riquezas e a glória e ainda o próprio corpo, com fundamento daqueles pensamentos que tão pouco o flagelam. É absolutamente necessário, pois, imitar aqueles que se encontram no mar, em perigo, que atiram para a borda as coisas, a causa da violência dos ventos e das ondas. Porém chegados a este ponto, devemos nos guardar de desprender das coisas para sermos vistos pelos homens, já teremos recebido nossa recompensa, e logo outro naufrágio mais terrível que o primeiro nos afligirá, e então soprará o vento contrário, o do demônio da vanglória. Portanto, também Nosso Senhor dos Evangelhos, impulsionando em nosso intelecto que é o capitão do barco, nos disse: Cuidado que não faça vossas justiça diante dos homens, para ser vistos por eles: de outra maneira não terias recompensa de vosso Pai que está no Céu (Mt 6,1). E disse mais: E quando rezeis, não sejam hipócritas, porque eles gostam de orar nas sinagogas e nos cantos das ruas, de pé para serem vistos pelos homens: em verdade os digo, que já tiveram seu pagamento (Mt 6,5-16).

Porém neste ponto devemos prestar atenção ao médico das almas e observar como ele cura a cólera com a esmola, e como a oração purifica o intelecto, e ainda mais, o jejum disseca a concupscência: deste modo surge o novo Adão, o qual se renova a imagem dAquele que o criou, no qual não existe – com motivo da impassibilidade – nem homem nem mulher, e – baseados na única fé – nem grego nem judeu, nem circunciso nem incircunciso, nem bárbaro nem cita, nem escravo nem liberto, senão que tudo está em Cristo.

(Tradução de Roberto Gortiz – Central de Obras do Cristianismo Primitivo)
Siga-nos e fique por dentro das novidades: