Dicas para viver bem a Quaresma:: Fazer uma penitência

Na quaresma fazemos alusão aos quarenta dias que Jesus passou no deserto. Também neste período nos preparamos para fazer memória a Semana que antecedeu a crucifixão e morte de nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso a tradição da Igreja nos ensina a, sobretudo neste tempo, fazermos jejuns e penitência.

A penitência que fazemos na quaresma não tem como finalidade testar nossa resistência ou provar nosso amor a Nosso Senhor Jesus Cristo. Até porque, de nada adianta penitenciar-se e não lutar contra o pecado. O objetivo dela é a disciplina das vontades. A penitência é uma ajuda para que aprendamos a resistir aos nossos apetites interiores.

Quando oferecemos ao Senhor algum tipo de penitência, não é o tipo da penitência que está em jogo, mas o fato de você disciplinar as suas vontades. Sabemos que quem controla seus desejos e impulsos, tem grandes avanços no campo espiritual. A pessoa que controla seu interior, não se deixa mover pelos seus sentimentos, afetos, desejos e vontades.

Pode parecer besteira, mas o simples fato de você oferecer ao Senhor durante a quaresma a penitência de não tomar refrigerantes, não comer doces, evitar a TV, dormir mais cedo, acordar mais cedo, não comer carne, não fumar, não ingerir bebidas alcólicas ou outros tipos de penitência, nos ajuda muito a dominar nosso interior. Isso vai treinando nossa resistência.

Como eu faço?

Todos os anos eu escolho uma penitência para fazer. Não escolho mais de uma porque sei que não vou aguentar. Geralmente eu escolho algo que eu sei que sentirei falta nesses quarenta dias, e partilho com alguém próximo a mim. A partilha tem como objetivo verificar se não estou sendo muito rigoroso comigo mesmo, ou se não estou com orgulho espiritual demasiado, querendo fazer algo que esteja longe das minhas capacidades físicas.

Eu já fiz diversas penitências. Em um dos anos anteriores, quando era mais jovem (rss…) eu dormi no chão os quarenta dias. Hoje a minha coluna já não agüenta isso. Já fiz penitências de passar a quaresma sem doces, sem comer carne, de dormir cedo…

Esse ano eu estou fazendo a penitência de não tomar refrigerante. Pode parecer fácil para você, mas para mim é bem difícil. Só de ver uma garrafinha gelada, ou ouvir o barulho da latinha abrindo já dá água na boca. Mas é uma questão de disciplina. Nesse calor vem a sede e a vontade, mas nessa hora agente pensa na disciplina. Oferece pelas almas do purgatório e pela conversão dos pecadores e segue em frente.

Essa é uma dica que eu dou e que tem sido frutuosa na minha vida. #FicaDica!

Pax Domini!

Veja também:: Dicas para viver bem a Quaresma:: Silêncio interior | Faça um bom propósito | Fazer o jejum toda sexta-feira | Rezar a Via Sacra

Livro Maria Sempre Virgem e SantaVeja também o novo livro do Cadu (Administrador do Blog Dominus Dominus Vobiscum): Maria Sempre Virgem e Santa. Nele você vai encontrar ensinamentos seguros da doutrina da Igreja a respeito da Santíssima Virgem Maria, além das orações mais tradicionais da nossa Igreja à Virgem Mãe de Deus. Vendas apenas pela internet nos sites Clube de Autores e Agbook. Um livro para quem deseja ser mais íntimo de Nossa Senhora.

Anúncios

Evangelho do Dia:: o Rico e o Lázaro


"...entre nós e vós há um grande abismo, de modo que, se alguém pretendesse passar daqui para junto de vós, não poderia fazê-lo, nem tão pouco vir daí para junto de nós."

Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho fino e fazia todos os dias esplêndidos banquetes. Um pobre, chamado Lázaro, jazia ao seu portão, coberto de chagas. Bem desejava ele saciar-se com o que caía da mesa do rico; mas eram os cães que vinham lamber-lhe as chagas. Ora, o pobre morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. Na morada dos mortos, achando-se em tormentos, ergueu os olhos e viu, de longe, Abraão e também Lázaro no seu seio. Então, ergueu a voz e disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim e envia Lázaro para molhar em água a ponta de um dedo e refrescar-me a língua, porque estou atormentado nestas chamas. Abraão respondeu-lhe: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em vida, enquanto Lázaro recebeu somente males. Agora, ele é consolado, enquanto tu és atormentado. Além disso, entre nós e vós há um grande abismo, de modo que, se alguém pretendesse passar daqui para junto de vós, não poderia fazê-lo, nem tão pouco vir daí para junto de nós. O rico insistiu: Peço-te, pai Abraão, que envies Lázaro à casa do meu pai, pois tenho cinco irmãos; que os previna, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Disse lhe Abraão: Têm Moisés e os Profetas; que os ouçam! Replicou-lhe ele: Não, pai Abraão; se algum dos mortos for ter com eles, hão-de arrepender-se. Abraão respondeu-lhe: Se não dão ouvidos a Moisés e aos Profetas, tão-pouco se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dentre os mortos. (Lc 16,19-31)

Comentário feito por São Nersés Snorhali (1102-1173), patriarca armênio

Como o rico que amava a vida de prazeres,
Eu amei os prazeres efémeros,
Com este meu corpo animal,
Nos prazeres insensatos. […] 

E, de tantas benfeitorias
Que me deste gratuitamente,
Não Te devolvi o dízimo
Que de Ti tinha recebido. 

