“Eu sou a videira, vós os ramos” – JMJ 1990

Olá pessoal! Graça e Paz!

A história das Jornadas Mundiais da Juventude é belíssima e nos traz tesouros espirituais maravilhosos. O Beato Papa João Paulo II caprichava em suas mensagens, mostrando seu afeto e exortando os jovens a assumirem um papel efetivo na Igreja.

Retomo hoje a JMJ 1990, que foi celebrada a nível diocesano, em 8 de abril de 1990; seu lema foi “Eu sou a videira, vós os ramos” (Jo 15:5). Vamos meditar um pouco?

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II

PARA A V JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE  – 1990 

“Eu sou a videira, vós os ramos” (Jo 15:5)

A Igreja de Cristo é uma realidade atrativa e maravilhosa. É antiga, porque tem quase dois mil anos, mas ao mesmo tempo tempo, graças ao Espírito Santo que a anima, é eternamente jovem. A Igreja é jovem porque sua mensagem de salvação é sempre atual. É por isto que há um diálogo muito importante entre a Igreja e os jovens: «A Igreja tem tantas coisas a dizer aos jovens, os jovens têm tantas coisa para dizer à Igreja. Este diálogo, – que se concretiza com grande cordialidade, clareza e coragem – (…) será fonte de riqueza e de juventude (…)», escrevi na Exortação. Apostólica Christifideles laici (n.46).
Desejo que a V Jornada contribua para acrescentar este diálogo a todos os níveis da vida eclesial e de cada um de vocês.

A Igreja, que se sente chamada pelo Senhor a intensificar o esforço evangelizador, necessita especialmente de vocês, do seu dinamismo, de sua autenticidade, de seu apaixonado desejo de crescer, do frescor de sua fé. Ponham a serviço da Igreja seus jovens talentos sem reservas, com a generosidade própria da sua idade. Ocupem seus postos na Igreja, não sejam somente destinatários da pastoral, mas participantes ativos em sua missão (cf. Christifideles laici, 46). A Igreja é de vocês, além disso, vocês mesmos são a Igreja!

Como podem ver, a Jornada Mundial não é só uma festa, também é um compromisso espiritual sério. Para produzir frutos é necessário um caminho de preparação sob a direção de seus Pastores nas dioceses, paróquias, associações, movimentos e nas comunidades juvenis eclesiais. Tratem de aprender mais sobre a Igreja, sua natureza, sua história, desde o início, a dois mil anos, e seu presente. Tratem de descobrir o seu lugar na Igreja e sua missão como jovens!

8 de abril de 1990 – Roma
Celebração Diocesana
Domingo de Ramos

Retirado do site do Vaticano, tradução e adaptação de Taís Salum – Equipe do Blog Dominus Vobiscum.
Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  
Anúncios

Você sabe de onde surgiu o Cerco de Jericó e como ele pode derrubar muralhas em sua vida?

Para obter a graça da visita do Papa João Paulo II a sua terra natal, que era comunista e não via com bons olhos a presença do Pontífice naquele país, alguns piedosos poloneses organizaram a pedido de Nossa Senhora aquilo a que chamam o Cerco de Jericó, o qual consiste num incessante “assalto” de rosários, durante sete dias e seis noites, rezados diante do Santíssimo exposto.

E, por que “Cerco de Jericó?

No Antigo Testamento, depois da morte de Moisés, Deus escolheu Josué para conduzir o povo hebreu, e disse à Josué que atravessasse o Jordão com todo o povo e tomasse posse da Terra Prometida.

A cidade de Jericó era uma fortaleza, e ao chegar junto às muralhas de Jericó, Josué ergueu os olhos e viu um Anjo, com uma espada na mão, que lhe deu ordens concretas e detalhadas. Josué e todo Israel executaram fielmente as ordens recebidas: durante seis dias, os valentes guerreiros de Israel deram uma volta em torno da cidade. No sétimo dia, deram sete voltas. Durante a sétima volta, ao som da trombeta, todo o povo levantou um grande clamor e, pelo poder de Deus, as muralhas de Jericó caíram… (cf. Js 6).

Tudo começou quando o Santo Padre João Paulo II confirmou sua visita à Polônia em 8 de maio de 1979, para o 91º aniversário do martírio de Santo Estanislau, bispo de Cracóvia. Era a primeira vez que o Papa visitava o seu país, sob o regime comunista; era uma visita importantíssima e muito difícil. Aqui começaria a ruína do comunismo ateu e a queda do muro de Berlim.

Em fins de novembro de 1978, sete semanas depois do Conclave que o havia eleito Papa, Nossa Senhora do Santo Rosário teria dado uma ordem precisa a uma alma privilegiada da Polônia: “Para a preparação da primeira peregrinação do Papa à sua Pátria, deve-se organizar na primeira semana de maio de 1979, em Jasna Gora (Santuário Mariano), um Congresso do Rosário: sete dias e seis noites de Rosários consecutivos diante do Santíssimo Sacramento exposto.”

No dia da Imaculada Conceição (8 de dezembro de 1978), Anatol Kazczuck, daí em diante promotor desses Cercos, apresentou a ordem da Rainha do Céu a Monsenhor Kraszewski, bispo auxiliar da Comissão Mariana do Episcopado. Ele respondeu: “É bom rezar diante do Santíssimo Sacramento exposto; é bom rezar o Terço pelo Papa; é bom rezar em Jasna Gora. Podeis fazê-lo.”

Anatol apresentou também a mensagem de Nossa Senhora a Monsenhor Stefano Barata, bispo de Czestochowa e Presidente da Comissão Mariana do Episcopado. Ele alegrou-se com o projeto, mas aconselhou-os a não darem o nome de “Congresso”, para maior facilidade na sua organização. Então, deu-se o nome de “Cerco de Jericó” a esta iniciativa.

O padre-diretor de Jasna Gora aprovou o projeto, mas não queria que se realizasse em maio por causa dos preparativos para a visita do Santo Padre. Dizia ele: “Seria melhor em abril.” e então respondeu o Sr. Anatol “Mas a Rainha do Céu deu ordens para se organizarem esses Rosários permanentes na primeira semana de maio”. O padre aceitou, recomendando-lhe que fossem evitadas perturbações.

A Santíssima Virgem sabia bem que o Cerco de Jericó em maio não iria perturbar a visita do Papa, porque ele não viria. E, logo a seguir, as autoridades recusaram o visto de entrada no país ao Santo Padre, como tinham feito a Paulo VI em 1966. O Papa não poderia visitar a sua Pátria.

Foi, então, com redobrado fervor que se organizou o “assalto” de Rosários. E, no dia 7 de maio, ao mesmo tempo que terminava o Cerco, caíram “as muralhas de Jericó”. Um comunicado oficial anunciava que o Santo Padre visitaria a Polônia de 2 a 10 de junho. Sabe-se como o povo polonês viveu esses nove dias com o Papa, o “seu” Santo Padre, numa alegria indescritível!

No dia de 10 de junho, João Paulo II terminava a sua peregrinação, consagrando, com todo Episcopado polonês, a nação polaca ao Coração Doloroso e Imaculado de Maria, diante de um milhão e quinhentos mil fiéis reunidos em Blonic Kraskoskic.

Depois dessa estrondosa vitória, a Santíssima Virgem ordenou que se organizassem Cercos de Jericó todas as vezes que o Papa João Paulo II saísse em viagem apostólica. “O Rosário tem um poder de exorcismo”, dizem os nossos amigos da Polônia, “ele torna o demônio impotente.”

Por ocasião do atentado contra o Papa, em 13 de maio de 1981, os poloneses lançaram de novo um formidável “assalto” de Rosários e obtiveram o seu inesperado restabelecimento. Mais uma vez, as muralhas de ódio de Satanás se abatiam diante do poder da Ave-Maria.

Em várias partes do mundo estão sendo realizados agora Cercos de Jericó. A 2 de fevereiro de 1986, aquela mesma alma privilegiada recebia outra mensagem da Rainha Vitoriosa do Santíssimo Rosário: “Ide ao Canadá, aos Estados Unidos, à Inglaterra e à Alemanha para salvar o que ainda pode ser salvo.” Nossa Senhora pede que se organizem os Rosários permanentes e os Cercos de Jericó, se queremos ter certeza da vitória.

Ana Paula Missias – Blog Dominus Vobiscum

Não se esqueça de clicar na imagem abaixo e votar!

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Beato João Paulo II: o amigo dos jovens

 “A juventude é um grande dom divino, é uma riqueza singular do homem. Para vocês, a vida se apresenta como uma estrada aberta para o infinito. É no coração do jovem que se desenham, se projetam e se forjam as perspectivas futuras da humanidade. ” (Beato João Paulo II, 16/10/1991)

Com muito carinho, junto com a Igreja Católica, recordamos neste 22 de outubro a memória litúrgica do Beato João Paulo II, “o Papa dos jovens”, como o chamávamos. Ele é  lembrado por ser o idealizador da Jornada Mundial da Juventude, em 1984.

Sou da “Geração João Paulo II”, uma jovem que encontrou o seu caminho e vocação através dos ensinamentos deste querido Papa. Apesar de não o ter conhecido pessoalmente, sinto muita saudade, como se fosse um grande amigo meu; ele dividiu comigo os seus três tesouros:  ensinou-me a amar profundamente  Jesus, a Santa Igreja e a Virgem Maria.

Aprendi também que o jovem tem o seu lugar na missão da Igreja no mundo, podemos evangelizar com a nossa alegria e vida simples, a santidade é uma graça possível e a juventude é um estado de espírito: aos 84 anos, o Papa era mais jovem do que muitos por aí.

Outra lição de João Paulo II foi a vivência do sofrimento: mesmo na dor, não se deixava abater. Carregava a cruz junto com o Mestre, transformava em oração a luta árdua do corpo cansado e doente.

No momento em que todos o aconselhavam a deixar de ser Papa para cuidar de sua saúde, nos deu mais uma manifestação de sua força:  “um pai nunca abandona os seus filhos”. Amar é nunca deixar ninguém para trás.

Tantas palavras de sabedoria!  Diálogo, perdão, humildade. Tantos países tiveram o solo beijado, quantas crianças abraçadas, quantos sorrisos ficaram na lembrança. O Papa gostava da tecnologia, teatro, música, literatura, coalas, ciência e fé. Lutou bravamente defendendo a vida – não ao aborto, à guerra, à eutanásia, a tudo aquilo que tira a dignidade do ser humano… Era gente como a gente, passou por tantas dificuldades e não perdeu a fé, pelo contrário, a fé era a âncora que firmava o barquinho dele nas águas agitadas.

O Papa João Paulo II amou muito o nosso país e esteve aqui quatro vezes: três visitas oficiais (1980, 1991 e 1997) e uma escala enquanto seguia para a Argentina (1982).

Em 2013, o evento que balançava o coração dele, a Jornada Mundial da Juventude, será sediada pelo Brasil.  Que alegria para a nossa geração, quantos frutos espirituais iremos colher. É a juventude que se abre para evangelizar um mundo tão cansado e relativizado, no qual os valores se invertem. É a vitalidade brasileira mostrando o rosto jovem da Igreja e dizendo: “vale a pena ser de Deus”! 

E da sacada do Céu, um Papa acena e sorri diante dessa grande festa…

Imagem: rio2013.com

Um abraço fraterno,

Taís Salum – Equipe do Blog Dominus Vobiscum

Não se esqueça de clicar na imagem abaixo e votar!

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Jesus, o Caminho, a Verdade e a Vida

Continuamos o percurso, trazendo a história e mensagens das JMJ. Hoje recordamos a IV Jornada Mundial da Juventude, que ocorreu em Santiago de Compostela, na Espanha, em 1989; teve em média 400.000 participantes e seu lema foi “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,16).

Por ocasião da convocação deste evento, no Vaticano, em 27/11/1988, o saudoso Papa João Paulo II, grande amigo dos jovens, dirigiu-se a eles com esta belíssima e profunda reflexão, cujos trechos transcrevo aqui hoje.  A Palavra de Deus é viva e verdadeira, e mesmo com o passar dos anos permanece atual, é um grande dom de Deus!

“Queridíssimos jovens:

A juventude, por si só, é uma riqueza singular para cada rapaz ou moça (cf. Carta aos jovens, homens e mulheres do mundo, 31 de março de 1985, n. 3). Esta riqueza consiste, entre outras coisas, nas descobertas importantes dessa fase da vida . Cada um descobre a si mesmo, a sua própria personalidade, o sentido da sua existência, a realidade do bem e do mal. Vocês descobrem também, todos ao seu redor, o mundo dos homens e o mundo da natureza. E no meio de todas essas descobertas, não se pode perder descoberta pessoal fundamental de Jesus Cristo. Descobrir Cristo novamente e cada vez melhor, é a mais maravilhosa aventura de nossas vidas. Assim, por ocasião da celebração do próximo Dia Mundial da Juventude, gostaria de fazer a cada um de vocês algumas perguntas, e indicar as respostas:

― Vocês já descobriram a Cristo, que é o Caminho?

Sim, Jesus é – para nós, o caminho que leva ao Pai, o único caminho. Aquele que quiser alcançar a salvação deverá tomar esse caminho. Vocês, jovens, muitas vezes se encontram em uma encruzilhada, sem saber qual o caminho que devem escolher, ou para onde ir, pois muitos caminhos errados, bem como propostas fáceis e ambiguidades. Não se esqueçam, nesses momentos, que Cristo, com seu Evangelho, seu exemplo, seus mandamentos, é sempre o único caminho seguro, que leva a uma felicidade plena e duradoura.

― Vocês já descobriram a Cristo, que é a Verdade?

A Verdade é a exigência mais profunda do espírito humano. Os jovens, sobretudo, estão sedentos da verdade sobre Deus, o homem, a vida eo mundo. Na minha primeira Encíclica Redemptor Hominis, escrevi: “O homem que quiser se compreender completamente – não só de acordo com critérios e medidas parciais, às vezes superficiais e até mesmo ilusórias – deve, com a sua inquietude, incerteza e também sua fraqueza e pecaminosidade, com a sua vida e sua morte, aproximar-se de Cristo”(n. 10). Cristo é a palavra da verdade pronunciada pelo próprio Deus em resposta a todas as perguntas do coração humano. É Ele que revela plenamente o mistério do homem e do mundo.

― Vocês já descobriram a Cristo, que é a Vida?

Cada um de vocês deseja ardentemente viver a sua própria vida em toda a plenitude. Vocês vivem animados por grandes esperanças e ótimos projetos para o futuro. Não se esqueçam, porém, que a verdadeira plenitude da vida se encontra somente em Cristo, que morreu e ressuscitou por nós. Só Cristo pode preencher profundamente o espaço do coração humano. Só Ele dá o sentido e a alegria de viver, apesar dos limites e obstáculos externos. Sim, descobrir a Cristo é a aventura mais bela de toda a nossa vida. Mas não é o suficiente descobri-Lo somente uma vez. A cada vez que você O descobre, recebe um convite para procurá-Lo mais, e conhecê-Lo melhor através da oração, a participação nos sacramentos, meditação de Sua Palavra, a catequese e escuta dos ensinamentos da Igreja. Esta é nossa tarefa mais importante, como São Paulo escreveu: “Para mim o viver é Cristo” (Fl 1:21).

