Papa Bento XVI:: A oração é o respiro da alma e da vida

Da Rádio Vaticana

Quarta-feira é dia de Audiência Geral. O dia finalmente primaveril favoreceu a presença de inúmeros fiéis e peregrinos na Praça S. Pedro, para ouvir a catequese de Bento XVI. O Papa prosseguiu sua série de reflexões sobre a oração, recordando que para a comunidade cristã ela é prioritária, é sua linfa vital e seu alimento. Nos primórdios da Igreja, a comunidade cristã se encontrou diante do problema de atender aos necessitados.

Nos Atos dos Apóstolos, se relata a decisão tomada, após oração e discernimento, de instituir um grupo de sete homens de boa reputação para exercer mais especificamente o serviço da caridade para com os mais desfavorecidos, essencial para a Igreja. Assim, os Apóstolos poderiam se concentrar na oração e no serviço da Palavra, próprio do seu ministério, sem a pressão de outras atividades que poderiam distrai-los.

Os Apóstolos sabiam da importância seja da contemplação, seja do trabalho caritativo, mas compreendiam a primazia da oração e da proclamação do Evangelho. É a oração que nos torna capazes de ver as coisas de uma maneira nova, e de responder a elas com sabedoria e amparados pelo Espírito Santo.

Por isso, disse o Pontífice, que a atividade pastoral na Igreja começa e se encerra sempre com a oração, pois é o que dá sentido, força e esperança a todo o nosso atuar. Sem ela, se corre o risco de esquecer a alma profunda de nossas atividades, que correm o risco de tornarem automáticas, ditadas somente por critérios pessoais. “Que a oração e a palavra de Deus iluminem o nosso cotidiano e nossas decisões. Deste modo, responderemos a todo desafio e situação com inteligência, compreensão e fidelidade aos desígnios de Deus.”

No final da sua catequese, Bento XVI fez uma síntese em várias línguas. Eis o que disse em português:

Queridos irmãos e irmãs, a Igreja, desde o início, se deparou com situações imprevistas, às quais procurou dar resposta à luz da fé, guiada pelo Espírito Santo. Assim, com o crescimento do número dos discípulos, os fiéis de língua grega começaram a queixar-se que as suas viúvas estavam sendo deixadas de lado. Os Apóstolos, embora cientes de que a prioridade da sua missão era o anúncio da Palavra de Deus, todavia não ignoravam a necessidade de dar assistência aos fracos, pobres e indefesos, segundo o mandato de Jesus: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Por isso, foram escolhidos sete homens de boa fama para o serviço da caridade, ao passo que os Apóstolos se dedicariam inteiramente à oração e ao serviço da Palavra. Este exemplo nos ensina que, no meio das atividades de cada dia, não devemos perder de vista a prioridade da nossa relação com Deus na oração. Num mundo acostumado a avaliar tudo segundo os critérios da produtividade e eficiência, é importante lembrar que, sem a oração, a nossa atividade se esvazia, convertendo-se em puro ativismo, que nos deixa insatisfeitos. A oração deve ser para nós como que a respiração da alma e da vida. 

Uma saudação cordial aos diversos grupos de brasileiros e demais peregrinos de língua portuguesa, nomeadamente aos fiéis da Diocese de Serrinha acompanhados do seu Bispo, Dom Ottorino Assolari. No meio dos inúmeros afazeres diários, é justamente na oração, alimentada pela Palavra de Deus, que encontrareis novas luzes para vos guiar em cada momento e situação. E que Deus vos abençoe a vós e vossas famílias.”

Ouça o Papa:

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s