Santo do Dia: Santa Maria Faustina Kowalska

Santa Maria Faustina Kowalska 

A misericórdia divina revelou-se manifestamente na vida desta bem-aventurada, que nasceu no dia 25 de agosto de 1905, em Glogowiec, na Polônia Central. Faustina foi a terceira de dez filhos de um casal pobre. Por isso, após dois anos de estudos, teve de aplicar-se ao trabalho para ajudar a família.

Com dezoito anos, a jovem Faustina disse à sua mãe que desejava ser religiosa, mas os pais disseram-lhe que nem pensasse nisso. A partir disso, deixou-se arrastar para diversões mundanas até que, numa tarde de 1924, teve uma visão de Jesus Cristo flagelado que lhe dizia: “Até quando te aguentarei? Até quando me serás infiel?”

Santa Maria Faustina Kowalska, rogai por nós!

Faustina partiu então para Varsóvia e ingressou no Convento das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia no dia 1 de agosto de 1925. No convento tomou o nome de Maria Faustina, ao qual ela acrescentou “do Santíssimo Sacramento”, tendo em vista seu grande amor a Jesus presente no Sacrário. Trabalhou em diversas casas da congregação. Amante do sacrifício, sempre obediente às suas superioras, trabalhou na cozinha, no quintal, na portaria. Sempre alegre, serena, humilde, submissa à vontade de Deus.

Santa Faustina teve muitas experiências místicas onde Jesus, através de suas aparições, foi recordando à humilde religiosa o grande mistério da Misericórdia Divina. Um dos seus confessores, Padre Sopocko, exigiu de Santa Faustina que ela escrevesse as suas vivências em um diário espiritual. Desta forma, não por vontade própria, mas por exigência de seu confessor, ela deixou a descrição das suas vivências místicas, que ocupa algumas centenas de páginas.

Santa Faustina sofreu muito por causa da tuberculose que a atacou. Os dez últimos anos de sua vida foram particularmente atrozes. No dia 5 de outubro de 1938 sussurrou à irmã enfermeira: “Hoje o Senhor me receberá”. E assim aconteceu.

Beatificada a 18 de abril de 1993 pelo Papa João Paulo II, Santa Faustina, a “Apóstola da Divina Misericórdia”, foi canonizada pelo mesmo Sumo Pontífice no dia 30 de abril de 2000.

Santa Faustina, rogai por nós!

Anúncios

Que tal votar certo desta vez heim?

Chegamos ao fim de semana das eleições. No próximo domingo (07/10) iremos as urnas eleger os prefeitos e os vereadores que irão nos representar durante os próximos quatro anos nas nossas cidades. E o que posso dizer a respeito disso? Agora é a nossa vez!

Temos a possibilidade de colocar no poder pessoas idôneas e preparadas para cuidar das nossas cidades, e quer saber? Precisamos fazer isso o quanto antes! Já passou a hora do povo brasileiro aprender a votar e eleger bons governantes.

As pesquisas dizem que o Brasil tem uma maioria que se diz católica, sobre a qual repousam as esperanças de todos nós. Sabemos que uma maioria faz a diferença. A Igreja Católica, diferente de outras igrejas protestantes, não pedem votos aos seus membros, mas os ensinam que pré-requisitos são necessários para que eles votem de acordo com a consciência católica que dizem professar.

Por isso mesmo afirmo que é hora do povo católico sair de cima do muro e se comprometer com a sociedade em que vive votando bem. Não podemos entregar as nossas cidades a qualquer um. E antes que você me diga que o nível dos candidatos que se habilitam para as vagas oferecidas está muito baixo, eu já lhe digo que concordo com você. Aqui na minha cidade, por exemplo, aparece cada candidato a vereador que só a Misericórdia Divina para aguentar! Mas mesmo assim, dentro tantos ruins aparecem alguns bons candidatos e estes precisam ser eleitos. É uma questão de pesquisar e escolher bem.

O católico precisa votar no candidato que pensa ser o melhor e mais preparado, mesmo que acredite que ele não será eleito. Se ele merece seu voto então vote nele e pronto! O católico precisa votar em quem a sua consciência aponta. Nosso voto exprimir a ética e a moral que trazemos e os valores que acreditamos.

Podemos começar uma revolução em nossas cidades se votarmos de forma consciente nos candidatos mais preparados.

É importante também saber que vereadores e prefeitos uma vez eleitos, podem através das leis municipais, favorecerem ou não os valores que temos como a defesa da vida, liberdade de credo e tantos outros já citados neste blog. Sim o ficha limpa é importante e eu mesmo apoiei esta lei aqui no Dominus Vobiscum. Porém é preciso saber que tem muito ficha limpa de alma suja. Tem muito candidato que é civilmente apto, mas trazem ideias nocivas a socidade como a descriminalização do aborto, liberação das drogas, descriminalização da prostituição e etc.

Espero encontrá-los em breve feliz com boas notícias. Espero que pelo menos desta vez, as urnas reflitam a fé e os valores que professamos.

Pax Domini

Siga-nos e fique por dentro das novidades: