Sobre a participação de artistas seculares na JMJ 2013

jmj2013A JMJ2013 finalmente está chegando. Não só o Papa, mas muitos jovens no Brasil e no mundo estão preparando as malas para esse que será o maior evento católico dos últimos tempos. A estrutura já está em fase de finalização e está tudo lindo e maravilhoso com exceção de uma coisa: A lista de artistas seculares que farão parte da JMJ (que envolve Luan Santana, Fafá de Belém, Ana Maria Braga e outros).

Inicialmente eu confesso que não queria escrever sobre assunto. Primeiro porque o Jorge Ferraz do blog Deus lo Vult, já havia escrito com muita propriedade em dois posts (veja o primeiro aqui e o segundo aqui). Segundo porque já havia dado meu parecer no facebook. Mas mudei de ideia pelo fato de perceber que as pessoas não entenderam muito bem o motivo da crítica.

Vamos lá então:

A crítica a participação destes não se dá pelo fato dos artistas em questão serem pecadores ou não. Pecador eu sou e você também é. A crítica se torna justa e efetiva quando percebemos as bandeiras que estes artistas defendem em seus projetos do dia a dia. Não queremos dizer que só os santos devem ir à JMJ. Se assim fosse nem o Papa estaria presente. Mas queremos que as pessoas que subam aos palcos da jornada, sejam pessoas comprometidas com a fé católica. Se ao menos os artistas que lá subirem seguirem o exemplo de Tony Ramos, que tem uma vida discreta, participa semanalmente da Santa Missa e não se expõe em assuntos controversos já é de bom tamanho. Usar o jargão “todos somos pecadores” não se aplica neste caso.

Talvez alguns extremistas retruquem: Mas Cadú, você quer expulsar os artistas da JMJ? Eles não tem direito de ser evangelizados?

Claro que não quero expulsar ninguém! Claro que todos tem direito de serem evangelizados! Só que para serem evangelizados eles não precisam subir ao palco, não precisam usar microfones, não precisam se expressar publicamente. Para serem evangelizados eles só precisam se misturar a multidão de peregrinos e ouvir, rezar e se rever como todos nós iremos fazer. Não precisamos de celebridades não católicas em um evento católico. Não precisamos de pessoas que acendam uma vela pra Deus hoje e outra para o diabo amanhã.  Vejamos alguns exemplos das bandeiras que essas “celebridades” CONVIDADAS levantam no seu dia a dia:

Luan Santana – Faz apologia à sexualidade livre em suas músicas e canções e que se gaba publicamente de ter uma coleção de roupas íntimas das suas fãs (Será o novo Wando!?) e de manter esporadicamente relações sexuais com elas após os seus shows (Isso sim que é exemplo de castidade para ser imitado por todos os jovens. Agora depois vão os catequistas, blogueiros e evangelizadores católicos falar de castidade com que moral!?). Olha uma das músicas do cidadão:

“Mãos para o alto novinha / Por que porque hoje tu ta presa / Tu tem direito de sentar / Tem direito de gritar / Tem direito de sentar de ficar de rebolar […] Fica caladinha / Fica caladinha / E desce, desce novinha” (Música do cantor em questão)

Repito: Pecado por pecado todo mundo tem os seus. Mas que bandeiras este garoto tem levantado em sua vida? Que testemunho cristão ele pode acrescentar aos milhões de jovens que estarão na jornada? Que utilidade meu Deus ele vai ter em cima do palco da JMJ?

Ana Maria Braga – A apresentadora que dispensa comentários (e que de jovem não tem nada), é conhecida por receber com pompas e regalias em seus programas as maiores aberrações morais do mundo do entreternimento, como – por exemplo – a dupla de marmanjos que teve “dupla paternidade” reconhecida, os “heróis” do BBB que vez por outra são chamados a opinar sobre os mais diversos assuntos, além de vez em quando “passar” mensagens aos telespectadores alusivas a assuntos contrários a fé cristã. E a pergunta que não quer calar: O que está vovó beleza estará fazendo na JMJ? O que ela de fato acrescentará?

Fafá de Belém – A cantora que já participou de outros eventos católicos com seus grandes decotes e se diz devota de Nossa Senhora, lançou recentemente em parceria com o Deputado Jean Wyllys do PSOL/RJ a campanha pelo Casamento Civil Igualitário durante a 16º Parada Gay em São Paulo. Você pode ver isso no próprio site do deputado defensor ferrenho da causa gay. Sinceramente duvido que se a Santa Sé soubesse deste episódio permitiria esta senhora a subir no palco da JMJ. Porém como ela é de Belém, e o Arcebispo do Rio Janeiro Dom Orani Tempesta era bispo de Belém… Ah velhas amizades!

