Evangelho do Dia:: A importância do perdão

Do Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu. Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar terá de responder em juízo. Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar ‘imbecil’ será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar ‘louco’ será réu da Geena do fogo. Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta. Com o teu adversário mostra-te conciliador, enquanto caminhardes juntos, para não acontecer que ele te entregue ao juiz e este à guarda e te mandem para a prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá até que pagues o último centavo. (Mt 5,20-26)

Comentário feito por São Francisco de Assis (1182-1226), fundador dos Frades Menores

Todos os irmãos terão o cuidado de não caluniar ninguém, de evitar palavras de discussão. Pelo contrário, tentem guardar silêncio enquanto o Senhor lhes der a graça para isso. Não discutirão entre si nem com outras pessoas mas esforçar-se-ão por responder humildemente: Somos servos inúteis (Lc 17,10). Não se irritarão: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar ‘imbecil’ será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar ‘louco’ será réu da Geena do fogo. Amar-se-ão uns aos outros, conforme a palavra do Senhor: O que vos mando é que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei (Jo 15,12). Por atos testemunharão o amor que devem ter uns pelos outros, conforme as palavras do apóstolo João: Não amemos com palavras nem com a boca, mas com obras e com verdade (1Jo 3,18).

Não ultrajarão ninguém; não difamarão, não denegrirão ninguém; porque está escrito que o Senhor odeia os bisbilhoteiros e os maldizentes; devem ser modestos, mostrando sempre amabilidade para com todos os homens, (Tt 3,2; Rm 1,29-30). Não devem julgar nem condenar, como diz o Senhor (Lc 6,37). Não julgarão nem os mais pequenos pecados dos outros, mas reflectirão sobre os seus próprios pecados na amargura do seu coração (cf. Is 38,15). Esforçar-se-ão por entrar pela porta estreita, pois, diz o Senhor: «Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, porque Eu vos digo que muitos tentarão entrar sem o conseguir» (Lc 13,24; Mt 7,13-14).

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Dom Luiz Gonzaga Bergonzini: Morre um grande defensor da vida!

+ Dom Bergonzini (1936-2012) +

Essa semana eu fui acometido de uma crise de labirintite terrível e por isso deveria ficar de molho afastado dos computadores. Mas como fazer isso, diante da triste notícia que recebi?

Hoje o blog Dominus Vobiscum está de luto. Aliás, não apenas este blog, mas acredito que todos os blogueiros católicos. Faleceu o querido Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo emérito de Guarulhos, São Paulo. Segundo as notícias recebidas, morreu vítima de complicações respiratórias.

Dom Luiz era um desses incansáveis batalhadores. Era um grande defensor da vida. Lutou de forma ativa pelos direitos dos nascituros e dos anencéfalos.

Ficou conhecido nacionalmente por ser Co-Autor de um manifesto que lembrava aos católicos da proibição do voto em candidatos, partidos ou coligações que defendessem o aborto de qualquer espécie. Mesmo recebendo inúmeras críticas inclusive de padres e bispos católicos, nunca desanimou e continuou firme honrando o seu compromisso com o Deus da vida.

Hoje este santo homem deixa de lutar pela vida aqui na terra, para interceder no céu por nós que continuamos lutando para defender a vida em qualquer instância.

Se você é um defensor da vida e não está acamado como eu, faça o possível para prestar as suas últimas homenagens a este santo bispo.

Horários das missas e do funeral:

13/06 ( 19h30m) – Missa de Corpo presente na Catedral Nossa Senhora Imaculada Conceição.

14/06 (10h00) – Missas de Corpo Presente de 2 em 2 horas, na Catedral Nossa Senhora Imaculada Conceição

14/06 (16h00) – Missa seguida do sepultamento na própria Catedral Nossa Senhora Imaculada Conceição.

Endereço: Praça Tereza Cristina. n. 01, Centro, Guarulhos.

Que Dom Luiz Gonzaga Bergonzini seja bem recebido no céu e que continue intercedendo pela vida para que ganhemos a batalha da Defesa da Vida!

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

As Sagradas Escrituras – Segundo livro da série Dominus Vobiscum

Graças a Deus consegui nesta semana publicar o segundo livro da série Dominus Vobiscum. Neste segundo volume vamos conversar sobre as Sagradas Escrituras ou simplesmente a Bíblia. A idéia aqui é mostrar aos católicos o que é a Palavra de Deus como nós devemos tratar a Bíblia.