Mas tudo o que estava sob o meu tecto
Feito de terra, ar e mar,
As Tuas benfeitorias inumeráveis,
Pensava que eram propriedade minha. 

De tudo isso nada dei ao pobre
E para as suas necessidades nada pus de lado:
Nem comida, para o esfomeado
Nem roupa, para o corpo nu. 

Nem abrigo, para o indigente,
Nem morada, para o hóspede estrangeiro,
Nem visitei os doentes,
Nem cuidei dos prisioneiros (cf Mt 25,31ss). 

Não me entristeci com a tristeza
Do homem triste, por causa do que lhe pesava;
Nem partilhei a alegria do homem feliz
Mas ardi de inveja dele. 

Todos eles são outros Lázaros […]
Que jazem à minha porta. […]
Quanto a mim, surdo ao seu apelo,
Não lhes dei as migalhas da minha mesa. […] 

Lá fora, pelo menos, os cães da Tua lei
Consolavam-nos com a língua;
E eu, que ouvia o Teu mandamento,
Com a língua feri aquele que se Te assemelhava (cf. Mt 25,45). […] 

Mas dá-me aqui na terra arrependimento,
Para que faça penitência pelos meus pecados. […]
Para que as minhas lágrimas parem
A fornalha ardente e as suas chamas. […] 

E, em vez da conduta de um homem sem misericórdia,
Estabelece, no mais fundo de mim, a piedade misericordiosa,
Para que, ao praticar a misericórdia com o pobre,
Eu possa obter misericórdia.

Veja também:: Exame de consciência para uma boa confissão

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

  

Oração de intercessão pelo Padre Paulo Ricardo. Reze junto comigo!

Hoje na Santa Missa, o salmo 30 mexeu comigo e me fez lembrar de toda essa situação que envolve o Padre Paulo Ricardo. Gostaria de propor a todos os amigos deste blog a rezarmos hoje este salmo pelo Padre Paulo Ricardo. Que o Senhor o cubra com seu manto e a justiça divina aconteça diante de toda essa situação. Vamos rezar juntos?

SALMO 30

Junto de vós, Senhor, me refugio. Não seja eu confundido para sempre; por vossa justiça, livrai-me!
Inclinai para mim vossos ouvidos, apressai-vos em me libertar. Sede para mim uma rocha de refúgio, uma fortaleza bem armada para me salvar.
Pois só vós sois minha rocha e fortaleza: haveis de me guiar e dirigir, por amor de vosso nome.
Vós me livrareis das ciladas que me armaram, porque sois minha defesa.
Em vossas mãos entrego meu espírito; livrai-me, ó Senhor, Deus fiel.
Detestais os que adoram ídolos vãos. Eu, porém, confio no Senhor.
Exultarei e me alegrarei pela vossa compaixão, porque olhastes para minha miséria e ajudastes minha alma angustiada.
Não me entregastes às mãos do inimigo, mas alargastes o caminho sob meus pés.
Tende piedade de mim, Senhor, porque vivo atribulado, de tristeza definham meus olhos, minha alma e minhas entranhas.
Realmente, minha vida se consome em amargura, e meus anos em gemidos. Minhas forças se esgotaram na aflição, mirraram-se os meus ossos.
Tornei-me objeto de opróbrio para todos os inimigos, ludíbrio dos vizinhos e pavor dos conhecidos. Fogem de mim os que me vêem na rua.
Fui esquecido dos corações como um morto, fiquei rejeitado como um vaso partido.
Sim, eu ouvi o vozerio da multidão; em toda parte, o terror! Conspirando contra mim, tramam como me tirar a vida.
Mas eu, Senhor, em vós confio. Digo: Sois vós o meu Deus.
Meu destino está nas vossas mãos. Livrai-me do poder de meus inimigos e perseguidores.
Mostrai semblante sereno ao vosso servo, salvai-me pela vossa misericórdia.
Senhor, não fique eu envergonhado, porque vos invoquei: Confundidos sejam os ímpios e, mudos, lançados na região dos mortos.
Fazei calar os lábios mentirosos que falam contra o justo com insolência, desprezo e arrogância.
Quão grande é, Senhor, vossa bondade, que reservastes para os que vos temem e com que tratais aos que se refugiam em vós, aos olhos de todos.
Sob a proteção de vossa face os defendeis contra as conspirações dos homens. Vós os ocultais em vossa tenda contra as línguas maldizentes.
Bendito seja o Senhor, que usou de maravilhosa bondade, abrigando-me em cidade fortificada.
Eu, porém, tinha dito no meu temor: Fui rejeitado de vossa presença. Mas ouvistes antes o brado de minhas súplicas, quando clamava a vós.
Amai o Senhor todos os seus servos! Ele protege os que lhe são fiéis. Sabe, porém, retribuir, castigando com rigor aos que procedem com soberba.
Animai-vos e sede fortes de coração todos vós, que esperais no Senhor.

Veja também:: Quem foi o autor da Carta contra o Padre Paulo Ricardo? Nós temos um nome… | Caso Padre Paulo Ricardo. Saiba como ajudar! | Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão | Perseguição do clero diocesano de Cuiabá contra o Pe. Paulo Ricardo de Azevedo | Perseguição ao padre Paulo Ricardo | Ajude ao Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Júnior |Padres do Regional Oeste II da CNBB se levantam contra Padre Paulo Ricardo

Siga-nos e fique por dentro das novidades: