Jesus a direita do Pai:: Saí do Pai, e vim ao mundo; deixo agora o mundo e volto para o Pai

O caráter velado da glória do Ressuscitado durante esse tempo transparece em sua palavra misteriosa a Maria Madalena “Ainda não subi para o Pai. Mas vai aos meus irmãos e dizer-lhes Eu subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus (Jo 20,17). Isso indica uma diferença de manifestação entre a glória de Cristo ressuscitado e a de Cristo exaltado à direita do Pai. O acontecimento ao mesmo tempo histórico e transcendente da Ascensão marca a transição de uma para a outra. (CIC§ 660)

Sabemos que com a Encarnação de Jesus começam todos os mistérios da nossa fé, e que pela sua Ascensão, etapa final da peregrinação de Cristo neste mundo, encerram-se estes mesmos mistérios acerca da missão do Filho de Deus.

As Escrituras nos ensinam que a após a ressurreição, Cristo apareceu e ficou com seus apóstolos, comendo e bebendo com eles, e os instruindo sobre o Reino, bem como confirmando neles a fé em Sua palavra; mas a sua glória estava ainda encoberta sob as aparências de uma humanidade normal.

Com a sua Ascensão ao Céu o Senhor demonstrou aos seus a sua Divindade e confirmou aos apóstolos que Aquele que esteve com eles e os chamou a servir ao Seu Reino, era de fato Deus verdadeiro. (Cf. At, 1,3).

Cristo subiu aos Céus, porque como estava seu corpo revestido de gloria imortal desde a Ressurreição, era preciso que deixasse esta terra e fosse à sua morada gloriosa na mansão do Céu. São Tomás em sua Exposição ao Credo nos diz:

“Porque o céu era devido a Cristo por exigência da sua natureza. É, com efeito, natural que cada coisa retome à sua origem. Cristo tem sua origem em Deus, que está acima de todas as coisas, conforme Ele mesmo disse: Saí do Pai, e vim ao mundo; deixo agora o mundo e volto para o Pai (J o 16,18). Disse também: ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do Homem que está no céu (Jo 3,13).

Portanto para nós católicos é preciso crer e entender que, Aquele que morreu e ressuscitou, por suas próprias forças retornou ao céu e está à direita de Deus. Todo esse mistério incompreensível aos homens, aconteceu para tenhamos a certeza que Jesus Cristo era verdadeiramente o Filho do Deus vivo, e agora se encontra com Pai. A Ascensão de Cristo é a marca definitiva dessa passagem de Cristo para a glória. Sabemos que Ele está vivo e ressuscitado.

Temos também a certeza de que Ele está no meio de nós, porém não da mesma forma de antes. Hoje Jesus está conosco sim, mas de uma forma diferente. Nós não o vemos, mas Ele nos vê e continua falando ao nosso coração, mas não com uma voz audível. Ele continua agindo em nosso favor, para nos levar a morada eterna.

Entendendo isso, certamente nosso coração permanecerá Nele, agora de uma forma mais intensa e íntima. Aquele que subiu aos céus é o único que pode nos levar para lá.

Dominus Vobiscum

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s