A menina engravida… mas e o pai?

pai_e_filho

Na questão do aborto, é muito comum a mulher ser bombardeada com diversos tipos de cobrança. Mas existe um outro viés na história que precisa ser considerado: o pai da criança.

A notícia de uma gravidez pode ser recebida de uma forma positiva ou negativa por parte dos interessados. Quando ambos (o pai e a mãe) se alegram pela criança que vem ao mundo, a gravidez é uma festa e não precisamos traçar grandes considerações a respeito. O grande problema se dá quando uma das partes recebe a notícia como algo negativo.

Não é raro, jovens grávidas se sentirem obrigadas a abortar por que o rapaz que se disse homem para levar a mulher para a cama (ignorando o conselho da Igreja de viver a castidade), não é homem de fato quando precisa assumir a responsabilidade pelos seus atos. Para muitos (irresponsáveis diga-se de passagem), é muito mais fácil comprar um remédio abortivo do que assumir a missão de ser pai. É importante dizer a uma mulher que vive uma situação como esta, que alguém que deseja tirar a vida do seu próprio filho para se isentar das suas responsabilidades, dificilmente poderá entender e viver uma relação baseada no verdadeiro amor e na doação. É lógico que sempre existe a possibilidade do perdão e do arrependimento. Mas enquanto o rapaz viver esta relação egoísta e irresponsável consigo, com os outros e com o mundo, não conseguirá amar e se doar. Hoje a mulher que se decide a ter um filho em uma situação assim, se não me engano, encontra amparo legal para conseguir provar a paternidade e consequentemente querendo ou não, este homem terá responsabilidades legais com esta criança. Lute pelos direitos do seu filho ao invés de matá-lo! Quem deseja abortar seu filho tem índole assassina, pois deseja a morte, não medindo esforços para que isto aconteça. Dar ouvidos a uma criatura assim não é amor!

Por outro lado, existem muitos casos onde a mulher deseja o aborto ao contrário do pai da criança. Ora, o homem tem tanta responsabilidade desta gravidez quanto a mulher. O filho é de ambos. É carne da carne dos dois. Por que a mulher teria primazia sobre a criança? Se a mulher não tem o direito de abortar (pois é crime), muito menos de fazê-lo escondendo o fato do pai. Conheci quando morava em Cuiabá, um rapaz que tinha vivido uma situação assim: por medo dos pais, a moça abortou sem avisar, sem explicar. Ele que tanto desejava ser pai e constituir família com aquela moça, passou um bom tempo se lamentando e sofrendo pelo acontecido. Era de fato uma tristeza de luto! É lógico que aquele relacionamento se desfez e o trauma perdura até hoje na vida de ambos.

Ser pai é um presente, um dom. É uma maravilha chegar em casa e ser recebido por aquela criatura, cheia de alegria, de vida, de energia… e perguntas. Se você recebeu a notícia da paternidade, por favor, alegre-se e entre de cabeça nesta aventura. Seja qual for a situação, ser pai é sempre uma benção de Deus e logo você perceberá que maravilha é ter um filho. É uma opção sua ser um pai responsável ou um assassino irresponsável. Esperamos e rezamos com toda força do nosso coração que você escolha a primeira opção.

E não é demais lembrar: Se você está vivendo uma situação de pensar ou não em abortar, pense muito bem. Antes da sua decisão, procure o padre da sua paróquia (independente de você ser católico/a ou não) e peça um aconselhamento. Na impossibilidade do sacerdote, procure a Pastoral Familiar da paróquia. Certamente eles te darão uma excelente assessoria.

Dominus Vobiscum

Veja também:: A história de um pequeno ser humano… | A Odisséia da vida | Perguntas e respostas sobre os fetos e embriões à Luz da Igreja Católica |O que a Igreja Católica diz a respeito do aborto? | A violência dos métodos abortivos | A origem do Movimento abortista e da cultura de morte | O aborto como instrumento de controle demográfico | A Mãe do Aborto | Planned Parenthood: A Maior organização abortista do mundo | O que a ONU tem a ver com o aborto? | A origem dos grandes movimentos abortistas no Brasil | O aborto e a política brasileira | Integrante de organização que luta pelos direitos de afrodescendentes afirma: A PLC 03/2013 (lei do aborto) é um lixo imposto a população mais carente. | Por que para a Igreja Católica a mulher não pode escolher entre o aborto ou não? | Não tenho condições financeiras para criar um filho. Por que a Igreja não permite que eu aborte?

Um comentário sobre “A menina engravida… mas e o pai?

  1. Pingback: O Aborto e suas consequências psicológicas | Dominus Vobiscum

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s