A redescoberta de Cristo – quando é autêntica – tem como consequência direta o desejo de levar os lemais para conhecer o compromisso apostólico. A ordem de Cristo se dirige a toda a Igreja: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16, 15). Toda a Igreja, portanto, é consequentemente, missionária e evangelizadora, e vive num constante estado de missão (cf. Ad Gentes, 2). Ser cristão quer dizer ser missionário e apóstolo (cf. Apostolicam actuositatem, 2). Não é o suficiente descobrir Cristo, devemos levá-Lo aos outros! O mundo atual é uma grande terra de missão, mesmo em países de antiga tradição cristã. Em todos os lugares, hoje, o neopaganismo eo processo de secularização constituem um grande desafio para à mensagem evangélica. Mas, ao mesmo tempo, também se apresentam – também em nossos dias – novas ocasiões para anunciar o Evangelho: se nota, por exemplo, uma crescente nostalgia do sagrado, dos verdadeiros valores autênticos, da oração. Por isso, o mundo de hoje tem necessidade de muitos apóstolos, sobretudo de apóstolos jovens e corajosos. Incumbo vocês, jovens – de maneira especial – de dar testemunho da fé, e comprometer-se a levar aos outros o Evangelho de Cristo, Caminho, Verdade e Vida, bem como construir uma nova civilização da justiça, amor e paz.

Cada nova geração precisa de novos apóstolos. É aqui que surge um missão especial para vocês. Vocês são os primeiros apóstolos e evangelizadores do mundo jovem, cercado de tantos desafios e ameaças (cf. Apostolicam actuositatem, 12). Antes de tudo vocês podem viver essa missão em seu ambiente de estudo, trabalho e recreação. Muitos de seus colegas não conhecem o Cristo, ou não O conhecem o suficiente. Portanto, vocês não podem permanecer calados e indiferentes. Vocês devem ter a coragem de falar sobre Cristo e dar testemunho de sua fé através de seu modo de vida inspirada no Evangelho. São Paulo escreve: “Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho” (1 Cor 9, 16). Certamente, a messe é grande e precisa de muitos trabalhadores. Cristo confia e conta com a colaboração de vocês. Cristo precisa de vocês! Respondam ao chamado com a alegria característica de sua idade!” (Retirado do site do Vaticano, tradução e adaptação de Taís Salum).

********

Fique ligado:

Imagem: rio2013.com

No dia 8 de setembro a Igreja também celebra a memória do Beato Frederico Ozanan, que é um dos intercessores da JMJ Rio 2013. Nascido em Milão, Itália, cresceu em um ambiente de profundo espírito de caridade, sobretudo pelo exemplo de seus pais. Apaixonado pelas questões existenciais e espirituais dedicou-se ao estudo da filosofia, de onde encontrou argumentos para sustentar o compromisso social dos católicos. Morreu em 1853, aos 40 anos, deixando o precioso legado das Conferências Vicentinas e a certeza de ter feito a vontade de Deus em sua vida.

Este é o modelo de apóstolo leigo, erudito, empenhado e dedicado ao serviço dos mais pobres, que a Igreja apresenta a todos os fiéis, mas sobretudo aos jovens, durante a Missa presidida por João Paulo II, no dia 22 de agosto de 1997, em Paris, na qual é beatificado Frederico Ozanam (Adaptado de JMJRio2013.com e site do Vaticano).

Beato Frederico Ozanam, rogai por nós!

********

E aí, como estão os preparativos para o maior evento católico para a juventude  que acontecerá em 2013? Acolhendo as palavras do Papa, você está disposto a dar testemunho da alegria do Ressuscitado para o mundo? Você sabia que alguns países do mundo, ainda hoje, existem católicos que sofrem perseguições religiosas fortíssimas e encontram forças para viver a fé?

Este vídeo que posto a seguir nos traz uma ideia desta realidade. Assista e motive-se mais para viver a Jornada!

Até a próxima!

Siga-nos e fique por dentro das novidades:

Estão abertas as inscrições para a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013!

Caros amigos, este post é para lembrar que o link para as inscrições para a Jornada já está no ar!

A inscrição é a porta de entrada para o peregrino. É por meio da inscrição que o jovem passa a fazer parte oficialmente da JMJ Rio2013. Através dela a comissão organizadora pode acolher e melhor atender as necessidades do peregrino (hospedagem, alimentação,transporte…), por isso a importância de se inscrever com antecedência.

Portanto, não perca tempo! Você, que é coordenador de grupo, acesse o site oficial e inscreva sua caravana: http://www.rio2013.com/pt/inscricao .

Lembrando: se você ainda não faz parte de nenhum grupo de peregrinos, procure o Setor Juventude de sua paróquia ou Diocese. Juntos somos mais, viver a experiência da JMJ em comunidade será inesquecível!

***

Vivendo a JMJ: dois movimentos, ir aos jovens e acolher os jovens que vêm…

(Por D. Raymundo Damasceno, Arcebispo de Aparecida)

“A Jornada está ligada à saudosa memória do Beato João Paulo II, que dedicava atenção privilegiada para a juventude e para sua evangelização. De fato, a sintonia existente entre esse grande Papa e os jovens impressionava o mundo. Basta-nos recordar como, nos últimos momentos de sua vida, os jovens lotaram a praça de São Pedro em vigília de oração. Ele, ouvindo as orações e as palavras que os jovens lhe diziam em coro, respondeu: “eu fui até os jovens, agora eles vêm até mim”. Baseando-nos nesse fato e nessas palavras, podemos penetrar no significado das JMJ. Nelas, a Igreja, como a Virgem Maria, se coloca em estado de missão para “ir até os jovens”. Em seguida, acolhe os jovens que “vêm” até ela para se “encontrar com Cristo”.

Esses dois movimentos, ir aos jovens e acolher os jovens que vêm, estão bem presentes na preparação para a 27ª Jornada, de cuja realização estamos apenas a um ano. O lema escolhido pelo Papa Bento XVI: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19), indica o movimento de ida até os jovens. O outro movimento está descrito em uma sessão do site criado pela Arquidiocese para a Jornada, ali se lê: “Cristo os espera de braços abertos”. Trata-se da vinda dos Jovens até Cristo e de seu acolhimento. Aí está a finalidade dessa extraordinária iniciativa!” (Retirado do site CN Notícias, em 28/07/12)

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

JMJ 1988 – “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5)

Caros amigos,

Continuamos a história da Jornada Mundial da Juventude, chegando ao ano de 1988. Desta vez, a celebração deste encontro foi em âmbito diocesano e a data escolhida, mais uma vez, foi o Domingo de Ramos (27/03/1988).  O Papa João Paulo II, filho queridíssimo de Nossa Senhora, havia proclamado que aquele seria o Ano Mariano, e com um carinho especial, decide apresentar a Santa Mãe de Deus aos jovens, meditando a passagem das Bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5).  Transcrevo abaixo um trecho da mensagem de convocação para essa Jornada.

****

MENSAGEM DO SANTO PADRE JOÃO PAULO II
PARA A III JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

«Fazei tudo o que Ele vos disser» (Jo 2,5)

Queridíssimos jovens:

Escutem Maria!

1. No final do segundo milênio da era cristã, num momento crítico da história do nosso mundo assolado por muitos problemas difíceis, o Ano Mariano constitui para todos nós, um presente especial. Neste ano, Maria se apresenta sob uma nova luz, como uma Mãe que tem o coração cheio de amor, terno sensível, e como uma educadora que nos precede no caminho da fé, indicando-nos o caminho da vida. Por isso, o Ano Mariano é um ano em que de modo especial, se escuta Maria. E neste Ano Mariano, é Maria a quem vocês escutarão na próxima Jornada Mundial: nesta vez, é Maria quem os convoca, jovens! Ela os chama porque tem muito a dizer-lhes.

Um profundo “SIM” ao Senhor:

2. O ponto central da JMJ, então, será Maria, Virgem e Mãe de Deus. O que nos dirá Maria, nossa Mãe e Mestra? No Evangelho encontramos uma frase em que Maria se manifesta realmente como Mestra. É a frase que pronunciou nas Bodas de Cana da Galileia. Depois de ter dito a seu Filho: “Eles não tem mais vinho”, ela disse aos serventes: “Fazei tudo o que Ele vos disser”.

E estas são as palavras que quis escolher como fio condutor da Jornada Mundial de 1988. Encerram uma mensagem muito importante, válida para os homens de todos os tempos. “Fazei tudo o que Ele vos disser” significa: escutem a Jesus, meu Filho; vivam segundo a Sua Palavra e confiem Nele. Aprendam a dizer “sim” ao Senhor em cada circunstância de suas vidas. É uma mensagem muito reconfortante, da qual todos temos necessidade.

“Fazei tudo o que Ele vos disser”. Nessas palavras, Maria expressa todo o segredo mais profundo de sua vida. Nestas palavras, Ela está por inteiro. Sua vida, na verdade, foi um “SIM” profundo ao Senhor. Um “SIM” cheio de alegria e confiança. Maria cheia de graça, Virgem Imaculada, viveu toda a sua existência completamente disponível a Deus, perfeitamente em acordo com Sua vontade, inclusive nos momentos mais difíceis, que culminaram no Monte Calvário, aos pés da Cruz. Nunca retirou o seu “SIM” porque tinha entregado toda a sua vida nas mãos de Deus: “Eis aqui a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo Sua Palavra” (Lc 1,38). À respeito, lembro-lhes o que destaca a Encíclica Redemptoris Mater: “Com efeito, na Anunciação, Maria se abandonou em Deus completamente, manifestando “a obediência da fé” a aquele que falava através de Seu mensageiro e prestando “homenagem do entendimento e da vontade”. Respondeu, portanto, com todo seu “eu” humano, feminino, e nesta resposta de fé continha uma cooperação perfeita com a graça de Deus que “precede e auxilia” e uma disponibilidade à ação do Espírito Santo que “aperfeiçoa constantemente a fé por meio de seus dons.” (Redemptoris Mater, n. 13).

“Fazei tudo o que Ele vos disser”. Essa pequena frase contém todo o programa de vida que Maria Mestra realizou como primeira discípula do Senhor e que nos ensina em nossos dias. É o programa de uma vida que se apóia num fundamento sólido que se chama Jesus.

Buscando o sentido da vida:

3. Podemos constatar que o mundo em que vivemos atravessa momentos de crises. Uma das mais perigosas é a perda do sentido da vida. Muitos dos nossos contemporâneos perderam o verdadeiro sentido da vida; procuram substitutos num consumismo desenfreado, em drogas, álcool e erotismo. Buscam a felicidade, mas o resultado dessa busca é uma profunda tristeza, um vazio e, muitas vezes, desespero.

Nesta situação, muitos jovens estão fazendo perguntas fundamentais: como viver minha vida de modo a não arruiná-la? Em qual alicerce devo construir a minha vida para que ela dê verdadeiramente certo? O que devo fazer para dar sentido à minha vida? Como devo me comportar nas situações complexas e difíceis que às vezes se vivem em família, na escola, na faculdade, no trabalho, com os amigos?… Estas são as perguntas, por vezes dramáticas, que certamente também hoje, muitos de vocês se fazem.

Vocês todos, com certeza, querem estabelecer suas vidas sobre alicerces sólidos, capazes de resistir às adversidades que não faltam: querem fundá-las sobre a Rocha. Então hoje, Maria, a Virgem de Nazaré, a humilde serva do Senhor, é quem nos mostra ao Seu Filho, dizendo: “Fazei tudo o que Ele vos disser”. Escutar Jesus, obedecer-lhe e aos Seus mandamentos, confiar Nele, este é o único programa de vida que nos leva a realização plena e à felicidade. Esta é a única fonte que dá um sentido profundo à nossa vida.

No ano passado, vocês meditaram as palavras de São João: “E nós conhecemos o amor que Deus nos tem e cremos Nele (I Jo 4,16). Neste ano, Maria nos explica, queridos jovens, o que significa crer e amar a Deus. A fé e o amor não se reduzem a palavras ou a sentimentos vagos. Crer e amar a Deus significa viver toda a vida com coerência, à luz do Evangelho. Crer e amar a Deus significa comprometer-se a fazer sempre o que Jesus nos diz nas Escrituras e o que nos ensina o Magistério da Igreja. E isto não é fácil. Sim! Muitas vezes, é necessária muita coragem para ir na contramão da moda ou mentalidade do mundo. Mas, repito, este é o único caminho para construir uma vida plena e bem sucedida. Isto é o que Maria nos ensina nas Bodas de Caná e esta é a mensagem que queremos aprofundar e acolher.

Queridíssimos jovens! Convido a todos a participar deste acontecimento tão importante. Venham e escutem a Mãe de Jesus, Mãe e Mestra de vocês!

Meditem sobre a vida de Maria:

4. Meditem sobre a vida de Maria. Meditem, sobretudo vocês, meninas! Para vocês, pois, a Virgem imaculada é um modelo sublime de mulher consciente de sua própria dignidade e de sua grande vocação. Meditem também vocês, rapazes! Escutem as palavras que Maria pronunciou em Caná da Galileia: “Fazei tudo o que Ele vos disser”. Tratem de construir suas vidas, desde o princípio, sobre o sólido alicerce que é Jesus. Desejo-lhes que a meditação sobre o mistério de Maria os leve à imitação de sua vida: aprendam com ela a escutar e a por em prática a Palavra de Deus (cf. Jo 2,5), aprendam com ela a permanecer perto do Senhor, ainda que isso possa custar-lhes muito. (cf. Jo 19,25).

Faço votos que a meditação sobre o mistério de Maria os leve também a rezar com confiança o Rosário. Tratem de descobrir a beleza do Rosário! Que esta oração os acompanhe em cada dia de suas vidas.

Termino agora esta mensagem saudando vocês de todo o coração, jovens de todo o mundo. Quero que saibam que lembro de cada um de vocês em minha oração.

Ao longo de todo o caminho de preparação espiritual que os levará a JMJ de 1988 e durante a sua celebração em suas Dioceses, os acompanhe minha bênção apostólica.

Vaticano, 13 de dezembro de 1987.

(Retirado do site do Vaticano, com adaptação e tradução de Taís Salum)

****

Notícias:

Atenção, pessoal: as inscrições para a JMJ Brasil Rio 2013 começarão em 28 de agosto!

Depois de lançar o Manual de Inscrições do Peregrino, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 dá mais um passo para garantir a participação dos jovens e organizar dos grupos. As inscrições serão abertas no próximo dia 28 de agosto. Segundo a diretora do Setor de Inscrições da JMJ Rio2013, Irmã Maria Shaiane Machado, será um dia significativo para a JMJ.

“A inscrição no portal oficial da JMJ Rio2013 representa uma pré-reserva. A confirmação da inscrição é o pagamento”, disse. “O peregrino já pode optar pelo seu pacote e a JMJ está se organizando para acolhê-lo”.

Desde o último dia 31 de julho, está disponível online o Manual de Inscrições de Peregrinos. Nele estão todas as orientações necessárias para preparar da melhor forma o grupo. As inscrições serão feitas em grupo por meio de um responsável (chamado de “responsável principal”). Além desse, haverá um “segundo responsável”. Para grupos mistos, preferencialmente um responsável masculino e um feminino. Os valores têm variações, tanto da modalidade dos pacotes (que poderão ou não incluir hospedagem e alimentação), quanto por classificação dos países. Para ajudar que peregrinos de países economicamente mais pobres possam participar das JMJs, eles são classificados nas classes A, B e C.

A classificação dos países e os tipos de pacotes definem os valores. Serão 21 tipos de pacotes com valores que variam de R$ 100,70 a R$ 577,60. Esses valores são válidos até 31 de janeiro de 2013, incluindo um desconto de 5%. Após esse período, as variações são de R$ 106,00 a R$ 608,00.

Os grupos deverão ter até 50 peregrinos, incluindo os responsáveis. Grupos maiores deverão ser divididos em subgrupos de até 50 pessoas, que poderão estar vinculados entre si por um grupo principal. A vinculação entre os grupos não garante que todos ficarão juntos. A hospedagem oferecida pelo COL será por região linguística. Também outros fatores podem ser decisórios, como por exemplo, a distância dos pagamentos entre os grupos.

As inscrições serão realizadas exclusivamente online, através do portal oficial da Jornada – http://www.rio2013.com. “Incentivamos a todos a fazerem inscrições em grupo, que podem ser formados nas paróquias, comunidades, movimentos católicos, escolas, universidades”, diz irmã Shaiane.

Os candidatos ao voluntariado que não forem selecionados deverão fazer a inscrição como peregrinos (Retirado do site oficial Rio2013.com).

Os símbolos da JMJ visitam Rondônia

Os jovens de Porto Velho em ritmo de festa acolheram os dois símbolos da Jornada Mundial da Juventude, que permaneceram na Roraima por três dias.

Ontem, domingo, dia 19, logo cedo, a Cruz e o Ícone deixaram Porto Velho e seguiram em carreata para Ariquemes, cidade que integra a arquidiocese. Ao longo do caminho, visitaram povoados, além de uma casa de recuperação de dependentes químicos. De Ariquemes, os Símbolos partiram para a Diocese de Guajará-Mirim, localizada na fronteira com a Bolívia, onde se encontram neste momento (Adaptado de Rádio Vaticana).

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Recordando as JMJs: 1987 – Nasce hoje a civilização do amanhã

Caros amigos,

Como vocês puderam acompanhar nos últimos posts, tenho procurado trazer a este blog não somente as notícias, mas também estes verdadeiros tesouros espirituais que a Igreja nos deu, ao longo de todas as Jornadas Mundiais da Juventude. Cada vez que leio as mensagens, fico ainda mais convencida de que continuam vivas e atuais; posso ver que realmente o Espírito Santo conduz a Santa Igreja Católica através da presença do Papa, o “Doce Cristo na Terra” (Cf. Santa Catarina de Sena).

Hoje recordo aqui a II Jornada Mundial da Juventude (11 a 12 de abril de 1987), a primeira fora de Roma, ocorrida em Buenos Aires, na Argentina, com o lema “Nós conhecemos o amor que Deus nos tem, pois cremos nele” (I Jo 4,16). Na ocasião, um milhão de pessoas participaram do evento.

No encerramento deste encontro, o saudoso Papa João Paulo II dirigiu-se aos jovens trazendo essa pregação maravilhosa sobre o amor de Deus que transcrevo abaixo. Confesso que quando li pela primeira vez, emocionei-me muito, enquanto a traduzia, meu coração transbordou de gratidão e alegria, por eu pertencer à Igreja e fazer parte desta história. Desejo que possam fazer a mesma experiência ao meditá-la…

Fraternalmente,

Taís Salum
Equipe do Blog Dominus Vobiscum

***

Queridos jovens de todo o mundo:

No fim de nosso encontro, volto a repetir, mais uma vez, o lema desta Jornada “E nós temos reconhecido o amor de Deus por nós, e nele acreditamos”. (I Jo 4,16)

Desejo que suas vidas tenham sido para sempre informadas com esta grande verdade: “Deus é Amor”. Uma verdade que foi revelada, mais do que com palavras, com atos. Um amor que renova o homem por dentro e o converte, de pecador e rebelde, em servo bom e fiel (cf. Mt 25,21). Uma realidade da qual vocês devem dar testemunho constante, pois “aquele que permanece no amor permanece em Deus e Deus permanece nele” (cf. I Jo 4,16). Permanecei em Deus, proclamando o seu amor, com fidelidade ao seu plano de salvação e a generosidade do serviço, com serenidade e fortaleza, com profundidade na oração e capacidade de renúncia, vida reta e a alegria da doação. Assim, vocês darão testemunho, não só com palavras, mas também com obras, que Deus é amor.

Vocês me perguntaram qual é o problema da humanidade que mais me preocupa. É exatamente este: pensar nos homens que ainda não conhecem a Cristo, que não descobriram a grande verdade do amor de Deus. Ver uma humanidade que se afasta do Senhor, que quer crescer fora de Deus ou até mesmo negar sua existência. Uma humanidade sem pai, e por consequência sem amor, órfã e desorientada, capaz de matar os que já não considera como irmãos e assim preparar a própria destruição e aniquilamento. Por isso, meus jovens, quero que estejam comprometidos hoje a ser apóstolos de uma nova evangelização para construir a civilização do amor.

“Nós amamos, porque ele nos amou primeiro” (I Jo 4,19): a medida de nosso amor não pode ser encontrada somente na fraca capacidade do coração humano; devemos amar com a medida do Coração de Cristo, caso contrário, não conseguiremos corresponder ao Seu amor. Anunciem, então, com empenho renovado, a fidelidade a Jesus Cristo, o “Redentor do homem”. Tenham em mente que quem ama ao Senhor com todas as suas forças, quem dedica a Deus o seu melhor trabalho, nada perde, ao contrário, tudo ganha, porque “seu amor é pleno em nós… e Ele nos deu o seu Espírito” (I Jo 4, 12-13), mas isso exige que sejamos “homens novos”.

Crer no amor de Deus não é uma tarefa fácil: requer doação pessoal, não ter a consciência egoísta ou coração indiferente, e sim torná-lo mais livre e mais fraterno. Livre de tantas escravidões, como os transtornos sexuais, as drogas, a violência, a ânsia do poder e do ter, que terminam por deixar os corações vazios e angustiados, impedindo o verdadeiro amor e a autêntica felicidade.

Abram generosamente o coração ao amor de Cristo, o único capaz de dar sentido pleno a toda nossa vida. Recomendo-lhes, com São Paulo, “que Cristo habite pela fé em seus corações e que sejam arraigados e fundados no amor. Assim terão condições para compreender com todos os santos qual é a largura e o comprimento e a altura e a profundidade e conhecer o amor de Cristo que excede a todo conhecimento, para que sejam plenificados com toda a plenitude de Deus” (cf. Ef 3, 17-19).

E, com o amor a Cristo, nos tornamos cheios de amor por todos os homens, pois “Se alguém disser: “Amo a Deus”, mas odeia o seu irmão, é um mentiroso: pois quem não ama seu irmão, a quem vê, a Deus, a quem não vê, não poderá amar.” (I Jo 4,20). Queridos jovens: acolham com gratidão o amor de Deus e o expressem numa verdadeira comunidade fraterna; estejam dispostos a entregar cotidianamente a vida para transformar a História. O mundo necessita hoje mais do que nunca, de sua alegria e do serviço, de suas vidas saudáveis e do trabalho, da fortaleza e da entrega de vocês, para a construção de uma nova sociedade, mais justa, mais fraterna, mais humana e mais cristã: a nova civilização do amor, que se desapega a serviço de todos os homens. Vocês construirão assim a civilização da vida e da verdade, da liberdade e a justiça, do amor, da reconciliação e da paz.

Vocês sabem o quanto me preocupa a paz do mundo e como tenho realizado com vocês, em diversas ocasiões, um itinerário evangélico da paz. Vocês sabem bem que a paz é um dom de Deus – Jesus Cristo é “nossa paz”! – , que temos que pedir com insistência.

Mas esta paz deve ser construída por todos, e isto exige, também, de todos nós, uma profunda conversão interior.

Por isso, queridos jovens, hoje desejo que vocês se comprometam novamente a ser “trabalhadores da paz”, pelos caminhos da justiça, da liberdade e o amor, enquanto nos aproximamos do terceiro milênio: vocês serão os principais construtores da sociedade, os primeiros responsáveis pela paz. Mas a concórdia social não se improvisa nem chega de fora: nasce dentro de um coração justo, livre, fraterno, pacificado e amoroso. Sejam pois, desde agora, junto com todos os homens, pacificadores. Unam seus corações e esforços para edificar a paz. Só assim, vivendo a experiência do amor de Deus e se esforçando para realizar a fraternidade evangélica, poderão ser os verdadeiros e felizes construtores da civilização do amor.

Que os acompanhe sempre a vossa Santa Mãe Maria, aquela que acreditou no amor de Deus e se entregou com fidelidade e alegria à sua Palavra. Sendo jovem e singela, Ela se abriu generosamente ao amor do Pai, recebeu em plenitude o Espírito e nos deu Jesus, o Salvador do mundo.

Queridos jovens, amigos, de novo repito: por intercessão de Nossa Senhora, sejam, em todos os momentos e circunstâncias de suas vidas – testemunhas do amor de Deus, semeadores da esperança e construtores da paz.

(Adaptado do site do Vaticano).

***

Você pode ouvir aqui o hino desta Jornada – Um nuevo sol (Gen Love):

Notícias da JMJ:

Arquidiocese de Aracaju realiza encontro nos dias 25 e 26 de agosto

O Setor Juventude da Arquidiocese de Aracaju, unido às dioceses de Estância e Propriá, convida todo o Sergipe para o primeiro grande encontro preparatório rumo à JMJ Rio2013. O evento acontecerá entre os dias 25 e 26 de agosto no Centro de Convenções de Sergipe e marcará a contagem regressiva para a realização da Jornada Mundial da Juventude.
O encontro terá entrada franca e contará celebrações eucarísticas, shows, palestras, catequeses, e a exposição dos pacotes de viagem para quem desejar ir para a JMJ Rio2013. Maiores informações, você encontra no site jovem da Arquidiocese de Aracaju: jovensplugados.org (Adaptado do site Jovens Conectados).

Famílias do Rio de Janeiro, façam a experiência do acolhimento!

As hospedagens de peregrinos e voluntários da JMJ Rio 2013 serão em casas de família, paróquias, escolas públicas e particulares, ginásios poliesportivos, centros comunitários e outros locais que sejam seguros e cobertos para que o peregrino possa ser alojado para pernoite. A diretora do Setor de Hospedagem da Jornada, irmã Graça Maria, trabalha com a meta de cadastrar 2 milhões de vagas. As inscrições podem ser feitas pelo site oficial http://www.rio2013.com/pt/familia (Adaptado de Radio Vaticana).

Anunciado o lançamento do Hino Oficial da JMJ Rio 2013

A “Festa da Aventura da Cruz” será o grande momento de apresentação do Hino oficial da JMJ Rio2013. O anúncio foi feito durante a 10ª Vigília dos Jovens Adoradores, no Santuário Nacional de Adoração Perpétua, Igreja de Sant’Ana, na noite do dia 10 de agosto.

O Padre Arnaldo Rodrigues, um dos diretores do Setor de Preparação Pastoral do Comitê Organizador Local (COL) da Jornada, convidou toda a juventude para o evento que acontecerá no próximo dia 14 de setembro, data em que a Igreja celebra a Exaltação da Santa Cruz. A “Festa da Aventura da Cruz” será na paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Santa Cruz, Rio de Janeiro, a partir de 20h.

A “Festa da Aventura da Cruz” vai contar com as apresentações de Adriana, Eliana Ribeiro, Walmir Alencar, Rosa de Saron, Olivia Ferreira e Frutos de Medjugorje. A missa será presidida pelo Núncio Apostólico do Brasil, Dom Giovanni d’Aniello.

“Reze conosco, caminhe conosco” – Esse foi o convite feito pelo bispo auxiliar do Rio, Dom Luiz Henrique da Silva Brito, que presidiu a missa que abriu a Vigília de ontem. Ele convocou os jovens a se inscreverem como voluntários da JMJ Rio2013.

Para o bispo, a Jornada também convoca os jovens a viver este ideal: “Devemos mostrar ao mundo que é possível viver a experiência transformadora. Somos felizes e queremos ser testemunhas para o mundo” (Adaptado do site Rio2013.com).

O percurso da Cruz da Juventude e do Ícone de Nossa Senhora

No mês de setembro, a Cruz dos Jovens e o Ícone de Nossa Senhora vão se embrenhar ainda mais pelos caminhos amazônicos. Depois de passar por Rondônia, Acre e pelo sul do Amazonas, os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) vão peregrinar pelas demais dioceses amazonenses e também na diocese que abrange todo o estado de Roraima, onde começará o trajeto.

Ao longo do mês, serão visitadas as nove dioceses do Regional Norte 1 da CNBB, que abrange quase todo o estado do Amazonas e o estado de Roraima. Todas essas dioceses são separadas por enormes distâncias. No dia 22 de setembro acontecerá a grande celebração Bote Fé em Manaus. A última diocese a ser visitada no regional será a de Parintins. De lá, os Símbolos da JMJ seguirão para o Regional Norte 2, que engloba o Pará e o Amapá (Adaptado do site Jovens Conectados).

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Recordando as primeiras JMJs

Caros amigos, neste ano em que nos preparamos para a Jornada Mundial da Juventude, somos convidados também a recordarmos a história e a mensagem das JMJs. Fazer memória enche-nos de fé ao recordarmos os feitos de Deus no nosso passado, enche-nos de amor como retribuição ao amor de Deus recordado, e enche-nos de esperança por todas as bênçãos que ainda estão por vir.

Como tudo começou…

Em 1984, foi celebrado na Praça São Pedro, no Vaticano, o Encontro Internacional da Juventude com o Papa João Paulo II, por ocasião do ano Santo da Redenção. Neste data, o Papa entregou aos jovens a Cruz que se tornaria um dos principais símbolos da JMJ, conhecida como Cruz da Jornada.

O ano de 1985 foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas. Em março houve outro encontro internacional de jovens no Vaticano e no mesmo ano o Papa anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude.

O hino “Resta qui con noi” – do Grupo Gen Rosso marcou esta época, trazendo-nos à memória do Caminho de Emaús (cf. Lc 24)

Voltamos então, ao ano de 1986, quando em 23 de março, Domingo de Ramos, o querido Beato João Paulo II, convocou a 1ª Jornada Mundial da Juventude, que foi realizada em Roma e teve como lema “Estejam sempre preparados para responder a qualquer que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês”(1Pd 3, 15).

Naquele domingo, durante a Oração do Angelus, o Papa fez esse belo pronunciamento que transcrevo abaixo:

Perto da cruz de Jesus estava sua Mãe… Jesus, então, vendo sua mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis o teu filho!”. Depois disse ao discípulo: “Eis a tua mãe!” E a partir dessa hora, o discípulo a recebeu em sua casa. (cf Jo 19,25-27)

Rezando, ao meio-dia “o Angelus”, voltamos a trazer diante dos olhos de nossas almas este acontecimento, este momento que pertence também ao mistério pascal de Jesus Cristo.

O Crucificado confia à sua Mãe o discípulo. É o discípulo “a quem Ele (Jesus) amava”, o mesmo que em outra ocasião demonstrou amor pelo jovem do Evangelho, depois de ter fixado nele o olhar (cf. Mc 10,21). O discípulo que ficou aos pés da cruz, o Evangelista João, escreve as palavras do testamento de Jesus.

Todos vocês, queridos jovens, discípulos de Cristo, foram confiados, junto com S. João, à Mãe do vosso Mestre: foram confiados a Ela na hora da redenção do mundo.

É necessário, pois, que vocês acolham Maria em suas jovens vidas, da mesma forma que o Apóstolo João a acolheu “em sua casa”. Permitam que ela seja a sua mãe. Abram diante dela os seus corações e suas consciências. Que Ela ajude vocês a encontrar sempre a Cristo, para “seguir-lhe” por cada um dos caminhos de suas vidas.

Quero recordar-lhes por ocasião desta oração do Ângelus que o ano de 1986, por iniciativa da ONU, é o Ano da Paz.

Desde o primeiro dia deste ano, a Igreja tem posto em relevo esta iniciativa, que manifesta os temores, mas também as esperanças, de toda a família humana.

Este ano, pois, é também o ano da oração pela paz e nesta oração queremos nos unir não só com todos os seguidores de Cristo, mas também com os que professam religiões não-cristãs em todo o mundo. Desta forma, foi dirigido o convite a todos os responsáveis das mesmas, e se elegeu um lugar, Assis, para um encontro de oração, no mês de outubro.

“A paz e os jovens caminham juntos”. Assim anunciava a mensagem do primeiro dia do ano de 1986. Peço, pois, ao Senhor que a oração pela paz conte de modo especial com a participação de vocês, jovens. Que deste modo cresça a grande força moral, neste mundo tão ameaçado pelos armamentos, ódio, terrorismo, violação dos direitos humanos, especialmente do direito à vida desde o momento da concepção até a morte.

Bem-aventurados pelos que trabalham pela paz!

Ao nos encontrarmos às portas da Semana Santa, junto com Maria aos pés da cruz de Cristo, abracemos com nossa oração os jovens de todo o mundo, a todos, especialmente os que sofrem.

Deus exaltou a Cristo, nascido da Virgem Maria, por meio da cruz. Na cruz de Cristo desejamos encontrar de novo a força de Deus e a sabedoria de Deus. Disso depende o futuro do homem e do mundo.

***

Para todos os presentes de língua portuguesa, vão igualmente as minhas saudações cordiais! Que a presença em Roma vos sirva para crescer na fé, caríssimos jovens, e para o encontro pessoal com Deus, em Jesus Cristo!
Desejo a todos, às vossas famílias e aos amigos jovens de seus países, graça, paz e alegria, no Senhor Ressuscitado!

(Retirado do site do Vaticano, tradução e adaptação por Taís)

É interessante lembrar o contexto histórico e político da época: o mundo dividido entre capitalismo e socialismo, ainda vivendo a corrida armamentista, muitos países do mundo sendo regidos por ditaduras, um mundo ferido e que ainda sofria as consequências da Segunda Guerra Mundial. Podemos dizer então que as preces do Papa e daqueles jovens foi largamente atendida nos anos seguintes, com a queda do Muro de Berlim (novembro de 1989), desmantelamento da União Soviética e queda do socialismo (dezembro de 1991) e tantas outras graças alcançadas… Rezemos para que a JMJ Rio 2013 possa render muitos frutos de fé e esperança!

Notícias da semana:

Comitê Organizador fala sobre a estrutura da JMJ Rio 2013

 A programação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) estará dividida em uma sequência de atos centrais, culturais e especiais. A agenda oficial, com horários, ainda não foi divulgada.

“Os atos centrais são a coluna dorsal da Jornada”, explicou o coordenador geral do Comitê Organizador Local (COL), monsenhor Joel Portella Amado. “Acontecem, em geral, com a participação do Papa”.

A primeira grande cerimônia da JMJ Rio2013 é a acolhida com o arcebispo local, Dom Orani João Tempesta, no primeiro dia do evento (23 de julho). O peregrino estará chegando e esse é o seu primeiro contato com a Jornada.
Abrindo a Jornada, ocorre a acolhida dos jovens pela Arquidiocese, na Praia de Copacabana.
Nos dias 24, 25 e 26 de julho, acontecem as catequeses. “É a parte que aprofunda o tema divulgado pelo Papa”, explica monsenhor Joel. “As catequeses são ministradas pelos bispos de vários países para atender todos os idiomas”. Os nomes desses bispos são indicados pelo Pontifício Conselho para os Leigos (que é o Comitê Organizador Central das Jornadas) e deverão ser divulgados 30 dias antes da JMJ.

Atos centrais – Ainda no dia 25, quinta-feira, é celebrada a cerimônia de acolhida do Sumo Pontífice. “Não é uma missa. É uma liturgia da palavra, um rito de acolhida em que a palavra de Deus é proclamada. O arcebispo dá uma saudação ao Papa, que falará para todos os jovens”.
No dia 26, sexta-feira, é realizada a Via-Sacra. “Trata-se de uma antiga tradição da igreja. A Via-Sacra ocorre porque a Jornada é um encontro com Cristo. Então, nos voltamos para o mistério máximo de Jesus que é a sua morte e ressureição”, explica o monsenhor.
O atos centrais do final de semana acontecerão na Base Aérea de Santa Cruz. No dia 27, sábado, é a vigília com o Papa, reunindo todos os peregrinos. No dia 28, domingo, será celebrada a Missa de Envio. “Atendendo o lema ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’, a missa envia os jovens. A Jornada não acabou. É um ponto de partida. O peregrino volta para casa, anuncia o Evangelho e até a próxima Jornada”, concluiu.

Atos especiais – Os atos especiais são aqueles que não fazem parte da Jornada, mas são característicos de cada uma. “Em Madri, o Papa visitou um hospital, a família real”, relembra o coordenador. “Aqui no Brasil, a agenda depende ainda de definição da Santa Sé, o que deve sair no final do ano” (Adaptado do site Rio2013.com, 03/08).

Visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré visitou nesta sexta-feira, 3, o Comitê Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro. A iniciativa faz parte das atividades do Círio de Nazaré que, teve início nessa quinta-feira, 2, com a chegada da imagem na Base Aérea do Galeão, na capital carioca.

Durante a visita, o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, jovens voluntários e visitantes rezaram diante da imagem, pedindo a Nossa Senhora que cuide da Jornada Mundial e ensine a todos a acolher os jovens, da mesma forma como em Belém, no Pará, são acolhidos mais de quatro milhões de pessoas, a cada ano, para o Círio de Nazaré (Adaptado de CN Notícias, 03/08).

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

Os Símbolos da JMJ e as notícias da semana

Durante o tempo de preparação para a JMJ, acontece a peregrinação da Cruz e do Ícone Mariano deste evento, reunindo milhares de jovens nas principais cidades do país. São momentos nos quais fazemos uma experiência forte de fé e de encontro com a alegria do Ressuscitado, além de podermos externar ao mundo a força de ser Igreja. Aqui no Brasil, a acolhida começou na cidade de S. Paulo/SP, em 18/09/2011, no Bote Fé.

O que são a cruz e o ícone Mariano da Jornada Mundial da Juventude?

Durante o Ano Santo, comemorativo dos 1950 anos da Redenção, proclamado de 25 de março de 1983 a 22 de abril de 1984, uma grande cruz de madeira, de 3,8m de altura, foi colocada ao lado do altar-mor da Basílica de São Pedro, em Roma. Este foi o principal símbolo do jubileu proclamado pelo Papa. Como milhares de jovens haviam acorrido à celebração do Domingo de Ramos, a 15 de abril de 1984, o Santo Padre decidiu entregar esta cruz à juventude do mundo. Ele concretizou este desejo no domingo seguinte – Páscoa da Ressurreição – a entregando aos jovens do Centro Juvenil de São Lourenço, em Roma. Nesse momento, suas palavras foram as seguintes:

“Meus queridos jovens, ao concluir este Ano Santo, vos confio o símbolo deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Levai-a pelo mundo afora como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciai a todos que só na morte e ressurreição de Cristo poderemos encontrar salvação e redenção” (Roma, 22 abril 1984).

O pedido do Papa foi cumprido! De Roma, a Cruz seguiu para Alemanha e França e, a pedido do Papa, cruzou o Muro de Berlim, indo até Praga (Tchecoslováquia). Em 1985, retornou a Roma para a celebração do Domingo de Ramos. Durante este ano, diversos encontros de jovens na Europa tiveram a Cruz Peregrina como símbolo. Em dezembro de 1985, ao ser anunciada a Primeira Jornada Mundial da Juventude, a ser realizada em 1986, a Cruz tornou-se seu principal símbolo e passou a acompanhar estes eventos.

O ícone de Nossa Senhora foi dado de presente aos jovens também pelo Bem Aventurado João Paulo II, em 2003, durante a Jornada Mundial da Juventude, com as seguintes palavras:

“Hoje eu confio a vocês o ícone de Maria. De agora em diante, ele vai acompanhar as Jornadas Mundiais da Juventude, junto com a Cruz. Contemplem sua Mãe! O ícone será um sinal da presença materna de Maria próxima aos jovens que são chamados, como o Apóstolo João, a acolhê-la em suas vidas”.

Desde então, este ícone – cópia fiel de um antiquíssimo ícone encontrado na Basílica de Santa Maria Maior – tem acompanhado a Cruz em suas peregrinações. (Artigo retirado do subsídio Caminhando para a JMJ 2013 – Adultos, das Edições CNBB)

Assista aqui alguns momentos do percurso dos símbolos pelas cidades brasileiras:

Acompanhe também o calendário oficial e não deixe de vivenciar este tempo forte de fé em sua Diocese:

Notícias da semana:

Corrida “Bote Fé na Vida”

No Rio de Janeiro, cidade-sede, cerca de sete mil pessoas participaram na manhã do dia 22 de julho, do Bote Fé na Vida – corrida e caminhada, realizado na praia de Copacabana.

Com um percurso de 3km, a corrida e caminhada começaram pontualmente às 9h com a bênção do arcebispo do Rio e presidente do Comitê Organizador Local (COL), Dom Orani Tempesta. Quem deu a largada da corrida foi o responsável pela Setor de Pré-Jornada, padre Jefferson Araújo.

“Estou achando muito bonito a adesão de tantas pessoas neste momento. Que todos possam voltar para suas paróquias e continuar os trabalhos de preparação da Jornada”, enfatizou Dom Orani.

“Pensamos em ambientalizar a sociedade à realidade da Jornada, que não se prende a um evento dentro de Igreja, mas que mexe com a cidade inteira, com o país e com o mundo inteiro. São peregrinos de todos os lugares que vem para o Rio. Para dentro da Igreja, é o fortalecimento também da Pastoral dos Esportes, que já existe em algumas paróquias, mas que tem que crescer mais ainda. O carioca tem essa energia, esse jeito próprio de ser feliz e a Pastoral dos Esportes é algo que encaixa perfeitamente o tema da espiritualidade e da qualidade de vida”, ressaltou padre Jefferson.

Entre os participantes, estavam crianças, acompanhada dos pais, jovens e também representantes da terceira idade, que nada deviam aos mais novos em alegria e disposição. Ao todo 120 Dioceses realizaram o Bote Fé na Vida (Adaptado do site Rio2013).

Encontro no Complexo do Maracanã marcará início da contagem regressiva JMJ Rio 2013

O Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio 2013 fará, entre os dias 27 e 29 de julho, o evento que marcará o início da contagem regressiva de um ano para a realização da Jornada. Realizado no Complexo do Maracanã, o encontro deverá receber um público de 50 mil pessoas.

O objetivo é apresentar os projetos para a JMJ Rio 2013. A programação acontecerá em dois locais simultâneos: Ginásio Maracanãzinho e Estádio de Atletismo Célio de Barros. Além de Celebrações Eucarísticas, haverá também um festival com a participação de grandes nomes da música católica e popular brasileira, apresentações culturais e ações sociais.

“Trata-se de um momento de preparação, oração e reflexões. Dadas as proporções do evento, será para nós uma experiência de ensaio que vai nos dar a noção de como devemos nos preparar”, disse o diretor executivo do Setor Voluntariado do COL, Pe. Ramon Nascimento da Silva. Os ingressos para participação no Ginásio do Maracanãzinho serão distribuídos nas paróquias da Arquidiocese do Rio de Janeiro e os eventos paralelos no Estádio de Atletismo Célio de Barros serão abertos ao público em geral. O evento terá streaming ao vivo pelo portal oficial da JMJ Rio2013: http://www.rio2013.com (Extraída de Rádio Vaticana).

Lançamento do Hino Oficial

É grande a expectativa dos jovens para o lançamento do hino oficial da JMJ Rio2013. Mas eles vão ter que esperar só mais um pouquinho. Segundo um dos responsáveis pelo Setor de Preparação Pastoral do Comitê Organizador Local (COL), padre Leandro Lênin, o hino, que estava previsto para ser divulgado no dia 27 de julho, tem uma nova data para o lançamento: dia 14 de setembro.“Nós estamos em um impasse positivo que vai nos ajudar, no momento da estreia do hino, a ter uma surpresa para todos. Foi-nos concedido pelo Pontifício Conselho um pouco mais de tempo para pensar neste assunto, exatamente porque nós temos pérolas nas mãos. Então, quanto mais se cultiva, mais elas brilham”, destacou.

Padre Leandro também ressaltou que foi escolhido o dia 14 de setembro porque é o dia da Exaltação da Santa Cruz, o que remete à própria cruz peregrina. “O bairro de Santa Cruz em 2012 completa 450 anos. O Brasil foi Terra de Santa Cruz. E nossa vigília vai ser na Base Aérea de Santa Cruz. Então, nós queremos dar um presente nesse estilo musical para a cidade, ou seja, lançar o hino nessa data é uma forma de celebrarmos juntos todos esses grandes eventos”, frisou (Adaptado do site rio2013.com).

Siga-nos e fique por dentro das novidades:
  

São Bento, modelo para os dias que correm

Naquele tempo, Pedro disse a Jesus: “Nós deixamos tudo e seguimos-te. Qual será a nossa recompensa?” Jesus respondeu-lhes: “Em verdade vos digo: No dia da regeneração de todas as coisas, quando o Filho do Homem se sentar no seu trono de glória, vós, que me seguistes, haveis de sentar-vos em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá por herança a vida eterna.” (S. Mateus 19,27-29)

Comentário ao Evangelho do dia feito por Papa Bento XVI

[Segundo a Regra de S. Bento], para ser capaz de decidir responsavelmente, também em cada mosteiro o Abade deve ser um homem que escuta “os conselhos dos irmãos” (Regra, 3, 2), porque “muitas vezes Deus revela a solução melhor a um irmão mais jovem” (Regra, 3, 3). Esta cláusula torna admiravelmente moderna uma Regra escrita há quase quinze séculos! Um homem de responsabilidades públicas, mesmo em pequenos âmbitos, deve ser sempre também um homem que sabe ouvir e aprender de quanto ouve. [A Regra de S. Bento] pode oferecer indicações úteis não só para os monges, mas também para todos os que procuram um guia no seu caminho rumo a Deus. Pela sua ponderação, a sua humanidade e o seu discernimento entre o essencial e o secundário na vida espiritual, ela tem mantido a sua capacidade iluminadora até hoje. Paulo VI, proclamando a 24 de Outubro de 1964 São Bento Padroeiro da Europa, pretendeu reconhecer a admirável obra realizada pelo Santo com a sua Regra para a formação da civilização e da cultura europeias. Hoje, a Europa, que acabou de sair de um século profundamente ferido por duas guerras mundiais, e depois pelo desmoronamento das grandes ideologias que se revelaram trágicas utopias, está em busca da própria identidade. Para criar uma unidade nova e duradoura, são sem dúvida importantes os instrumentos políticos, econômicos e jurídicos, mas é preciso também suscitar uma renovação ética e espiritual que se inspire nas raízes cristãs do Continente, porque de outra forma não se pode reconstruir a Europa. Sem esta linfa vital, o homem permanece exposto ao perigo de sucumbir à antiga tentação de querer remir-se sozinho, utopia que, de formas diferentes, causou na Europa do século XX, como revelou o Papa João Paulo II, “uma regressão sem precedentes na história atormentada da humanidade” (Insegnamenti, XIII/1, 1990, p. 58). Procurando o verdadeiro progresso, encaremos então, ainda hoje, a Regra de São Bento como uma luz para o nosso caminho. Esse grande monge permanece hoje um verdadeiro mestre em cuja escola podemos aprender a arte de viver o humanismo verdadeiro.

Siga-nos e fique por dentro das novidades: