Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 7 e 8

Neste post, São Jerônimo continua a falar sobre o argumento usado por Helvídio para explicar a expressão “até que”.

Capítulo VII

A Palavra de Deus diz em Gênesis: “Entregaram a Jacó todos os deuses estranhos que tinham em suas mãos, e as argolas que penduravam em suas orelhas; e Jacó os escondeu debaixo do carvalho que está junto a Siquém , e continuam perdidos até o dia de hoje”. Igualmente lemos no final do Deuteronômio: “Assim, Moisés, servo do Senhor, morreu ali na terra de Moab, conforme a palavra do Senhor. E foi sepultado no vale, na terra de Moab, defronte de Beth-Peor; até o dia de hoje ninguém sabe o lugar da sua sepultura”. Certamente devemos identificar a expressão “até o dia de hoje” com o tempo da composição da história, podendo vocês preferirem o ponto de vista que afirma que Moisés foi o autor do Pentateuco ou que Esdras o reeditou. Não faço qualquer objeção em ambos os casos. A questão agora é saber se as palavras “até o dia de hoje” se referem à época da publicação ou composição desses livros e, caso o sejam, por que [Helvídio] não mostra – agora que muitos e muitos anos se passaram desde aquele dia – que os ídolos escondidos sob o carvalho ou a sepultura de Moisés foram descobertos, já que ele sustenta, com demasiada teimosia, que certa coisa não pode ocorrer dentro de um espaço de tempo delimitado pela expressão “até que” mas, para que venha a ocorrer, é necessário que atinja aquele ponto delimitado por “até que”?

Ele faria bem se prestasse atenção ao idioma da Sagrada Escritura e compreendesse como nós – já que se encontra mergulhado na lama; certas coisas parecem ambíguas quando não claramente declaradas, emboras outras coisas sejam deixadas assim para exercitar o nosso intelecto. Ora, se ainda quando o evento permanecia fresco na memória daqueles homens que viram e conviveram com Moisés já se desconhecia o local da sepultura, quanto mais agora depois que tantos anos se passaram!

E da mesma forma devemos interpretar o que se conta a respeito de José. O Evangelista apontou uma circunstância que poderia causar escândalo, ou seja, que Maria não foi conhecida por seu marido até dar à luz, e ele (o Evangelista) agiu assim para que tivéssemos a certeza de que ela – de quem José se absteve enquanto havia lugar para dúvidas sobre a importância da visão – não foi conhecida depois de seu parto.

Capítulo VIII

Em resumo: o que eu gostaria de saber é por que José teria se privado [de Maria] até o dia de ter ela dado à luz? Helvídio certamente responderia: “Porque ele ouviu o que o anjo disse: ‘pois o que nela foi gerado provém do Espírito Santo'”. Nós, então, responderíamos a seguir que [José] certamente ouviu o que o [anjo] disse: “José, filho de Davi, não temas em tomar para ti Maria como tua esposa”. A razão pela qual ele estava proibido de repudiar sua esposa era porque não achava que ela fosse adúltera. Seria então verdade que o [anjo] ordenara que não tivesse relações sexuais com sua esposa? Não está suficientemente claro que a advertência feita foi para que não se separasse dela? E poderia o homem justo pensar em se aproximar dela tendo ouvido que o Filho de Deus estava em seu ventre? Ótimo! Vamos então acreditar que o mesmo homem que deu tanto crédito a um sonho, não se atreveu a tocar em sua esposa, mesmo depois, quando ele ouviu dos pastores que o anjo do Senhor desceu dos céus e lhes disse: “Não temais! Eis que vos anuncio uma grande alegria, que o será também para todo o povo: nasceu-vos hoje, na cidade de Davi, o Cristo Senhor”; e após, quando a multidão celeste se juntou ao anjo e entoaram: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade”; e ainda quando o justo Simeão abraçou a criancinha e exclamou: “Podeis levar agora para ti este teu Servo, Senhor, pois os meus olhos viram a tua salvação, conforme a tua palavra”; e também quando [José] viu a profetisa Ana, os Magos, a Estrela [de Belém], Herodes, os anjos…

Eu diria então: quer Helvídio nos fazer acreditar que José, muito bem inteirado de tamanhas maravilhas, ousaria tocar o templo de Deus, a morada do Espírito Santo, a mãe do seu Senhor? Maria mantinha todos esses eventos “guardados em seu coração”. Vocês não podem cair na vergonha de dizer que José desconhecia tudo isso, pois Lucas nos diz: “Seu pai e sua mãe ficavam maravilhados das coisas que diziam a Seu respeito”.

E vocês ainda afirmam, arrogantemente, que a leitura dos manuscritos gregos é corrupta, embora seja exatamente isso que todos os escritores gregos fizeram constar em seus livros, e não apenas eles, mas também muitos escritores latinos interpretaram as palavras da mesma forma… E nem precisaremos considerar as variações existentes nas cópias, pois todos os registros existentes, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, se encontram assim desde que foram traduzidos para o Latim; portanto, devemos crer que a água da fonte brota mais pura que a [água] do rio.

Veja Também:: Capítulos 1 e 2 | Capítulos 3 e 4 | Capítulo 5 e 6

( Tradução: José Fernandes Vidal e Carlos Martins Nabeto – Central de Obras do Cristianismo Primitivo)
O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  
Anúncios

14 comentários sobre “Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 7 e 8

  1. O que é belíssimo reparar, é o fato que sempre que uma heresia saía da boca do herege, Deus já tinha enviado um Gigante para destruí-la e o depósito da Fé continuar sempre sem mancha.

    Gnósticos – recalcados por Santo Agostinho.
    Arianos – estraçalhados por Santo Atanásio.
    Nestorianos – refutados por São Cirílio.
    Helvídicos – derrotados por São Jerônimo.

    E assim vieram inúmeras heresias que os Santos Padres com a força do Santo Espírito que os guiou em guardar a Fé!

  2. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 9 e 10 « Dominus Vobiscum

  3. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 11 e 12 « Dominus Vobiscum

  4. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 13 e 14 « Dominus Vobiscum

  5. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 13 e 14 « Dominus Vobiscum

  6. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 16 « Dominus Vobiscum

  7. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 17 « Dominus Vobiscum

  8. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 18 « Dominus Vobiscum

  9. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 19 « Dominus Vobiscum

  10. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 20 « Dominus Vobiscum

  11. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 21 « Dominus Vobiscum

  12. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 22 « Dominus Vobiscum

  13. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 23 « Dominus Vobiscum

  14. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 24 « Dominus Vobiscum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s