Casamento no campo? Na fazenda? Na praia? Sai fora católico! É furada!

Via de regra a Igreja Católica Apostólica Romana não permite matrimônios fora de uma igreja ou capela devidamente provisionados.

Então você aceitou o pedido do(a) noivo(a) e enfim vai se casar… Que lindo! Preparem-se: Vem ai uma maratona que vai tirar você do sério! Roupa, convites, padrinhos, doces, festa, salão, decoração, igreja, celebrante… Só de lembrar a maratona que travamos para realizar nosso casamento já me sinto cansado! É bem verdade que minha esposa correu mais do que eu. Dizem que as mulheres se envolvem mais do que os homens, e no meu caso isso foi bem real!

Porém você que é católico apostólico romano e deseja se casar dentro das normas da Igreja Católica Apostólica Romana fique atento: Casamento feito dentro da Igreja Católica Apostólica Romana não pode ser realizado fora de uma Igreja Católica Apostólica Romana (estou repetindo várias vezes para reforçar que essa observação é para membros da nossa igreja).

Se você é membro da Igreja Católica Apostólica Romana e sempre sonhou casar em um belo jardim, ou em uma praia, ou no topo de uma montanha me desculpe, mas este tipo de casamento em geral não é permitido! Se o padre com quem você conversou disse que você pode casar a vontade, ele está errado. Das duas uma: Ou ele não é um Padre da Igreja Católica Apostólica Romana, ou ele está em desobediência a Igreja. Na minha opinião, padres desobedientes precisam ser denunciados!

Segundo as normas da Igreja, (Cân. 1118, § 1 do Direito Canônico):

O Sacramento do Matrimônio deve ser celebrado na própria Igreja Paroquial de um dos Noivos, ou em outra Igreja ou Oratório provisionado pelo Bispo para a celebração do Culto Religioso.

Trata-se, de fato, de um Sacramento, ato religioso solene, que faz parte da vida da Igreja. Por isso o Direito Canônico sublinha a importância de celebração num lugar sagrado, onde se manifesta principalmente a vida de fé e de oração do Povo cristão. Portanto:

  1. O matrimônio deve ser celebrado somente nas Matrizes e Capelas provisionadas.
  2. É proibido em clubes, hotéis, sítios, chácaras, fazendas e locais de lazer ou recepção.

Caso você deseje casar em um local fora da Igreja, e tenha um bom motivo para isso (e é preciso um excelente motivo), você tem uma possibilidade muito, mas muito pequena. Para isso, você deve solicitar ao bispo da sua diocese essa possibilidade e é bom ter “o” motivo, porque em geral 99,9% dos pedidos são recusados. Se ele liberar seu casamento fora da Igreja então tudo bem.

Agora se o bispo fizer o trivial rejeitando seu pedido em casar fora de uma igreja, e ainda assim o padre, ligado a Igreja Católica Apostólica Romana desobedecer ao bispo diocesano, veja o que pode ocorrer com ele:

  1. O Sacerdote, ou Diácono, que assistir o casamento, ou der bênção nupcial ou qualquer outra bênção que possa criar interpretação de casamento em locais impróprios, pode ser suspenso de Ordem, isto é, fica proibido de exercer seu ministério sagrado.
  2. E quem fizer isso por dinheiro, incorre no reato de Simonia, pelo qual pode ser punido com Interdito ou com Suspensão de Ordem, à norma do Cânon 1380 do Direito Canônico.
  3. E o Sacerdote, ou Diácono, que sugerir essas práticas de casamento a Leigos, também incorre na mesma pena.

E o que a Igreja quer fazer com isto?

Ela quer preservar o sacramento. Sim caríssimos, o matrimônio é um sacramento que precisa ser respeitado! O Matrimônio não é uma festinha legal de uns amigos que resolveram “juntar os trapos”. É um sacramento indissolúvel! E para tal, deve acontecer dentro de uma Igreja ou capela, na qual acontecem celebrações litúrgicas (missas). É algo que é selado por Deus e precisa acontecer na Casa de Deus!

Por isso você que é católico apostólico romano e vai casar, fique atento com esses “padres” que querem fazer seu casamento fora das nossas igrejas. Repito: Se aparecer algum padre maluco querendo realizar seu casamento fora da Igreja, denuncie! Lembrando ainda que casamentos feitos por “padres” da Igreja Católica Apostólica BRASILEIRA, Igreja Católica Apostólica CARISMÁTICA e outras do tipo não são reconhecidos pela Igreja Católica Apostólica Romana. É sempre bom checar se o “padre” que vai realizar seu casamento é de fato ligado a Igreja Católica Apostólica Romana. Prudência e caldo de galinha nunca fizeram mal a ninguém.

A você que vai casar, desejo muito sucesso e felicidades! É uma decisão para todo sempre! Mas reitero: Cuidado com esses sonhos malucos. O que torna um casamento inesquecível não é o lugar onde ele é celebrado, mas o amor que os noivos tem um pelo outro e a fé que ambos tem no Senhor Jesus! Casamento você encontra em várias igrejas e lugares. Matrimônio como um sacramento somente na Igreja Católica Apostólica Romana em uma igreja onde se celebra missas. Entendeu ou quer que eu desenhe?

Pax Domini

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  
Anúncios

56 comentários sobre “Casamento no campo? Na fazenda? Na praia? Sai fora católico! É furada!

      • Sr. Deyvison,
        Desculpe-me pelo que vou dizer, mas a matéria postada não depende da sua concordância ou discordância. Tampouco da minha. Aqui eu não estou dando uma opinião, mas dizendo o que a Igreja ensina e como a Igreja procede. Se o Senhor discorda, deve procurar o bispo. Esta matéria é informativa e não opinativa. Pax Domini.