Agora fica uma constatação: Depois de ver os “convidados” da Equipe Organizadora da JMJ nota-se o grau de comprometimento da mesma em querer agradar a Dona Rede Globo de Televisão além de acreditar piamente que a mistura do Sagrado com o Profano funciona (são os famosos católicos raimundos: Um pé na Igreja, dois pés no mundo). A verdade é que na minha opinião, a escolha destes artistas foi uma tremenda de uma bola fora, coisa que na verdade os católicos já deveriam estar acostumados.

Agora não adianta fazer bico e nem beicinho. Duvido muito que orgulho e a vaidade dos organizadores se dobrem a todas as críticas sofridas. Nos resta é participar da JMJ guardando o que é bom, desprezando o que não vale a pena ser guardado, e rezando para que os jovens que vão a jornada não sejam tão influenciados pelos desmandos da equipe de raimundos da JMJ.

Ps.: O pessoal na internet criou uma petição para ser entregue a organização da JMJ 2013, solicitando a revisão desta participação. Segue o link caso você queira assiná-la, expressando também a sua opinião a respeito do assunto: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=JMJpcat

>> Visite a nossa livraria virtual conheça bons livros para sua formação doutrinal e espiritual.

Anúncios

Papa Francisco ensina como superar as situações de conflito

papa_casa_santa_marta

Hoje em sua homilia, o Papa Francisco apresentou aos fiéis da Capela Santa Marta, onde celebra todas as manhãs o exemplo de Lot, convidado pelo anjo a deixar a cidade, antes de ser destruída. Participaram da missa, entre outros, o Cardeal Manuel Monteiro de Castro e Dom Beniamino Stella, além de um grupo de sacerdotes e colaboradores do Tribunal da Penitenciaria Apostólica e da Pontifícia Academia Eclesiástica.

Na homilia o Sumo Pontífice destacou “quatro atitudes possíveis nas situações mais difíceis e de conflito na vida: lentidão, não olhar para trás, medo e a graça do Espírito Santo.

Referindo-se à lentidão de Lot, em deixar a cidade que seria destruída, o Papa disse que o “cristão é chamado a ser corajoso na sua fraqueza, reconhecer sua fragilidade e fugir das ocasiões de pecado, sem olhar para trás:

“Santa Terezinha do Menino Jesus nos ensinava que, algumas vezes, diante de certas tentações, a única solução é não ter vergonha de fugir do mal, reconhecendo que somos fracos. Fugir para continuar no caminho de Jesus”.

É o que o próprio anjo do Senhor sugeria a Lot: “fugir da cidade, sem olhar para trás; olhar adiante”. Aqui, encontramos um conselho para vencer a saudade da situação de pecado, que o povo de Israel sentia quando escravo no Egito. Ele queria voltar à vida de antes. Mas, o anjo dá uma sugestão sapiente a “não olhar para trás, mas ir adiante. E, falando da terceira atitude do cristão, ou seja, o medo de prosseguir no caminho justo, o Santo Padre disse:

“Ter medo! Esta também é uma tentação do demônio: ter medo de prosseguir no caminho que o Senhor nos indica. Não devemos permanecer na escravidão do Egito, mas ir adiante, sem perguntar aonde o Senhor vai nos levar. Então, prosseguir, sem temor”.

O Santo Padre concluiu sua meditação falando de uma quarta atitude: confiar na graça do Espírito Santo. Isto acontece depois que Jesus faz voltar a bonança, depois da tempestade no mar agitado. Os discípulos estavam repletos de medo. Neste sentido, hoje, o Papa sugere ao cristão dirigir-se ao Senhor e pedir-lhe ajuda:

“Senhor, tenho medo! E, olhando para o Senhor, os discípulos disseram: ‘salva-nos, Senhor, estamos perecendo’. E ficaram maravilhados com o novo encontro com Jesus. Logo, não sejamos cristãos ingênuos, nem cristãos insípidos! Sejamos cristãos valorosos, corajosos, apesar da nossa fragilidade”.

Portanto, Papa Francisco exortou os presentes na Missa, a assumir sua fragilidade, com coragem, sem jamais olhar para trás e ceder à nostalgia do mal. Não devemos ter medo, mas confiar no Senhor!

>> Visite a nossa livraria virtual conheça bons livros para sua formação doutrinal e espiritual.

Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: Onde a Igreja se realiza plenamente?

Igreja Católica

A Igreja tem a sua origem e a sua plena realização no eterno desígnio de Deus. Foi preparada na Antiga Aliança com a eleição de Israel, sinal da reunião futura de todas as nações. Fundada pelas palavras e ações de Jesus Cristo, foi realizada sobretudo mediante a sua morte redentora e a sua ressurreição. Foi depois manifestada como mistério de salvação mediante a efusão do Espírito Santo, no dia de Pentecostes. Terá a sua realização plena no fim dos tempos, como assembleia celeste de todos os redimidos.

É preciso entender que terminada a obra que o Pai havia confiado ao Filho para realizará na terra, nos foi enviado o Espírito Santo (no dia de Pentecostes) para santificar a Igreja permanentemente. Foi então que a Igreja se manifestou publicamente diante da multidão e começou a difusão do Evangelho com a pregação. Por ser “convocação” de todos os homens para a salvação, a Igreja é, por sua própria natureza, missionária enviada por Cristo a todos os povos para fazer deles discípulos.

Para realizar sua missão, o Espírito Santo dotou a Igreja de diversos dons hierárquicos e carismáticos e a dirige a partir disto. Por isso a Igreja, enriquecida com os dons de seu Fundador (Jesus Cristo) e empenhando-se em observar fielmente seus preceitos de caridade e humildade, recebeu a missão de anunciar o Reino de Cristo e de Deus e de estabelecê-lo em todos os povos; deste Reino ela constitui na terra o germe e o início.

Veja Também:: Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: Introdução | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: O que é a Igreja? | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: Os símbolos da Igreja | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: Nascida do coração do Pai | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: O sonho de Deus para nós! | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: O Antigo Testamento e a Igreja Católica | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: O legado de Cristo para o mundo! | Estudo sobre a Igreja Católica Apostólica Romana:: Quem estruturou a Igreja? Jesus, o papa, ou os homens?

Livro Maria Sempre Virgem e SantaVeja também o novo livro do Cadu (Administrador do Blog Dominus Dominus Vobiscum): Maria Sempre Virgem e Santa. Nele você vai encontrar ensinamentos seguros da doutrina da Igreja a respeito da Santíssima Virgem Maria, além das orações mais tradicionais da nossa Igreja à Virgem Mãe de Deus. Vendas apenas pela internet nos sites Clube de Autores e Agbook. Um livro para quem deseja ser mais íntimo de Nossa Senhora.

Beato Charles de Foucauld comenta Mt 8,23-27 (a tempestade acalmada)

Charles de FoucaldNaquele tempo, Jesus subiu para o barco e os discípulos acompanharam-n’O. Levantou-se, então, no mar, uma tempestade tão violenta, que as ondas cobriam o barco; entretanto, Jesus dormia. Aproximando-se dele, os discípulos despertaram-no, dizendo-lhe: Senhor, salva-nos, que perecemos! Disse-lhes Ele: Porque temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, falou imperiosamente aos ventos e ao mar, e sobreveio uma grande calma. Os homens, admirados, diziam: Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem? (Mt 8,23-27)

Beato Charles de Foucauld, eremita e missionário no Saara – Meditação “Oito dias em Efrém”

Meus filhos, seja o que for que vos aconteça, lembrai-vos de que Eu estou sempre convosco. Lembrai-vos de que, visível ou invisível, parecendo agir ou parecendo dormir e esquecer-vos, Eu velo sempre, estou em toda a parte e sou omnipotente. Nunca tenhais medo, nem preocupações: Eu estou presente, Eu velo, Eu amo-vos. […] Eu sou todo-poderoso. Que mais quereis? […] Lembrai-vos das tempestades que acalmei com uma palavra, transformando-as numa grande calmaria. Lembrai-vos da maneira como sustive Pedro quando caminhava sobre as águas (cf Mt 14,28ss). Estou sempre tão perto de cada homem como estou agora de vós. […] Tende confiança, fé, coragem; não vos inquieteis com o vosso corpo nem com a vossa alma (cf Mt 6,25), uma vez que Eu estou presente, sou omnipotente e vos amo.

Mas […] que a vossa confiança não nasça da negligência, da ignorância dos perigos, nem da confiança em vós mesmos ou noutras criaturas. […] Os perigos que correis são iminentes: os demônios, inimigos fortes e manhosos, a vossa natureza, o mundo, fazem-vos continuamente uma oposição encarniçada. […] Nesta vida, a tempestade é quase contínua e a vossa barca está sempre prestes a soçobrar. Mas Eu estou presente e comigo ela é insubmersível. Desconfiai de tudo e sobretudo de vós mesmos, mas tende em Mim uma confiança total, capaz de banir toda a inquietação.

>> Visite a nossa livraria virtual conheça bons livros para sua formação doutrinal e espiritual.