Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 15

Devido a correria que tomou conta da minha vida, fiquei devendo aqui os demais capítulos da Carta de São Jerônimo a Helvídio, na qual ele defende a Virgindade de Maria, a Mãe de Deus. Peço desculpas. Aos poucos teremos novidades aqui no blog: Novos colaboradores estarão escrevendo no Dominus Vobiscum. Com isto você terá todos os dias, novos posts para o seu crescimento espiritual! Hoje retomamos a partir do capítulo quinze. Para ver os posts anteriores, logo abaixo clique nos links!

CAPÍTULO XV

Que cegueira, que raivosa loucura o leva à sua própria destruição! Você (Helvídio) diz que a mãe do Senhor estava presente ao pé da cruz; diz que ela foi confiada ao discípulo João por causa de sua viuvez e condição de soledade, como se no ponto de vista de sua própria afirmação, ela não tivesse quatro filhos e numerosas irmãs, com o conforto dos quais ela poderia se apoiar? Você também lhe dá o nome de viúva, que não se encontra na Escritura. E embora cite, a cada momento, o Evangelho, somente as palavras de João lhe desagradam. Você diz, de passagem, que ela estava presente ao pé da cruz porque parece que você não a omitiu de propósito, e contudo [não diz] nenhuma palavra sobre as mulheres que estavam com ela. Poderia perdoá-lo se fosse ignorante, mas vejo que você tem uma razão para suas omissões.

Deixe-me destacar então o que João disse: “Mas estavam de pé junto à cruz de Jesus sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, a esposa de Cléofas, e Maria Madalena”.

Não há nenhuma dúvida que existiam dois apóstolos chamados pelos nomes de Tiago: Tiago, o filho de Zebedeu, e Tiago, o filho de Alfeu. Por acaso você tem em vista que o comparativamente desconhecido Tiago o menor, que é chamado nas Escrituras filho de Maria, não contudo de Maria a mãe do Nosso Senhor, era apóstolo ou não ? Se era um apóstolo, devia ser o filho de Alfeu e um crente em Jesus, “porque nem seus irmãos acreditavam n’Ele”. Se não era um apóstolo mas um terceiro Tiago (que possa ser, não sei), como poderia ser tido como o irmão do Senhor, e como, sendo um terceiro, poderia ser chamado “menor” para ser destinguido do “maior” , porquanto maior e menor são usados para mostrar relação existente não entre três, mas entre dois? Observe, ainda mais, que o irmão do Senhor é um apóstolo, uma vez que Paulo diz: “Então depois de três dias eu fui a Jerusalém para visitar Pedro e fiquei com ele quinze dias. Mas não vi nenhum outro dos apóstolos, a não ser Tiago, irmão do Senhor”. E na mesma Epístola: “E quando eles perceberam a graça que me foi concedida, Tiago, Pedro e João que eram considerados os pilares” etc.

E você não poderá supor que esse Tiago fosse o filho de Zebedeu, bastando para isso ler os Atos dos Apóstolos, onde você encontrará que esse último já tinha sido trucidado por Herodes. A única conclusão é que a Maria que é descrita como a mãe de Tiago o menor era a esposa de Alfeu e irmã de Maria, a mãe do Senhor, aquela que é chamada por João Evangelista “Maria de Cléofas”, seja por filiação, seja por parentesco, seja por outra razão.

Mas se você julga que são duas pessoas porque em outro lugar lemos: “Maria a mãe de Tiago menor” e aqui: “Maria de Cléofas”, você terá a aprender ainda que era costume na Escritura dar diferentes nomes ao mesmo indivíduo. Raguel, sogro de Moisés, é chamado também de Jetro. Gedeão, sem nenhuma outra razão aparente para a troca, de repente se torna Jerubbaal. Ozias, rei de Judá, tem, como nome alternativo, Azarias. O Monte Tabor é chamado Itabyrium. Igualmente, o Hermon é chamado pelos fenícios Sanior, e pelos amorreus Sanir. O mesmo pedaço do país é conhecido por três nomes: Negebb, Teman e Darom, em Ezequiel. Pedro é também chamado Simão e Cefas. Judas, o zelote, em outro Evangelho é chamado Tadeu. Há numerosos outros exemplos que o leitor pode por si mesmo colecionar, em toda a Escritura.

Veja Também:: Capítulos 1 e 2 | Capítulos 3 e 4 | Capítulo 5 e 6 | Capítulos 7 e 8| Capítulos 9 e 10 | Capítulos 11 e 12 | Capítulos 13 e 14

( Tradução: José Fernandes Vidal e Carlos Martins Nabeto – Central de Obras do Cristianismo Primitivo)

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  
Anúncios

9 comentários sobre “Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 15

  1. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 16 « Dominus Vobiscum

  2. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 17 « Dominus Vobiscum

  3. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 18 « Dominus Vobiscum

  4. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 19 « Dominus Vobiscum

  5. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 20 « Dominus Vobiscum

  6. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 21 « Dominus Vobiscum

  7. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 22 « Dominus Vobiscum

  8. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 23 « Dominus Vobiscum

  9. Pingback: Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulo 24 « Dominus Vobiscum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s