É um livro para aqueles que estão começando a conhecer a fé católica, para evangelizadores e catequistas em geral, e sobretudo para os católicos que desejam conhecer a posição da Igreja com relação a mesma.

Eis a sinopse do livro:

Todos os católicos são chamados a se alimentar assiduamente da Palavra de Deus, buscando nela um crescimento da sua fé e respostas as suas dúvidas. Porém para que isso realmente aconteça, é necessário saber o que ela é, e o que ela representa para nós católicos.

Este livro fala da Bíblia de um modo diferente. Quer mostrar ao leitor católico como a Igreja vê a palavra de Deus e como fazer um bom uso dela, inclusive nos momentos individuais de espiritualidade.

Mergulhe no Universo da Palavra de Deus, que junto com a Tradição Apostólica e o Magistério da Igreja, constitui o “trio” que mostra ao povo de Deus a vontade de Senhor para nós!

Este livro tem o prefácio escrito pelo querido amigo Carlos Martins Nabeto, um dos pioneiros na defesa da Fé Católica pela internet (que para mim foi um misto de honra e alegria). A correção ortográfica ficou por conta da amiga Mônica Jesus.

Outra novidade deste volume, é que os momentos de oração ao término de cada capítulo serão baseados no livro dos Salmos, para que o leitor comece a rezar a Santa Igreja o faz.

Assim como o primeiro livro, As Sagradas Escrituras só pode ser comprado pela internet. Convido você a conferir a página do livro e deixar lá o seu recado de apoio, e se puder, adquirir um exemplar.

Agradeço ao Senhor Jesus por mais este material de evangelização que chega a mão dos leitores. Que Nossa Senhora e todos os padroeiros do blog possam abençoar a todos que desejarem através deste livro, conhecer mais da palavra de Deus.

Para adquirir o livro As Sagradas Escrituras clique aqui

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 11 e 12

Ainda estudando a Carta de São Jerônimo contra Helvídio, vamos ler agora o que ele fala sobre a expressão “até que” e sobre o fato de vermos na Bíblia a palavra “primogênito”.

Capítulo XI

Darei agora uma resposta mais ampla a respeito das palavras “antes que coabitassem” e “não a conheceu até que deu à luz a um filho”. Mas devo observar primeiro que a minha resposta segue a ordem do argumento dele até o terceiro ponto, pois ele dirá que Maria teve outros filhos quando cita a passagem: “E José se dirigiu até a cidade de Davi, para se inscrever com Maria, sua noiva, que estava grávida. Enquanto lá estavam, completaram-se os dias para o parto e ela deu à luz ao seu filho primogênito”. Esforça-se, assim, para provar que o termo “primogênito” só pode ser aplicado a uma pessoa que teve outros irmãos e que, no caso, seriam filhos de seus pais.

Capítulo XII

Nossa posição é esta: todo filho único é primogênito mas nem todo primogênito é filho único. Por primogênito entendemos não apenas aquele que pode ser sucedido por outros, mas aquele que não teve predecessor. Assim diz o Senhor a Abraão: “Todo aquele que abrir o útero, de toda a carne, será oferecido ao Senhor; tanto de homens como de animais, será teu. Contudo, os primogênitos dos homens deverão ser resgatados; também os primogênitos dos animais impuros resgatarás”.

A palavra de Deus define “primogênito” como todo aquele que abriu o útero. Ora, se o título pertence apenas àqueles que têm irmãos mais jovens, então os sacerdotes não poderiam reivindicar o primogênito até que outros sucessores nascessem, pois, caso contrário, isto é, se não houvesse outros partos, seria necessário provar o estado de primogênito e não simplesmente o de filho único.

“E aqueles que devem ser resgatados com um mês de idade, devem ser resgatados , de acordo com tua estimativa por cinco siclos [de moedas], além do siclo do santuário. Mas o primogênito de um boi ou de uma ovelha ou de uma cabra, não deverás resgatar; eles são sagrados”. A palavra de Deus me compele a dedicar a Deus o que quer que abra o útero se for o primogênito de animais puros; se de animais impuros, devo resgatá-lo, dando o valor devido ao sacerdote.

Poderia replicar: Por que me sujeitais ao curto espaço de um mês? Por que falais do primogênito, quando não posso dizer que há irmãos que irão nascer? Esperai até que nasça o segundo filho.

Não explico nada ao sacerdote, como se apenas o nascimento do segundo desse ao primeiro que tive a condição de primogênito. Não deveria, ao pé da letra, chamar-me e convencer-me de louco, se em vez de declarar que primogênito é um título devido àquele que rompe o útero, pretendesse restringir essa condição àqueles que após terão irmãos? Então, tomando o caso de João: estamos de acordo que ele foi filho único; eu precisaria saber se ele não foi também filho primogênito, e se não foi absolutamente sujeito à lei. Não há dúvidas quanto a isso.

À toda hora a Escritura assim fala do Salvador: “E quando chegou o dia de sua purificação, de acordo com a lei de Moisés, eles o levaram a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor [como está prescrito na lei do Senhor, todo macho que abre o útero deve ser consagrado ao Senhor] e para oferecer em sacrifício de acordo com o que é prescrito na lei do Senhor, um par de rolinhas ou duas pombas novas”. Se esta lei se refere somente aos primogênitos, e esses deveriam ser os primogênitos com irmãos sucessores, ninguém seria obrigado pela lei se não pudesse afirmar que houve sucessores. Mas visto que, como aquele que não tem irmãos mais novos, é sujeito à lei do primogênito, deduzimos que é chamado primogênito aquele que abre o útero da mãe e que não foi precedido por ninguém, e não aquele cujo nascimento foi seguido por outro de irmão mais novo.

Moisés escreve no Êxodo: “E acontecerá ao passar da meia-noite que o Senhor ferirá todos os primogênitos das terras do Egito, desde o primogênito do Faraó que reina em seu trono até os primogênitos dos cativos que estiverem nas prisões; e todos os primogênitos do acampamento”. Diga-me: eram os que pereceram pelas mãos do Exterminador somente seus primogênitos, ou alguém mais, ou seja, os filhos únicos? Se somente aqueles que tinham irmãos eram chamados primogênitos, somente os filhos únicos escaparam da morte. E se, de fato, os filhos únicos foram trucidados, isso se opõe à sentença pronunciada, porque nascidos para morrer eram somente os primogênitos. Você deverá ou livrar os filhos únicos da pena, e nesse caso, se tornará ridículo; ou, se concorda que eles foram mortos, ganhamos a questão, embora não tenhamos de lhe agradecer isso, porque os filhos únicos eram também primogênitos.

Veja Também:: Capítulos 1 e 2 | Capítulos 3 e 4 | Capítulo 5 e 6 | Capítulos 7 e 8| Capítulos 9 e 10

( Tradução: José Fernandes Vidal e Carlos Martins Nabeto – Central de Obras do Cristianismo Primitivo)

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Evangelho do Dia:: O Bem aventurado João Paulo II nos explica o que é o pecado contra o Espírito Santo

Do Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, Jesus chegou a casa com os seus discípulos. E de novo a multidão acorreu, de tal maneira que nem podiam comer. E quando os seus familiares ouviram isto, saíram a ter mão nele, pois diziam: Está fora de si! E os doutores da Lei, que tinham descido de Jerusalém, afirmavam: Ele tem Belzebu! E ainda: É pelo chefe dos demónios que expulsa os demónios. Então, Jesus chamou-os e disse-lhes em parábolas: Como pode Satanás expulsar Satanás? Se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode perdurar; e se uma família se dividir contra si mesma, essa família não pode subsistir. Se, portanto, Satanás se levanta contra si próprio, está dividido e não poderá subsistir; é o seu fim. Ninguém consegue entrar em casa de um homem forte e roubar-lhe os bens sem primeiro o amarrar; só depois poderá saquear-lhe a casa. Em verdade vos digo: todos os pecados e todas as blasfémias que proferirem os filhos dos homens, tudo lhes será perdoado; mas, quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca mais terá perdão: é réu de pecado eterno. Disse-lhes isto porque eles afirmavam: Tem um espírito maligno. Nisto chegam sua mãe e seus irmãos que, ficando do lado de fora, o mandam chamar. A multidão estava sentada em volta dele, quando lhe disseram: Estão lá fora a tua mãe e os teus irmãos que te procuram. Ele respondeu: Quem são minha mãe e meus irmãos? E, percorrendo com o olhar os que estavam sentados à volta dele, disse: Aí estão minha mãe e meus irmãos. Aquele que fizer a vontade de Deus, esse é que é meu irmão, minha irmã e minha mãe. (Mc 3,20-35)

Comentário feito pelo Bem-Aventurado João Paulo II

Por que razão é a blasfêmia contra o Espírito Santo imperdoável? Em que sentido devemos entender esta blasfêmia? São Tomás de Aquino responde que se trata de um pecado imperdoável pela sua própria natureza, porque exclui aqueles elementos graças aos quais é concedida a remissão dos pecados. Segundo tal exegese, a blasfêmia não consiste propriamente em ofender o Espírito Santo com palavras; consiste, antes, na recusa de aceitar a salvação que Deus oferece ao homem mediante o mesmo Espírito Santo, que age em virtude do sacrifício da Cruz. Se o homem rejeita este deixar-se convencer quanto ao pecado, que provém do Espírito Santo e tem carácter salvífico, rejeita contemporaneamente a vinda do Consolador: aquela vinda que se efetuou no mistério da Páscoa, em união com o poder redentor do Sangue de Cristo, o Sangue que purifica a consciência das obras mortas.

Sabemos que o fruto desta purificação é a remissão dos pecados. Por conseguinte, quem rejeita o Espírito e o Sangue permanece nas obras mortas, no pecado. E a blasfêmia contra o Espírito Santo consiste exactamente na recusa radical desta remissão de que Ele é o dispensador íntimo, e que pressupõe a conversão verdadeira, por Ele operada na consciência. Se Jesus diz que o pecado contra o Espírito Santo não pode ser perdoado, nem nesta vida nem na futura, é porque esta não-remissão está ligada, como à sua causa, à não-penitência, isto é, à recusa radical da conversão.

A blasfêmia contra o Espírito Santo é o pecado cometido pelo homem, que reivindica o seu pretenso direito de perseverar no mal — em qualquer pecado — e recusa por isso mesmo a Redenção. O homem fica fechado no pecado, tornando impossível da sua parte a própria conversão e também, consequentemente, a remissão dos pecados, que considera não essencial ou não importante para a sua vida. É uma situação de ruína espiritual, porque a blasfêmia contra o Espírito Santo não permite ao homem sair da prisão em que ele próprio se fechou.

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Congresso dissidente no Brasil promove teologia contrária à doutrina católica

Você lembra da Legião do Mal do desenho Super Amigos?

Quando eu era pequeno, costumava assistir um desenho da Liga da Justiça, onde os Super-Heróis como Superman e Batman, se uniam para enfrentar a Legião do Mal, comandada por Lex Luthor, Coringa, Charada, Homem Brinquedo e muitos outros. Estes bandidos tinham uma espécie de nave que emergia de um tenebroso pântano e lá eles se reuniam para planejar o próximo plano fatal para dominar o mundo.

Essa foi a imagem que tive tão logo saber da notícia que vou descrever agora: Dos dias 7 a 11 de outubro, teólogos e pensadores sancionados pela Igreja por espalhar ideias contrárias a doutrina católica irão se reunir para participar de um congresso que deseja equiparar o Concílio Vaticano II a famigerada teologia (marxista) da libertação. Sente só o tema: Aos 50 anos do Vaticano II e 40 anos da Teologia Latino-americana e Caribenha”.

Eis a escalação da Legião do Mal

Agora vamos a apresentação dos organizadores, palestrantes e afiliados:

Pontifícia Universidade Javeriana da Colômbia – que há poucos dias apoiou a adoção de crianças por casais homossexuais.

Grupo de pressão Amerindia e a agência informativa de cunho marxista Adital – Tem entre seus colunistas o frade dominicano brasileiro Carlos Alberto Libânio Christo, mais conhecido como “Frei Betto”, que promove a despenalização do aborto.

Andrés Torre Queiruga – Teólogo cujas obras foram recentemente consideradas incompatíveis com a doutrina da Igreja pela Conferência Episcopal Espanhola.

Leonardo Boff – Considerado um dos principais promotores da teologia marxista da liberação, quem na década de 90 abandonou o sacerdócio, casou-se, e se afastou da Igreja Católica para converter-se em “ecoteólogo de matriz católica” dedicado a escrever livros de ecologia e “espiritualidade”.

Jon Sobrino – sacerdote jesuíta e líder entre os teólogos marxistas, também se apresentará no congresso latino-americano apesar da suas idéias “não estarem de acordo com a doutrina da Igreja”, como opinou a Congregação para a Doutrina da Fé no ano 2007 através de uma notificação oficial.

O Bispo de Jales (SP), Dom Luiz Demétrio Valentini – Conhecido por suas posturas favoráveis à teologia marxista da libertação. Este bispo causou repúdio dos católicos em abril deste ano ao dar uma palestra em uma loja maçônica e anteriormente por ter criticado Dom Luiz Gonzaga Bergozini, bispo emérito de Guarulhos, por ter defendido o direito à vida contra o aborto durante toda a campanha presidencial de 2010.

María del Pilar Aquino – Teóloga que qualificou o pontificado do hoje Beato Papa João Paulo II como autoritário, centralista, conservador e imperialista, dará uma exposição sobre “Teologia e Espiritualidade libertadora”.

Víctor Codina – O jesuíta espanhol e radicado na Bolívia que em um escrito considerou a Igreja Católica como uma velha míope, surda e com Alzheimer, dará a conferência “As Igrejas no Continente 50 anos depois do Vaticano II: questões pendentes”.

Raúl Fornet Betancourt – Filósofo que sustenta que para a realização da “opção pelos pobres” difundida pelos teólogos marxistas da libertação é necessária uma opção “por outro mundo, e por outra Igreja e por outro cristianismo”, participará do congresso com a exposição “Novos sujeitos e interculturalidade”.

A conferência aberta será dada pelo sacerdote Gustavo Gutiérrez, teólogo peruano considerado o pai da teologia marxista da liberação, no dia 9 de outubro.

O congresso, apesar de seu suposto caráter religioso, não prevê a celebração de Missa em nenhum dos seus cinco dias, neles apenas serão realizados “momentos de espiritualidade”, os quais estão baseados em temáticas como a entronização da Bíblia, o ecumênico e o indígena.

Agora pense comigo: Parece ou não parece a Legião do Mal que se reunia no pântano tenebroso para acabar com a Liga da Justiça? Eu particularmente prefiro a dos desenhos. Me causava menos medo!

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Evangelho do Dia:: Ela deu tudo quanto possuía

Do Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, Jesus ensinava a multidão, dizendo: Tomai cuidado com os doutores da Lei, que gostam de exibir longas vestes, de ser cumprimentados nas praças, de ocupar os primeiros lugares nas sinagogas e nos banquetes; eles devoram as casas das viúvas a pretexto de longas orações. Esses receberão uma sentença mais severa. Estando sentado em frente do tesouro, observava como a multidão deitava moedas. Muitos ricos deitavam muitas. Mas veio uma viúva pobre e deitou duas moedinhas, uns tostões. Chamando os discípulos, disse: Em verdade vos digo que esta viúva pobre deitou no tesouro mais do que todos os outros; porque todos deitaram do que lhes sobrava, mas ela, da sua penúria, deitou tudo quanto possuía, todo o seu sustento. (Mc 12,38-44) 

Comentário feito pelo Papa Bento XVI

É muito significativo o episódio evangélico da viúva que, da sua pobreza, lança no tesouro do templo tudo o que tinha para viver (Mc 12,44). A sua pequena e insignificante moeda tornou-se um símbolo eloquente: esta viúva dá a Deus, não o supérfluo, não tanto o que tem, mas sobretudo aquilo que é; entrega-se totalmente a si mesma.

Este episódio comovedor está inserido na descrição dos dias que precedem imediatamente a paixão e morte de Jesus, o Qual, como observa São Paulo, Se fez pobre para nos enriquecer pela Sua pobreza (cf. 2Cor 8,9); entregou-Se totalmente por nós. A Quaresma, nomeadamente através da prática da esmola, impele-nos a seguir o Seu exemplo. Na Sua escola, podemos aprender a fazer da nossa vida um dom total; imitando-O, conseguimos tornar-nos disponíveis para dar, não tanto algo do que possuímos, mas a nós próprios. Não se resume porventura todo o Evangelho no único mandamento da caridade? A prática quaresmal da esmola torna-se, portanto, um meio para aprofundar a nossa vocação cristã. Quando se oferece gratuitamente a si mesmo, o cristão testemunha que não é a riqueza material que dita as leis da existência, mas o amor. Deste modo, o que dá valor à esmola é o amor, que inspira formas diversas de doação, segundo as possibilidades e as condições de cada um.

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Estudo: O justo juiz:: Enquanto Ele não vem, o que temos que fazer?

Foto do blog Derradeiras Graças:: http://www.derradeirasgracas.com

Já presente em sua Igreja, o Reino de Cristo ainda não está consumado “com poder e grande glória” (Lc 21, 17) pelo advento do Rei na terra. Esse Reino é ainda atacado pelos poderes maus, embora estes já tenham sido vencidos em suas bases pela Páscoa de Cristo. Enquanto tudo não for submetido a ele, “enquanto não houver novos céus e nova terra, nos quais habita a justiça, a Igreja peregrina leva consigo em seus sacramentos e em suas instituições, que pertencem à idade presente, a figura deste mundo que passa, e ela mesma vive entre as criaturas que gemem e sofrem como que dores de parto até o presente e aguardam a manifestação dos filhos de Deus” Por este motivo os cristãos oram, sobretudo na Eucaristia, para apressar a volta de Cristo, dizendo-lhe: “Vem, Senhor” (Ap 22,20) (CIC§671)

Que a santidade da minha vida, apresse o Senhor e Ele logo virá! (Mons. Jonas Abib)

Depois do meu encontro pessoal com Cristo (já nem lembro mais o ano), um fato me marcou: Estava na missa, quando na homilia o padre começou a falar sobre a segunda vinda do Senhor Jesus. A sua pregação, diga-se de passagem totalmente embasada na doutrina católica, me fez pensar que um dia Jesus pode voltar. Este dia pode ser daqui a mil anos ou pode ser amanhã: Ninguém sabe!

Porém o padre me fez perceber que embora Jesus seja o Senhor, apenas quando Ele voltar na sua “segunda vinda” seu poder será de fato consumado. Por enquanto ainda somos afetados pelo inimigo de Cristo.

Até a vinda gloriosa do Senhor precisamos nos manter protegidos: A Igreja é a barca de Jesus que caminha nos mares tenebrosos, protegendo aos que nela se abrigam. Nela os fiéis recebem os sacramentos e todo apoio para entender o que nem sempre conseguimos ver: A batalha espiritual que travamos diariamente.

Como filhos de Deus, nós precisamos entrar e permanecer dentro da barca de Cristo, lutando para sermos bons filhos: católicos que doam tudo, dia a pós dia, para ser melhores! Nossa missão como católicos é, enquanto a vinda de Cristo não acontece, estarmos preparados para este momento glorioso. Enquanto ele não vem, temos que seguir os seus ensinamentos, buscar os sacramentos, rezar e sobretudo viver uma vida de santidade.

Quando fazemos isso, estamos apressando esta vinda do Senhor. E mais: Como não sabemos quando será a vinda do Senhor, é preciso estar pronto e preparado como as virgens que tinham óleo nas lamparinas. No momento em que Ele chegar não haverá tempo para mais nada! Portanto caríssimos, nada de moleza! Santidade agora! Santidade já!

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 9 e 10

Espero que estejam gostando desta série onde estamos publicando os escritos de São Jerônimo em defesa de Maria Santíssima. Agora publicaremos mais dois capítulos onde ele vai refutar outro argumento de Helvídio: o fato dos evangelhos chamarem os amigos e discípulos de Jesus de irmãos.

Capítulo IX

Helvídio poderá responder: “O que você diz é, na minha opinião, insignificante. Seus argumentos foram perdidos no tempo e esta discussão demonstra mais astúcia do que verdade. Por que a Escritura não diria como diz de Tamar e Judá: ‘E ele a tomou como sua esposa e jamais a conheceu’? Porque Mateus não usou estas palavras se quisesse mesmo expressar esse significado? Ele diz claramente: ‘e não a conheceu até que deu à luz a um filho’. Logo, após o parto, certamente a conheceu, pois se privou dela até o momento do parto”.

Capítulo X

Se vocês são tão contenciosos, deveriam com suas próprias idéias testar o vosso mestre. Vocês não devem permitir que se faça uma separação entre o parto e o intercurso (sexual). Não devem dizer: “Se uma mulher conceber e tiver um menino, será imunda sete dias; assim como nos dias da impureza de suas regras, será imunda. No oitavo dia, circundar-se-á o prepúcio do menino e, durante trinta e três dias, ela ficará ainda purificando-se do seu sangue e não tocará em qualquer coisa sagrada” e outras coisas semelhantes. Devem recordar que se José se aproximasse dela, estaria sujeito à reprovação de Jeremias: “São como cavalos de lançamento bem nutridos, que andam relinchando cada um à mulher do seu próximo”.

De outra maneira, como se explicariam as palavras “e não a conheceu até que deu à luz a um filho”, se ele ainda deveria aguardar o término do tempo de purificação, pois senão o seu desejo acabaria por sofrer com um período ainda mais longo, de 40 dias? A mãe precisava se purificar da mácula de seu filho recém-nascido de modo que este ficava sob os cuidados da parteira, enquanto o marido apoiava sua esposa enfraquecida. Portanto, é certo que [José e Maria] se casaram, já que o Evangelista não pode ser acusado de ter mentido. Mas Deus nos livre de pensarmos tais coisas a respeito da mãe do Salvador e de um homem justo! Nenhuma parteira assistiu ao nascimento de Jesus; nenhuma mulher se intrometeu ali. Com suas próprias mãos [Maria] envolveu o Menino em pedaços de pano; ela mesma foi mãe e parteira, e, como nos é relatado, “O colocou numa manjedoura, pois não havia nenhum quarto para eles na pousada”; eis a declaração [canônica] que refuta as estórias apócrifas, pois foi Maria mesma que o envolveu em pedaços de pano e o que se sucederia a partir daí torna impossível a maliciosa idéia de Helvídio, uma vez que não havia um local adequado para o ato sexual naquela pousada.

Veja Também:: Capítulos 1 e 2 | Capítulos 3 e 4 | Capítulo 5 e 6 | Capítulos 7 e 8

( Tradução: José Fernandes Vidal e Carlos Martins Nabeto – Central de Obras do Cristianismo Primitivo)
O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Evangelho do Dia:: O próprio Davi Lhe chama de Senhor

Do Evangelho Quotidiano

Naquele tempo, ensinando no templo, Jesus tomou a palavra e perguntou: Como dizem os doutores da Lei que o Messias é filho de Davi? O próprio Davi afirmou, inspirado pelo Espírito Santo: Disse o Senhor ao meu Senhor: ‘Senta-te à minha direita, até que ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés’. O próprio Davi chama-lhe Senhor; como é Ele seu filho? E a numerosa multidão ouvia-o com agrado. (Mc 12,35-37)

Comentário feito por Santa Gertrudes de Helfta (1256-1301), freira beneditina

Quem é semelhante a Ti, meu Senhor Jesus Cristo, meu doce amor, tão imenso e grandioso, e que atende às coisas mais humildes (Sl 112,6)? Quem entre os deuses é como Tu, ó Senhor (Ex 15,11), Tu que escolheste as coisas fracas deste mundo (1 Co 1,27)? Quem é como Tu, que fizeste os céus e a terra […], e queres encontrar as Tuas delícias com os filhos dos homens (Prov 8,31)? Como é a Tua grandeza, ó Rei dos reis e Senhor dos senhores (1 Tim 6,15), Tu que comandas os astros e pões sobre o homem o Teu coração (Job 7,17)? Quem és Tu, que tens à Tua direita as riquezas e a glória (Prov 3,16)? […] Ó amor, até onde abaixas a Tua majestade? Amor, aonde conduzes a fonte da sabedoria (Prov 18,4)? Certamente até ao abismo da miséria. […]

Vem, vem, vem: eu venho, eu venho, eu venho a Ti, amoroso Jesus, que tenho amado, procurado, desejado. Por causa da Tua bondade, da Tua compaixão e do Teu amor, amando-Te com todo meu coração, com toda a minha alma, com todas as minhas forças (Lc 10,27), eu me rendo ao Teu apelo.

O homem, Deus e a Religião - Adquira já o seu!
Siga-nos e fique por dentro das novidades: