Bento XVI: “A esperança do Evangelho deve ser levada, pelos leigos, até os que vivem na escuridão do mundo!”

O Papa Bento XVI explicou que a nova evangelização que o mundo atual precisa, requer por parte dos leigos um testemunho valente e acreditável, que permita levar a esperança do Evangelho a todos os âmbitos da sociedade. Em uma mensagem que saiu hoje, com a data de 10 de agosto, enviada aos participantes do Fórum Internacional da Ação Católica que se realiza no Iasi, România, até o dia 26 deste mês, o Santo Padre reflete sobre o tema do evento, a “corresponsabilidade eclesial e social” dos leigos, no marco do próximo Ano da Fé e do Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização.

A corresponsabilidade –explica o Papa– requer uma mudança de mentalidade, em particular, sobre o papel dos leigos na Igreja, que não devem ser considerados como meros colaboradores do clero, mas como pessoas verdadeiramente corresponsáveis no trabalho da Igreja“.

Por isso é importante, afirma, “que se consolide um laicato maduro e esforçado, capaz de dar a sua própria contribuição específica para a missão da Igreja, de acordo com os ministérios e tarefas em que cada um toma parte na vida da Igreja, e sempre em comunhão amigável com os bispos“.

Bento XVI alentou depois a sentir “como próprio o esforço de obrar pela missão da Igreja: com a oração, com o estudo, com a participação ativa na vida eclesial, com um olhar atento e positivo para o mundo, na contínua busca dos sinais dos tempos”.

Não se cansem de afinar sempre mais, com um esforço formativo sério e cotidiano, os aspectos da sua vocação peculiar de fiéis leigos, chamados a ser testemunhas valentes e acreditáveis em todos os âmbitos da sociedade, para que o Evangelho seja luz que leva esperança às situações problemáticas, de dificuldade, de escuridão, que os homens de hoje encontram com frequência no caminho da vida“.

O Papa indica também que “guiar ao encontro com Cristo, anunciando sua mensagem de salvação com linguagens e modos compreensíveis ao nosso tempo, caracterizado por processos sociais e culturais em rápida transformação, é o grande desafio da nova evangelização“. “Nesta fase da história, à luz do Magistério Social da Igreja, trabalhem também para ser sempre mais um laboratório de ‘globalização da solidariedade e da caridade’, para crescer, com toda a Igreja, na corresponsabilidade de oferecer um futuro de esperança à humanidade, tendo a coragem de formular propostas exigentes“.

Depois de alentar a trabalhar em comunhão com os Bispos e com o Sucessor de São Pedro, o Papa afirma que os leigos “são chamados hoje a renovar o esforço de caminhar pelo caminho da santidade, mantendo uma vida de oração intensa, favorecendo e respeitando os caminhos pessoais e de fé e valorizando as riquezas de cada um, com o acompanhamento dos sacerdotes assistentes e de responsáveis capazes de educar a corresponsabilidade eclesial e social“.

Que tenham uma vida ‘transparente’, guiada pelo Evangelho e iluminada pelo encontro com Cristo, amado e seguido sem temor“, alenta o Santo Padre.

Para concluir, Bento XVI alenta a cultivar “relações pessoais autênticas com todos, começando pela família, e ofereçam sua disponibilidade na participação, a todos os níveis da vida social, cultural e política tendo sempre como objetivo o bem comum“.

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Um comentário sobre “Bento XVI: “A esperança do Evangelho deve ser levada, pelos leigos, até os que vivem na escuridão do mundo!”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s