    • Eloisa, a princípio para que um evangélico possa se casar com uma católica ele precisará conversar com o padre da paróquia que vai exigir uma certa postura dele. Em breve escreverei sobre isso com mais detalhes. Aguarde!

      Pax Domini

      • Bom dia. Eu e meu marido nos casamos na igreja. Vamos completar 25 anos de casados, ou seja bodas de prata. Procurei a igreja em que nos casamos, que é a nossa paróquia para renovar os nossos votos e fazer a bênção das novas alianças. Mas o padre recusou, pois alegou que não poderia marcar, pois a prioridade era para casamentos e o pior mandou que eu procurasse outra igreja. Temos toda uma história nesta paróquia. Os meus pais se casaram lá, eu fiz a primeira comunhão, meu marido fez a crisma, nos casamos, nossos dois filhos foram batizados e nós estudamos na escola da igreja. Tendo em vista a decisão do padre chego a conclusão que não interessa à esta paróquia manter seus fiéis na igreja e nem renovar os votos do casamento, pois um casamento deve render mais dinheiro à igreja. Estamos muito tristes com a igreja. Acho que nós resta pedir uma bênção no salão de festas das nossas bodas de prata. Beatriz Matos.

      • Beatriz, você está certa e o padre errado. Vá ao bispo da sua Diocese e leve o caso a ele.
        Não se entristeça. Infelizmente na igreja ainda temos padres assim, mas não podemos desanimar e nem culpar toda a igreja por causa de alguns indivíduos.
        Em oração por você.

        Att,
        Dominus Vobiscum

  1. Precisamos de mais matérias esclarecedoras, pois infelizmente, muitas coisas acontecem na nossa IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA, de forma errada, passam por cima de muitas coisas, acham que NOSSA Igreja é casa mal arrumada. Eu já sabia deste termo. Mas existem muitas coisas mais que precisam ser levadas à público.
    Parabéns pela matéria.

  2. Desculpa mas apesar de ser católico praticante, eu não concordo com esta postura da igreja não…! Sinceramente acho bastante superficial pensar que só será sacramento se for feito na igreja…! Quer dizer que se eu e minha noiva, católicos, minha família reunida, meus amigos reunidos em função de nossa felicidade num síito ou local fora da igreja não podemos receber o sacramento?? O curso de noivos serve para quê? concordo que há casos e casos, mas aí que acho que o padre deveria acompanhar a vida do casal, ver o motivo do casamento … como se faz por exemplo para a crisma e até mesmo a comunhão que se os responsáveis concluirem que a pessoa não está preparada ela não recebe o sacramento… mas se a “única” regra é casar na igreja isso, para mim, é uma regra bastante fraca… e o “a igreja somos nós” ou “onde um ou mais estiverem reunidos eu ali estarei”… meus irmãos, não concordo em nada com modernismos, mas acho que a igreja deveria repensar certas posturas, pois atitudes como estas afastam cada vez mais as pessoas da igreja… e, infelizmente terei que falar, mas 90% das pessoas vão pensar que isto acontece porque a igreja quer receber o $$$ que se paga (todos sabemos que o valor de um casamento é caro!). Enfim, acho que esta postura traz mais malefícios que comunhão para a igreja.

    • Caro Luiz,

      Vc tem todo direito de concordar ou não, afinal de contas vc tem o livre arbítrio. Porém eu penso diferente de você: A Igreja não é onde todo nós estamos. A Igreja é o local destinado ao culto e sando o Matrimônio um Sacramento nada mais justo que fazê-lo na Igreja. Aliás, quase todos sacramentos são feitos em solo santo (batismo, primeira comunhão, crisma, ordenação…). Apenas a unção dos enfermos não. Logo se vê que o seu conceito a respeito do Templo Sagrado é um tanto quanto equivocado. E como diz Arnaldo César Coelho, a regra é clara: Você até poderia casar fora da Igreja, desde que o seu bispo permita. Caso ele não permita (99,9% dos casos ele não permite), das duas uma: Ou você obedece e fica na graça, ou desobece e cai na desgraça, afinal de contas que não está na graça está na des (fora) – graça.

      A reunião da família e dos amigos podem e devem ser feitas. Mas o sacramento como tal precisa ser celebrado no Templo de Deus. Para a reunião, existem os locais apropriados.

      Quanto a questão dos preços dos casamentos, penso que em alguns lugares realmente são caros sim. Porém fica uma pergunta: Quem contribui pra a manutenção do templo? Você é dizimista? Conhece muitos dizimistas? Ajuda com a manutenção da sua paróquia?

      Existem paróquias que depois do casamento tem que tirar toda a parafernália que os noivos colocam na Igreja: Folhas, flores, etc, etc, etc… Será que é justo que os paroquianos limpem tudo… de graça? A luzes colocadas para que fotógrafos e cinegrafistas façam as filmagens sai do bolso da paróquia.

      Eu particularmente sou da seguinte opinião: Se você vai casar e é dizimista a pelo menos um ano, deveria sim se fazer um abatimento. Agora os “católicos de IBGE” que só vão a uma missa por ano, e não sabem nem o que é uma paróquia devem sim pagar mais caro (desde que seja um preço justo)!

      Resumindo: Vc tem o direito de concordar ou não com essa premissa da Igreja, mas para que o seu casamento seja válido dentro da Igreja Católica Apostólica Romana, só casando na Igreja. São as decisões que tomamos que nos fazem católicos de fato ou católicos de IBGE.

      Não quero aqui afrontar a sua opinião, mas faço questão de dizer que para ser um católico praticante precisamos muitas vezes renunciar nosso querer e fazer o que se deve.

      Pax Domini

      • Essa premissa da Igreja me deixou bastante triste…meu avô Católico Apostólico Romano e centenário não pôde assistir ao meu casamento (primeira neta a casar) porque não conseguimos autorização para levar a cerimônia até seu sítio, já que ele estava impossibilitado de se deslocar…ele era a pessoa que eu mais queria ver porque valoriza os ensinamentos e Sacramentos da Santa Igreja e teve o cuidado de passar isso para toda família. Acho que esse era um bom motivo, mas não foi aceito…

      • Paz de Cristo, não queria mais afrontou, meu irmão, foi um texto apelativo.Eu vejo verdades no questionamento do Luiz Mieiro. E quanto aos casamentos realizados anteriormente fora da igreja são inválidos? Porque antes podia.

      • Senhora Maria da Conceição,
        Como falei no texto, o casamento fora da Igreja é possível, desde que o bispo autorize.
        A questão é que hoje a orientação é para que os casamentos sejam dentro das Igrejas.
        Ai não é questão de gostar ou não, mas de conversar com o seu padre ou bispo. No entanto no caso de uma negativa, ai é a sua vez de saber se obedece ou não. E ai é uma questão de obediência e catolicismo. Quanto a isso eu não posso fazer nada.
        Procure uma paróquia e pergunte sobre esta possibilidade. A senhora ouvirá do padre a mesma resposta que viu aqui.
        Talvez com palavras mais doces. Mas como eu não sou de açúcar…

        Dominus VObiscum

      • eu acho que se confudem casamento com sacrameto do matrimonio casamento se faz em qualquer lugar agora sacramento do matrimonio tem que ser na igreja porque é sacramento e não casamento porque casamento se divorcia e sacramento não

      • Que texto mais utópico! Seria lindo se as paróquias não pensassem em dinheiro e lucro! Sou católica, amo a minha igreja, quero me casar de acordo com o que ela propõe, mas vamos deixar de hipocrisia!? Casar em igrejas tradicionais é caríssimo, burocrático, estressante. Normalmente há filas de espera e se você não tiver o dinheiro ou não for filha (o) de “pessoas importantes”, acaba perdendo a vaga. E desde quando essas regras funcionam de verdade? Desde quando um padre é afastado se celebrar o casamento da filha de um governador na praia ou no sítio? Coisas que valem para os pequenos, não valem para os grandes! Sempre foi assim e que Deus encoraje o Papa Francisco a mudar essa realidade. Vamos fazer um texto para ajudar a nossa igreja a ser melhor e não ficar condenando quem escolhe outro lugar para ser abençoado, ou simplesmente “junta os trapos”. Vamos ajudar as arquidioceses a pararem com essa palhaçada de manter esses cerimonialistas mal preparados, mal educados, que acham que estão nos fazendo um favor? Só no ano passado, eu fui em 5 casamentos. Todos os meus amigos noivos sofreram, passaram por estresses absurdos, para não dizer raiva. Não são “católicos praticantes”, são pessoas envolvidas completamente na vida da Igreja, que sonharam com esse momento durante anos. Em uma das cerimônias, as portas laterais foram fechadas antes dos convidados saírem do local. Na outra, a cerimonialista cortou as músicas (litúrgicas) já acordadas em inúmeras reuniões. Outro casal não teve autorização de tirar uma foto com os pais em frente ao altar, depois da cerimônia, sabe por quê? Porque a celebração não pode ultrapassar 40 minutos. Nessa altura, a outra noiva já está pronta para entrar e os convidados misturados dentro da igreja. As paróquias só impedem outros lugares de acolher as celebrações porque o lucro vai todo para elas. Até aí, tudo bem! Quer cobrar? Então respeite os sonhos das pessoas que estão ali. Faça bem feito, com satisfação e profissionalismo. Já vi padres trocarem o nome do casal, falar um tanto de abobrinhas porque não conversaram com eles antes, não sabia nada da história deles. Sou contra os exageros litúrgicos, a comercialização do sacramento, a não preparação dos noivos para viverem esse sacramento santo, a não escolha de um sacerdote amigo para acompanhá-los até o altar. Agora, as paróquias têm que cumprir o seu papel. Vamos encarar as nossas dificuldades ao invés de ficar enfiando o dedo no nariz dos outros, apontando o que é certo o que é errado? Muitas pessoas fazem as cerimônias nos sítios, praias, clubes, realmente por falta de conhecimento ou por viver a sua religião de uma maneira superficial. Outros não. Optam por esse momento para rezarem, para estarem em comunhão com a família e amigos sem pressa, para vivenciarem suas reflexões em paz, sem se preocupar com os 30 min que estão quase estourando. É justo, é cristão, você sofrer durante 1 ano, 1 ano e meio, correr, se cansar, gastar horrores, para viver o seu momento com pressa, do jeito que você não planejou!? Da mesma forma que há casamentos sem a essência do matrimônio nos sítios e praias, dentro dessas igrejas deslumbrantes, dentro das paróquias, casais fazem a vontade do bispo, mas estão lá comungando sem saber o que é a Eucaristia, sem viver os mandamentos, sem ter noção do sacramento do matrimônio. Vão e voltam para batizar o filho, ou quando morre alguém. Deus abençoava o povo de Israel que se casava no deserto, que fazia as celebrações nas vilas. Da mesma forma, as primeiras comunidades cristãs não tinham templos para realizar as uniões. Tudo se alicerçava na bênção do sacerdote/apóstolo, na Palavra de Deus e no cumprimento dos seus ensinamentos. Claro que esse processo da Igreja é importante. É importante ter um controle de quem foi ou não casado, isso é amor e zelo pelos filhos. Mas vamos parar de julgar, ok? Vamos observar as leis, mas não abandonar o amor e a misericórdia. Vamos ajudar a nossa Igreja a ser mais humana e acolhedora em seu pastoreio. Comercialização do sacramento, algumas paróquias e arquidioceses não querem que outros façam, para elas próprias fazerem. Oremos mais, falemos menos besteiras!

    • É engraçado né… na bíblia se diz que Onde um ou mais estiverem reunidos em meu nome, ali eu estarei… Mas pra casamento não vale… muito bom saber disso.

      • Fernanda não se trata disso.
        A Igreja se preocupa com o sacramento e não com a vontade dos pombinhos de fazer um casamento ostentação.
        A pergunta que não quer calar: Por que as pessoas querem casar na igreja se não querem casar na igreja?

        Pax Domini

  3. Bom, para começar.. interessante o fato de pôr em negrito algumas partes do seu texto, mostrando exatamente uma postura intrasigente e inflexível, impondo uma postura até contrária a dita “proposta” do blog que era conversar e trocar idéias… mas bem, vamos por partes: minha família é sim dizimista, eu também sou dizimista a quase 15 anos, fui coordenador de crisma de minha paróquia (não sou mais porque tive que mudar de cidade por conta de trabalho), participava de um grupo que tocava nas missas todos os domingos, cursei o mater ecclesiae (não sei se já ouviu falar) e não, não estou equivocado quando digo que ” a igreja somos nós”… não quero ficar aqui trocando citações e fazendo citações disso ou aquilo, mas dê uma olhada no catecismo da igreja católica que lá aparece o que falei… agora, outro ponto: não sei de qual paróquia vc se refere, mas em nenhuma vc (noivos) podem sair e deixar tudo sujo para trás.. por favor, não seja emocional e fique citando “a regra é clara”… cuidado, pois um dia esta regra pode não ser tão clara para vc em uma determinada situação e vc vai pirar… dizer que a pessoa vai ficar em desgraça é no mínimo inconsequente!

    nestas pesquisas por conta deste assunto (até como encontrei seu blog), descobri que as pessoas podem sim se casar na igreja anglicana, dentre outras e o sacramento ser válido pela católica romana…

    Em princípio, o casamento válido nao é um privilégio da Igreja Católica, pode ocorrer entre protestantes, entre nao cristaos e até mesmo entre ateus. O casamento é uma instituiçao natural e de direito natural (nao de direito eclesiástico). Sobre esse sacramento diz o Código de Direito Canônico:

    Cân. 1055 § 1. O pacto matrimonial, pela qual o homem e
    mulher constituem entre si o consórcio de toda a vida, por sua
    índole natural ordenado ao bem dos cônjuges e à geração e
    educação da prole, entre batizados foi por Cristo Senhor
    elevado à dignidade de sacramento.
    § 2. Portanto, entre batizados não pode haver contrato
    matrimonial válido que não seja por isso mesmo sacramento.
    Cân. 1056 As propriedades essenciais do matrimônio são a
    unidade e a indissolubilidade que, no matrimônio cristão,
    recebem firmeza especial em virtude do sacramento.

    O próprio Canôn diz o que é que faz o Matrimônio, coisa que pode ocorrer na Igreja Católica ou fora dela. O matrimônio se faz pelo consentimento e se esse existiu de fato, no caso do seu irmao, o matrimônio é válido e indissolúvel, se nao existiu, simplesmente nao houve matrimônio e a pessoa está livre para se casar.

    Cân. 1057 § 1. É o consentimento das partes legitimamente
    manifestado entre pessoas juridicamente hábeis que faz o
    matrimônio; esse consentimento não pode ser suprido por
    nenhum poder humano.
    § 2. O consentimento matrimonial é o ato de vontade pelo qual
    um homem e uma mulher, por aliança irrevogável, se
    entregam e se recebem mutuamente para constituir
    matrimônio.

    para terminar, cuidado com o “São as decisões que tomamos que nos fazem católicos de fato ou católicos de IBGE.” … cuidado…!

    • Olá!
      Não vou ficar aqui dando justificativas sobre os textos que ponho em negrito ou não. Não sou intransigente de forma alguma. Se assim fosse poderia não ter aprovado seu comentário. Depois quando citei a questão dos dizimistas, não me referi a você e a sua família. Apenas falei que na minha opinião, os custos de um casamento para um dizimista deveriam ser menores. Terceiro, fico feliz pelas paróquias em que você passou ter casamentos onde depois da cerimônia alguém é pago para limpar e organizar tudo. Em muitas das paróquias em que passei eu experienciei esse fato.

      Por fim, alguns casamentos em Igrejas protestantes são sim reconhecidos pela Igreja Católica Apostólica Romana, porém é preciso que para ser consolidado ele siga os preceitos aceitos pela Igreja. Casamentos celebrados pela Igreja Católica Apostólica Brasileira ou coisa parecida não são válidos! Além do mais fica muito feio para católicos praticantes desobedecer a sua Igreja, casar em outra só porque querem casar numa casinha de sapê!

      “São as decisões que tomamos que nos fazem católicos de fato ou católicos de IBGE.”

      Pax Domini

  4. Mais uma vez acho que a colocação é mais do que simplesmente “querer casar numa casinha de sapê”… que ao meu ver não há mal algum se o casal está devidamente acompanhado por uma equipe de curso de noivos e possui vínculo com a igreja… agora, se esta é a posição hoje da igreja, tenho certeza que existe um motivo, mas se pararmos para pensar que a bem pouco tempo atrás as missas, por exemplo, eram em latim e o celebrante ficava de costas para a assembléia… veja bem, mais uma vez eu digo que sou muito contra modernismos, padres-estrelas e etc… mas acredito que de certa forma cabe a nós, leigos, atingidos ou não por determinados assuntos, pararmos para questionar e (por que não) de certa forma ajudar a melhorar a nossa igreja, nossa comunidade… não falo de modernizar para ficar atrativa, mas de valorizar o que há de melhor, por que… sinceramente isto que estamos discutindo nem é tão sério assim.. não é verdade?!

    um outro exemplo é o assunto preferido dos professores de histórias e esquerdistas de plantão… mas é fato que a igreja mandava matar e queimar qualquer um por qualquer motivo na idade média… hoje é um absurdo não é? mas na época era a situação em que viviam, era a realidade da época e não podemos julgar com os olhos de hoje… o mesmo vale para todos os assuntos dentro da igreja… porque será que mudou-se em tantas coisas???

    acredito que aceitar tudo e pronto e de certa forma, classificar como de 2a categoria ou de categoria inferior (católico de IBGE) os que “ousam” questionar alguma coisa é uma atitude que se assemelha ao que vemos hoje com os fundamentalistas islâmicos.. qual a diferença? eles também não acham que fazem o que fazem em nome de Deus e por Deus???!!!!

    mas do que se intitular “católico de verdade” .. até porque quem dá este título??? há algum certificado ou marca que distingue o tal “católico puro-sangue”?? … prefiro ser e formar católicos que amam a religião e a igreja não só pelas regras e pela obediência cega, mas católicos que pensam e ajudam e amam a igreja pelo que ela representa e pelo motivo que fez com que o próprio Deus a criasse.

    • Realmente a questão é mais do que a casinha de sapê. A questão aqui se dá entre a obediência e a questionamento. Neste blog optamos pela obediência que ao longo da vida na Igreja gerou santos e modelos de santidade. Os exemplos de contestação são inúmeros e na grande maioria das vezes infrutíferos: Boff, Beto, Lutero… Foi do questionamento que surgiram grandes heresias. Longe de mim dizer que o senhor é herege. Ao contrário, acredito que o senhor é um bom católico. Mas a linha que divide o questionamento e a heresia é muito tênue e prefiro não correr este risco e prefiro ensinar aos meus leitores aquilo que a Igreja ensina.

      Nossa missão neste blog é ensinar a doutrina da Igreja e não contestá-la e é o que vamos continuar fazendo. Nossa missão é somar e não dividir. O Senhor citou a Mater Eclease em um dos seus comentários. Eu conheci Dom Estevão e pelo que percebi era sim um homem extremamente obediente a Igreja. É isso que vamos pregar aqui goste ou não.

      Católicos questionadores INFELIZMENTE temos aos montes. Católicos que lutam e se esforçam para ser obedientes são mosca branca. Mas são esses que ficam como referência a nossa fé.

      Pax Domini!

  5. Meu noivo é católico e eu sou evangélica,não sei como proceder, observei em alguns casamentos em que a noiva casou no jardim da igreja católica com um padre celebrando, é possível que arquidiocese libere esse tipo de casamento no jardim da igreja ?

    Desde de já agradeço!

    • Então…
      Ai é que vem o problema. Em geral, para um protestantes se casar em uma cerimônia católica, precisa ser em uma igreja católica e a parte protestante precisa conversar com o sacerdote, se comprometendo com uma série de coisas (ai vc saberá no momento da conversa com o sacerdote). Acho que a melhor coisa é vc ir com seu noivo na Igreja e conversar com o sacerdote. Ele lhe dará uma posição mais concreta, haja vista que ele vai considerar o histórico de vocês.

      Sei que não ajudei muito, mas como essas situações levam-se muito em conta o caso de cada um, é bom solicitar ajuda de quem pode conversar pessoalmente com vocês.

      Pax Domini

  6. Eu vi que algumas pessoas não concordam com o casamento fora da igreja, vou colocar a minha opinião: o rito do casamento tem a santa eucaristia, para fazer o casamento no campo teria que ter uma capela montada para guardar a santa Eucaristia que os noivos receberão, porém acredito que nem todos os noivos se comprometem a fazer isso, então pra não ficar uma coisa desorganizada e por não ter onde colocar a Santa Eucaristia que é uma coisa tão sagrada pra nós acredito que proibiram pra não ter problemas, uma vez que teria que ter uma ministra da Eucaristia pra ficar na capela o tempo todo e tal, nem todo noivo tem essa noção, e acho que em alguns casos o procedimento não seria feito de forma correta!

  7. Sabe é por isso e por outras coisas que cada dia mais eu me revolto com a igreja católica, e não venham de moralismo, são feitas tantas coisas erradas, na Bíblia diz que o que faz a igreja são pessoas juntas orando, e não o local, se você quer um casamento dos seus sonhos em um campo, e não é uma ideia maluca, Sim você pode ter, os Padres poderiam muito bem abençoar isso, porque não existe erro, porque vc ama aquela pessoa e é isso que importa, quantos casamentos na igreja acabam em divórcios, quantas pessoas ficam nos bancos da frente da igreja e todos sabem que são ladrões e corruptos, penso, que não é assim que funciona, e dessa maneira cada vez mais a igreja católica irá perder fieis. Sou católica apostólica romana, mas não sou alienada, e sim questiono, e não vejo isso como errado.

    • Pax Domini!

      Jessyka antes de mais nada obrigado pela visita. A questão aqui é a recomendação que a Igreja faz. Todo mundo é livre para ser católico ou não, e questionar ou não, mas não sei até que ponto isto resolve a situação, haja vista que a Igreja não muda de posição por causa disso. Penso que em um jogo de futebol, quem entra no jogo sabe as regras e se pega a bola com a mão e não é goleiro comete falta. Ser católico implica em obedecer aquilo que a Igreja ensina, questionando ou não.

      Muitos casamentos acabam em divórcio infelizmente, mas sinceramente não entendi o que isto tem a ver com o fato do casamento ser celebrado dentro ou fora das igrejas.

      Pax Domini

  8. Gostaria de saber se um casamento celebrado fora da igreja (num salao de festa) que tem uma certidão da igreja católica apostila grego- antiquina e valido. Ou nao e valido e essa pessoa pode se casar na igreja católica apostila romana. Obrigada

  9. Oi Cadu, olha só, quando eu e meu noivo decidimos no casar, eu vi esse post no seu blog, me assustei, chorei, e corri atrás…procurando achei vários padres, eles casam os casais nas Igrejas antes do casamento no sítio por exemplo, e no dia marcado do casamento vão até o local e fazem a cerimônia normalmente!

  10. Olá Cadu,

    Sou noiva e tenho algumas dúvidas e como vejo que você é uma pessoa esclarecida sobre a religião católica gostaria de tirá-las com você: Meu noivo é católico, porém, não frequenta a igreja. Eu sigo os princípios espiritas de Allan Kardec (linha do médium Chico Chavier). Bem, pensamos em casar com um padre apenas por que a família do meu noivo é religiosa e eles estranhariam um cerimonialista. Já aprendi pelo seu blog que um padre Católico Apostólico Romano não fará a cerimonia num sítio, mas você acredita que um outro possa fazer? Ainda mais por que pretendo levar alguém do meu centro para dizer algumas palavras durante a cerimônia. Acredita que isso poderia ser um impedimento?!

    Uma dúvida à parte agora: Para vocês Católicos Apostólicos Romanos todas as demais pessoas que não se casam na igreja não são casados? Ex: Evangélicos, Umbandistas, casais que fazem a cerimonia com cerimonialistas, pessoas que casam na praia etc?

    Muito obrigado!!!

    • Oi Thais, pax Domini!

      Desculpe a demora, mas as atividades do dia a dia me fizeram ausentar-me por um tempo deste espaço.
      Não se te informar se um outro “padre” faria ou não o casamento fora da Igreja. Não conheço a fundo essas outras seitas que levam nome de “católicos”. Caso você deseje casar na Igreja, lembre-se que acreditando ou não você professará uma promessa indelével diante do altar, ou seja é irreversível.

      Acho muito difícil algum padre concordar com a presença de alguém espírita em uma cerimônia católica. A crença da reencarnação e da ressurreição são incompatíveis. Se algum padre concordar com isso ele estará cometendo um erro contra a fé católica e isto é muito grave.

      Quanto a questão de considerar casamentos em outras religiões, a Igreja Católica em geral não legitima este tipo de união. Algumas Igrejas Protestantes sim, mas muito poucas. Cerimônias fora da Igreja Católica para nós são ilegítimas, tanto que se a pessoa um dia se converter terá que se casar novamente. Espero ter respondido as suas dúvidas.

      • OK.

        Vou verificar ainda como sera feito o casamento, pois, apesar de não ser católica, penso que o casamento é único e pelo que pesquisei todas as demais igrejas denominadas “catolicas” realizam casamento de pessoas divorciadas e isso é um pouco contra o que acredito.
        Gostaria que a igreja católica romana fizesse nosso casamento no campo e que respeitasse minha religião permitindo assim alguém que não seja católico no altar, mas imaginava que isso seria difícil mesmo.

        De toda forma, agradeço suas explicações!

  11. Cadu , eu sou católico , e minha noiva não é batizada , mais toda sua família é da congregação do Brasil , onde não podem participar de um casamento dentro da igreja . A igreja Católica me permitiria casar -se fora em um lugar onde seja bom para os ambos ? e se fosse apenas um cerimonialista seria permitido ? desde já obrigado

    • Julianderson, estou na mesma situação que vc, so que no meu caso eu é que sou da Congregação Cristã e meu namorado da Católica.. gostaria de saber o que decidiram fazer, que atitude tomaram a respeito disso…
      Cadu, gostaria de saber sua opinião a respeito disso.

  12. Com todo respeito ao padre. Gostaria de pedir para que pense antes de falar ou escrever.
    Dizer frases como: entendeu ou quer que eu escreva? ou fazer outras agressões do gênero não é um bom comportamento para nenhum tipo de educador. O educador deve se portar na postura como tal, pois o que ele diz, muitos aceitam como verdade sem discutir. O senhor é um gerador de opinião, e deve estar atento a palavras tão fortes como as que escreveu acima.

    Em relação ao casamento fora da igreja, eu discordo completamente. Creio que ou o casamento deve ser proibido fora da igreja ou permitido. O bispo não poderia escolher à sua vontade, algo tão importante.
    Aqui, gostaria de acrescentar também, que discordo de muitas regras que a igreja impõe e força os fiéis a segui-las, dizendo que todos irão para o inferno, caso não cumpram.
    Este é um comportamento que muito me irrita pois, temos centenas de fatos históricos onde anos depois, voltam atrás e mudam de opinião. A igreja a alguns anos atrás foi responsável por uma gigantesca quantidade de mortes, conhecida como idade das trevas, e chegou a queimar vida Joana d’Arc, para depois santificá-la como santa.

    Como pode algo ser proibido e digno de te endereçar ao inferno, te rotular como pecador, e poucos anos depois, não ser mais?
    Por isto, mesmo estando escrito nas regras da igreja, não devemos tomar como verdade absoluta as regras da igreja, apenas as regras de Deus.
    Estamos sempre em evolução, e nunca devemos agredir aos nossos semelhantes, muito menos condenar-lhes ou julgar-lhes como pecadores.

    • Olá!
      Antes de tudo não sou padre, mas um leigo que estuda teologia.
      Segundo, nada do que disse são palavras minhas mas do catecismo da Igreja.
      Terceiro, a sua indignação não é contra a minha forma de escrever, mas porque expressei o que a Igreja pensa, que é diferente do que você pensa.

      Depois, a questão aqui não é o fato de você ou eu concordar ou não. Minha opinião não importa e me desculpe, a sua também. A questão aqui é informar os católicos (membros da Igreja Católica) o que a Igreja ensina. Aqui neste blog não há espaço para relativismos. Eu mostro o que a Igreja diz. Agora se o católico que lê o blog resolve obedecer a Igreja ou fazer do seu jeito, ai já não tenho este poder. Porém quem assume ir contra o que a Igreja diz, precisa saber o que a Igreja pensa. O resto é com você!

      Por fim, nem tudo que os historiadores do iluminismo informaram e hoje constam nos livros de história do MEC são de fato verídicos. Se deseja saber o que a Igreja fez ou não de fato na História Medieval, busque historiados competentes como por exemplo Thomas E. Woods ou Paul F. Crawford. Existem diversos historiadores mega conhecidos no cenário atual, lecionando em grandes universidades do mundo, que hoje questionam as acusações à Igreja Católica. A história atual há muito tem desmentido mitos que talvez seu professor de história tenha ensinado para você.

      Rezo para que você realmente pesquisa e conheça a verdade. Do contrário levará a sua fé a uma vida de “achismos” e isso não é salutar.

      Ah, e casamento fora da Igreja Católica, para católicos realmente católicos só com a permissão do bispo. Do contrário é na Igreja como preza a regra.

      Pax Domini

      • Nossa.. já pensaram se o Cadu, com todo respeito, fosse um homem com poderes sobrenaturais como Jesus? Amo a Igreja Católica Apostólica Romana mas com os comentários dele …

      • Olá!
        Em primeiro lugar, Jesus não foi um homem com poderes sobrenaturais. Jesus é Deus. O Filho de Deus Vivo.
        Se eu tivesse os poderes de Jesus, não seria eu, mas Deus.

        Agora como eu não sou, não quero ser, e nem me arvoro a ser Deus, eu sigo a quem Ele me indica: A Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Tento viver o que ensina e ensinar o que ela diz. E com relação aos casamentos, o que ela diz é: Em casos ordinários, os casamentos devem ser nas Igrejas. Ponto final. O choro é livre e o mi mi mi é opcional.

        Agora o que não entendo é por que as pessoas querem casar na Igreja se não querem casar na Igreja?
        Casem-se no campo oras! Mas chamem um juiz de paz!
        Casamento dos sonhos é uma coisa: Pode ser no campo, na fazenda, no mar, em Las Vegas, em uma estribaria ou na Avenida Paulista em uma quarta feira as 18h00. Já o matrimônio é outra coisa! Matrimônio não é um mega evento social onde a mocinha pode fazer tudo que sempre sonhou e transformar a Igreja no fantástico mundo da Barbie. Matrimônio é um sacramento onde as pessoas fazem um compromisso eterno um com o outro e com Deus. Matrimônio sugere primeiramente obediência. E é na Igreja, dentro de uma Igreja. Ou fora se você conseguir a autorização do bispo.

        Não gostou paciência. A finalidade deste blog não é agradar, mas ensinar o que a diz.

        Pax Domini.

  13. Bom dia!

    Muito interessante e esclarecedor o texto.
    Uma pena que essa regra não seja aplicada a todos.
    Pois, “vira e mexe” são noticiadas união entre artistas em celebrações realizadas por padres da igreja apostólica romana, porém fora da igreja… Com os padres “stars”, Pe. Antonio Maria, Pe Marcelo Rossi, Pe Fabio de Melo e Pe Juarez de Castro….

    • Olá Carolina,
      A questão é simples: Se o bispo autoriza tem, senão não tem.
      Eu não sei se estes casos foram autorizados pelos seus respectivos bispos. Mas sei que alguns casos alguns destes padres foram severamente punidos. Um deles por exemplo celebrou em um determinado estado um casamento ilegítimo e foi proibido de celebrar naquele estado por uns setes anos. Resumindo: Sabemos que essas coisas acontecem, mas não nos atentamos para o desenrolar da história! 🙂

      Pax Domini

  14. ou somos catolicos e obedecemos a santa mae igreja ou abandonamos a igreja de cristo nao tem meio termos.quem pega no cabo do arado e olha para tras

  15. Só gostaria de entender porque uma missa, inclusive as solenes, podem ser campais ou ao ar livre, celebradas em ginásios e estádios de futebol e o casamento, não. Sou católica apostólica romana, mas pra mim, existem incoerências. Se a missa, pode, por que o casamento não pode?

  16. Olá Cadu, achei bem interessante o texto, vou casar no próximo ano e nossa ideia inicial era celebrar o casamento a céu aberto mesmo.

    Residimos em Maringá/PR. e escolhemos casar no local onde futuramente será construído o Santuário de Schoenstatt, naquele local existe uma capela e um salão de eventos, ambos já receberam celebrações de casamento. A nossa ideia ainda é realizar em céu aberto e fizemos o pedido à Diocese da cidade.

    Ao contrário da maioria dos locais onde são requeridos, o esse “jardim” se trata de local sagrado, foram realizadas missas campais além de semanalmente serem realizadas reuniões de cunho religioso. Estamos esperançosos na autorização, assim que obtivermos resposta passamos o feed back.

    Parabéns pelo blog e como disse, queremos casamento segundo os mandamentos da Igreja e seguiremos aquilo que nos autorizarem. Um abraço

  17. Boa Tarde estou com um dilema
    Eu e meu noivo somos catolicos e queremos um casamento religioso catolico .
    ja minha sogra e o padastro do meu noivo sao envangeicos e nao entram na igreja catolica.
    Sera que explicando a situacao ao bispo ele compreendera minha situacao e aceitara meu casamento em uma chacara ?

    • Converse com o bispo e converse com seus sogros também.
      Afinal se você e seu noivo são católicos, vocês tem o direito de casar na igreja na qual vocês professam a sua fé.

  18. Olá Cadu, parabéns pela página eu tenho uma dúvida, eu sou católica (batizada quando bebê) mas, durante um tempo de minha vida parei de frequentar as missas e a Igreja Católica, sem avisar nada a ninguém e sem autorização para sair da igreja) e comecei a ir em uma igreja evangélica, bom lá conheci um rapaz que se converteu e casamos em uma igreja evangélica dessas. Enfim, me separei e divorciei. Esse rapaz me traiu, então, este foi motivo do minha separação (embora hoje em dia infelizmente nas leis dos homens isto não é mais crime). Fazem mais de 5 anos que estou divorciada. Graças a Deus, neste meio tempo voltei a frequentar a Santa Igreja Católica, mas tenho uma dúvida se eu vier a me casar novamente, eu posso me casar na Igreja Católica? O meu antigo “erro” casamento tem validade? Desde de já agradeço, tenha uma boa sexta-feira. 🙂

    • Oi Aline,
      Existem alguns casamentos que não são válidos na Igreja Católica, pela diferença de doutrina. A dica é procurar um sacerdote e conversar com ele para saber se o seu casamento na sua antiga religião é válido na Igreja Católica. Deus abençoe! Pax Domini.

  19. Cristo não precisou de um solo sagrado para fazer o batismo, mas um simples Rio. Pensamentos antiquados assim e que mataram milhares de pessoas em nome de Deus na história, bispos… homens que ponham regras sem ver o real bem a pessoas causaram essas coisas . Lógico que não se pode exercer uma cerimônia em um bar ou lugar sujo, mas o que há de mau se for em uma praia ou na casa de uma família? ! E minha opinião é não quero ser grosso, só estou colocando meu ponto de vista.
    Sem falar que padres vão cantar em palanques ou ginásios…nada contra, acho extremamente importante a vinda deles a qualquer lugar, mas não se pode fazer um casamento em um local familiar? ! Aí é osso.

    • Olá Jobson!
      Então, a questão é que o matrimônio cristão há muito tem se desvirtuado. Hoje para muitos é uma simples festa social. Isso é uma preocupação da Igreja que desde sempre deseja que os noivos entendam a sacramentalidade do ato, que é mais importante do que um evento social. Não dá pra comparar o Batismo de Cristo com o matrimônio dos dias atuais. Naquele tempo, embora o casamento já existisse não era um sacramento. Hoje é. O batismo não era um sacramento. Hoje é. Inclusive falando em batismo, hoje via de regra ele só é celebrado nas igrejas.

      A minha intenção com esta postagem é mostrar que existe uma regra, qual é esta regra e que ela deve ser respeitada. Agora se você tem motivos e razões para fazer a cerimônia de matrimônio fora da Igreja, procure o seu bispo e converse com ele.

      Mas sabe o que é curioso? Participo da Igreja há mais de 27 anos. Já vi muitos casais brigando para casar em praia, fazenda, etc. Dos que eu conheço, hoje maioria desses casamentos acabaram em divórcio. Sinceramente eu penso que essa coisa de casar fora da igreja é mais um capricho pessoal do que qualquer coisa. Apenas um casamento dos tantos que conheci não acabou assim. O pai do noivo morava em um sítio e não tinha facilidade de locomoção. O rapaz procurou o bispo, explicou a situação e o bispo permitiu o casamento. Ele aconteceu e o casal vive feliz até hoje.

      Pax Domini

  20. Senhor, Cadu. Me casei com o meu marido em uma capela em Las Vegas. Foi um casamento tradicional, válido legalmente e como a presença de um ministro religioso, mas foi uma cerimônia protestante e nós somos católicos e gostaríamos de validar nosso casamento na igreja católica, pois pelo que entendemos, a igreja não o reconhece. Como devemos proceder, devemos fazer um novo casamento?

    • Olá!
      Desculpe a demora para responder sua pergunta.
      Procure o padre da paróquia mais próxima e converse com ele. Creio (pelo pouco que você conta aqui) que será necessário uma nova cerimônia, mas não precisa ser em uma missa especial, ou uma cerimônia exclusiva. Pode ser até no meio da missa dominical sem tanta pompa. Isso pode ser combinado com o padre. Mas é importante esta conversa, pois só assim (e você contando todos os detalhes) ele dará uma posição mais clara da situação.

      Pax Domini.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s