Podcast: Como é a relação entre o homem e Deus?

É com muita alegria que anunciamos o retorno dos nossos podcasts! Logo abaixo você confere o primeiro deles e toda vez que você ver esta imagem, saiba que teremos um podcast novo ok?

Podcast: Como é a relação entre o homem e Deus?

No primeiro podcast tínhamos que falar de Deus!

No nosso primeiro podcast vamos falar da complexa história de amor entre Deus e o homem, um amor desigual e ao mesmo tempo tão bonito. E fica a pergunta: Quem é Deus para você afinal? Ficou curioso? Então clica no play abaixo. Não teve curiosidade? Clica assim mesmo! Vai que você gosta…

Baixe e ouça no seu celular, ou envie para os seus amigos!

Agora você pode baixar o podcast para escutar quando quiser ou para enviar para os seus amigos. E se você tiver uma webradio católica e quiser inserir este material na sua programação pode baixar e programação. Mas neste caso fica um pedido: Não edite o arquivo. Coloque o programa na íntegra ok?

:: Para baixar o programa clique aqui.

Dominus Vobiscum

Anúncios

Novena a São José em formato impresso e digital. Adquira hoje mesmo!

livro-São-José

No mês março disponibilizamos para vocês a Novena a São José. Durante nove dias percorremos um caminho espiritual acompanhado pelo Pai Nutrício de Jesus. E a pedido de alguns leitores do blog, disponibilizamos para todos vocês esta novena em formato impresso, para que você possa rezar em todos os lugares, presentar a alguém, ou quem sabe, criar um apostolado de São José ai na sua paróquia.

O livro contém uma breve introdução sobre a importância de São José na história de Jesus, na Igreja na vida dos católicos, além do roteiro para os nove dias de oração. Só lembrando que ao adquirir este livro, você ajuda este apostolado a manter os seus custos. Adquira agora mesmo clicando aqui.

São José, Valei-nos!

Santo Terço: Meditando e contemplando os Mistérios Gloriosos

work

Com muita alegria conseguir finalizar o quarto e último terço do projeto Rosário. Agora você pode rezar conosco os mistérios gloriosos. Este projeto foi pensado para ajudar católicos que ainda não tem o hábito de rezar o Santo Terço, a conhecer, rezar e experimentar os frutos desta santa devoção. Perceba que ao rezar este terço, eu coloquei em cada Ave-Maria da dezena um versículo bíblico referente ao mistério, para ajudá-lo na meditação. Você pode apenas ouvi-lo se quiser: rezando e meditando.

Como disse da outra vez, repito agora: Ser católico implica em ser mariano. E a oração do Santo Terço é fundamental. E agora podemos rezar juntos, pedindo a intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria.

Ps.: Peço desculpas a todos pela demora em publicar este Terço. Tive algumas dificuldades mas graças a Deus aos poucos estamos resolvendo tudo. 🙂

Pax Domini

banner-cecdesigner

Mistérios gozosos | mistérios dolorosos | mistérios luminosos
DESEJA REZAR OS OUTROS MISTÉRIOS juntos? CLIQUE AQUI!

Resiliência: uma armadura para os tempos atuais

bambu modelo de resiliência

No dia a dia estamos sempre expostos a diversas situações. Umas boas e outras nem tanto. Chamamos de resiliência a capacidade que temos para recuperar as forças diante das adversidades que a vida nos apresenta.

Esta qualidade é essencial para que possamos nos levantar, na hora que as situações inesperadas aparecem e nos dão uma rasteira. O mundo moderno apresenta um dos mais altos níveis de estresse já registrados na história da humanidade. A qualidade de vida de fato é melhor do que a 50 anos atrás, porém o que vemos ao nosso redor são pessoas que se sentem insatisfeitas e infelizes.

O homem moderno tem a tecnologia a seu favor, mas é menos preparado para controlar as emoções, o estresse, problemas financeiros, decepções, acontecimentos inesperados, tragédias ou perdas.

Para vencer luta diária que somos obrigados a travar, é preciso cultivar a resiliência.

Para começar, é preciso deixar claro que você não nasce com a resiliência. Não é um dom ou uma característica da sua personalidade. É algo que se conquista com o tempo, com luta e com força de vontade, e algo que depende sim da ajuda de Deus, mas fundamentalmente de cada um de nós.

Outra coisa que precisa ser dita: Quem é resiliente não é imune ao estresse, a dor ou as tragédias. O resiliente também chora. Porém quem tem a resiliência transcende a dor. Não para nela. É como o bambu que enverga mas não quebra.

Talvez você já tenha visto por ai a célebre frase do filme Rocky Balboa, onde Rocky ensina ao seu filho sobre resiliência:

frase-ninguem-vai-bater-mais-forte-do-que-a-vida-nao-importa-como-voce-vai-bater-e-sim-o-quanto-rocky-balboa-4090

E isso é para todo mundo! O fato de você ser cristão não vai te livrar sofrimento. Mas o fato de ser cristão pode te ajudar e muito a conseguir o que chamamos de resiliência. Pois quem crê em Cristo, crê por que tem fé, e quem tem fé, tem esperança. Quem conquista a resiliência, consegue uma incrível armadura para viver bem neste tempo.

Para se tornar resiliente o indivíduo precisa antes de tudo rever a vida e mudar de hábitos.

Santo Inácio de Loyola dizia que para cada vício, é preciso cultivar uma virtude. E para cultivar uma virtude é necessário reconhecer o vício e se decidir pela mudança.

E a primeira mudança para conseguir a resiliência é o amor próprio. É preciso antes de mais nada aprender a se amar, se valorizar, aprender a dizer não quando for necessário, e buscar sempre uma vida de oração.

Aliás, a vida de oração é um capítulo a parte, por que não basta rezar: é preciso fazer uma oração determinada. Ao invés de mostrar sua dor ao Senhor, peça o Espírito Santo que lhe fortaleça para superar a dor. Deus vê o desejo do seu coração em transcender e te abençoa.

Outro ponto que precisa ser observado é: Quem está ao meu redor me impulsiona a ser melhor, ou me enterra onde me encontro? Eu sempre digo que é preciso deixar que as pessoas se aproximem de nós, mas é essencial decidir quem deve permanecer ao nosso lado.

Acredite: Bons hábitos e a busca pelas virtudes te ajudarão a adquirir esta resiliência. E partir disso tua vida será muito diferente.

Pax Domini

banner-cecdesigner

Eu sou a luz do mundo

jesus-luz-do-mundo

Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: «Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida.» Os que estão em terreno pedregoso são aqueles que, ao ouvirem, acolhem a palavra com alegria, mas, como não têm raiz, acreditam por algum tempo e afastam-se quando chega a provação. A semente que caiu entre espinhos são aqueles que ouviram, mas, sob o peso dos cuidados, da riqueza e dos prazeres da vida, sentem-se sufocados e não chegam a amadurecer. A semente que caiu em boa terra são aqueles que ouviram a palavra com um coração nobre e generoso, a conservam e dão fruto pela sua perseverança». Mas, mesmo que Eu julgue, o meu julgamento é verdadeiro, porque não estou só, mas Eu e o Pai que me enviou. Na vossa Lei está escrito que o testemunho de duas pessoas é válido; sou Eu a dar testemunho a favor de mim, e também dá testemunho a meu favor o Pai que me enviou.» Perguntaram-lhe, então: «Onde está o teu Pai?» Jesus respondeu: «Não me conheceis a mim, nem ao meu Pai. Se me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai.» Jesus pronunciou estas palavras junto das caixas das ofertas, quando estava a ensinar no templo. E ninguém o prendeu, porque ainda não tinha chegado a sua hora. (João 8,12-20)

Confira o comentário do Padre Paulo Ricardo sobre este evangelho

Comentário de São Clemente de Alexandria (150-c. 215), teólogo «Stromata»

Quando Tu, Senhor Jesus, me conduzes à luz, e encontro a Deus graças a Ti, ou recebo de Ti o Pai, torno-me teu co-herdeiro (Rom 8,17), pois não Te envergonhaste de me ter por irmão (Heb 2,11). Acabemos portanto com o esquecimento da verdade, acabemos com a ignorância; e, tendo-se dissipado as trevas que nos envolvem como uma nuvem diante dos olhos, contemplemos o verdadeiro Deus, proclamando: «Salve, luz verdadeira»!».

A luz elevou-se, pois, sobre nós que estávamos mergulhados nas trevas e encerrados na sombra da morte (Lc 1,79), luz mais pura que o sol, e mais bela que esta vida cá de baixo. Esta luz é a vida eterna, e todos os que nela participam estão vivos. A noite evita a luz e, escondendo-se com medo, cede lugar ao dia do Senhor. A luz que não pode ser extinta espalhou-se por toda a Terra e o Ocidente juntou-se ao Oriente. É isto que significa a «nova criação». Com efeito, o sol da justiça (Mal 3,20), que ilumina todas as coisas, resplandece sobre toda a espécie humana, a exemplo de seu Pai, que faz nascer o sol sobre todos os homens (Mt 5,45) e os asperge com o orvalho da verdade.

Não nos fechemos a Palavra de Deus, como fizeram os fariseus

Rubens-Feast_of_Simon_the_Pharisee

Naquele tempo, alguns que tinham ouvido as palavras de Jesus diziam no meio da multidão: Jesus continuou: «Certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos denários e o outro cinquenta. Como não tinham com que pagar, perdoou a ambos. Qual deles ficará mais seu amigo?». Respondeu Simão: «Aquele __ suponho eu __ a quem mais perdoou». Disse-lhe Jesus: «Julgaste bem». E voltando-Se para a mulher, disse a Simão: «Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não Me deste água para os pés; mas ela banhou-Me os pés com as lágrimas e enxugou-os com os cabelos. Não Me deste o ósculo; mas ela, desde que entrei, não cessou de beijar-Me os pés. Não Me derramaste óleo na cabeça; mas ela ungiu-Me os pés com perfume. Por isso te digo: São-lhe perdoados os seus muitos pecados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama». Depois disse à mulher: «Os teus pecados estão perdoados». Então os convivas começaram a dizer entre si: «Quem é este homem, que até perdoa os pecados?». Mas Jesus disse à mulher: «A tua fé te salvou. Vai em paz». «Acaso a nossa Lei julga um homem sem antes o ter ouvido e saber o que ele faz?» Responderam-lhe: «Também tu és galileu? Investiga e verás que da Galileia nunca saiu nenhum profeta». E cada um voltou para sua casa. (João 7,40-53)

Confira o comentário do Padre Paulo Ricardo sobre este evangelho

Comentário de Beato Tito Brandsma (1881-1942), carmelita holandês, mártir Convite ao heroísmo na fé e no amor

Vivemos num mundo em que o próprio amor está condenado: chamam-lhe fraqueza, algo a superar. Há quem diga: «O amor não tem importância, o que temos de desenvolver é a força; que todos se tornem tão fortes quanto possível; e que o fraco pereça!» Dizem ainda que a religião cristã, com os seus sermões sobre o amor, é uma coisa do passado. […] Essas pessoas dirigem-se a nós com tais doutrinas e até encontram quem as adote com muito gosto. O amor é desconhecido: «O Amor não é amado» dizia São Francisco de Assis; e, séculos mais tarde em Florença, Santa Maria Madalena de Pazzi fazia soar os sinos do seu carmelo para que o mundo soubesse como o Amor é belo! Também eu gostaria de fazer soar os sinos para dizer ao mundo como é belo amar!

O neo-paganismo [do nazismo] pode repudiar o amor; mas a História ensina-nos que, apesar de tudo, venceremos esse neo-paganismo através do amor. Nós não abandonaremos o amor. O amor far-nos-á reconquistar os corações desses pagãos. A natureza é mais forte do que a filosofia. Ainda que uma filosofia condene e rejeite o amor e o apelide de fraqueza, o testemunho vivo do amor renovará sempre o seu poder para conquistar e cativar os corações dos homens.

Queres ser curado?

Ao contrário do que costuma fazer, Jesus hoje toma a iniciativa e, com olhar compassivo, pergunta Ele mesmo ao paralítico: “Queres ser curado?” Este episódio nos desperta para o fato de que Deus, inteiramente livre, tem os seus eleitos, chamados muitas vezes a realizar uma obra especial a favor de toda a Igreja.

Ao contrário do que costuma fazer, Jesus hoje toma a iniciativa e, com olhar compassivo, pergunta Ele mesmo ao paralítico: “Queres ser curado?” Este episódio nos desperta para o fato de que Deus, inteiramente livre, tem os seus eleitos, chamados muitas vezes a realizar uma obra especial a favor de toda a Igreja.

Naquele tempo, por ocasião de uma festa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém. Existe em Jerusalém, junto à porta das ovelhas, uma piscina, chamada, em hebraico, Betsatá, que tem cinco pórticos. e neles jaziam numerosos doentes, cegos, coxos e paralíticos. Estava ali também um homem, enfermo havia trinta e oito anos. Ao vê-lo deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, Jesus perguntou-lhe: «Queres ser curado?» O enfermo respondeu-Lhe: «Senhor, não tenho ninguém que me introduza na piscina, quando a água é agitada; enquanto eu vou, outro desce antes de mim». Disse-lhe Jesus: «Levanta-te, toma a tua enxerga e anda». No mesmo instante o homem ficou são, tomou a sua enxerga e começou a caminhar. Ora aquele dia era sábado. Diziam os judeus àquele que tinha sido curado: «Hoje é sábado: não podes levar a tua enxerga». Mas ele respondeu-lhes: «Aquele que me curou disse-me: ‘Toma a tua enxerga e anda’». Perguntaram-lhe então: «Quem é que te disse: ‘Toma a tua enxerga e anda’». Mas o homem que tinha sido curado não sabia quem era, porque Jesus tinha-Se afastado da multidão que estava naquele local. Mais tarde, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: «Agora estás são. Não voltes a pecar, para que não te suceda coisa pior». O homem foi então dizer aos judeus que era Jesus quem o tinha curado. Desde então os judeus começaram a perseguir Jesus, por fazer isto num dia de sábado . (João 5,1-16)

Confira o comentário do Padre Paulo Ricardo sobre este evangelho

Comentário de Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (norte de África), doutor da Igreja Sermão 124

Os milagres de Cristo são símbolos das diferentes circunstâncias da nossa salvação eterna […]; aquela piscina é o símbolo do dom precioso que nos faz o Verbo do Senhor. Em poucas palavras, aquela água é o povo judeu; os cinco pórticos são a Lei, escrita em cinco livros. Aquela água está, pois, rodeada por cinco pórticos tal como o povo estava rodeado pela Lei que o definia. A água que se agitava e se turvava é a Paixão do Salvador no meio desse povo. Quem descesse à água era curado, mas só um, para representar a unidade. Os que não podem suportar que se lhes fale da Paixão de Cristo são orgulhosos; não querem descer e não são curados. «O quê?», dizem esses homens altivos. «Acreditar que um Deus encarnou, que um Deus nasceu de uma mulher, que um Deus foi crucificado e flagelado, que foi coberto de chagas, que morreu e foi sepultado? Não, jamais acreditaria nessas humilhações de Deus: são indignas dele!»

Calai a cabeça e deixai falar o coração. As humilhações de Deus parecem indignas aos arrogantes e é por isso que eles estão tão afastados da cura. Guardai-vos, pois, desse orgulho; se desejais a vossa cura, aceitai descer. Teríeis razão para vos preocupardes se vos dissessem que Cristo tinha sofrido alguma mudança ao encarnar. Mas não. […] O vosso Deus mantém-Se como era, não receeis; Ele não morre e impede-vos de morrer. Sim, Ele permanece o que é; nasce de uma mulher, mas fá-lo segundo a carne. […] Foi como homem que Ele foi preso, amarrado, flagelado, coberto de ultrajes e, por fim, crucificado e morto. Porque vos aterrorizais? O Verbo do Senhor permanece eternamente. Quem repudia as humilhações de um Deus não quer ser curado da ferida mortal do seu orgulho.

Pela sua encarnação, nosso Senhor Jesus Cristo restituiu, pois, a esperança à nossa carne. Tomou para Si os frutos bem conhecidos desta terra: o nascimento e a morte. O nascimento e a morte são, com efeito, bens que a terra possuía em abundância; mas nela não havia ressurreição nem vida eterna. Ele colheu os frutos desgraçados desta terra ingrata e em troca deu-nos os bens do seu reino celestial.

rodape-blog

A fé precisa crescer. Mas como?

A fé é uma realidade em constante crescimento. Como uma semente que vai aos poucos germinando, também ela — dom de Deus — precisa passar por certas etapas de desenvolvimento. Quais são elas? Afinal, que caminho a nossa fé tem de percorrer até desabrochar e tornar-se a “maior de todas as hortaliças” (Mc 4, 32)? Assista à homilia desta 2.ª-feira e descubra a resposta!

A fé é uma realidade em constante crescimento. Como uma semente que vai aos poucos germinando, também ela — dom de Deus — precisa passar por certas etapas de desenvolvimento. Quais são elas? Afinal, que caminho a nossa fé tem de percorrer até desabrochar e tornar-se a “maior de todas as hortaliças” (Mc 4, 32)? Assista à homilia desta 2.ª-feira e descubra a resposta!

Naquele tempo, Jesus saiu da Samaria e foi para a Galileia. Ele próprio tinha declarado que um profeta nunca era apreciado na sua terra. Ao chegar à Galileia, foi recebido pelos galileus, porque tinham visto quanto Ele fizera em Jerusalém, por ocasião da festa, a que também eles tinham assistido. Jesus voltou novamente a Caná da Galileia, onde convertera a água em vinho. Havia em Cafarnaum um funcionário real cujo filho se encontrava doente. Quando ouviu dizer que Jesus viera da Judeia para a Galileia, foi ter com Ele e pediu-Lhe que descesse a curar o seu filho, que estava a morrer. Jesus disse-lhe: «Se não virdes sinais e prodígios, não acreditareis». O funcionário insistiu: «Senhor, desce, antes que meu filho morra». Jesus respondeu-lhe: «Vai, que o teu filho vive». O homem acreditou nas palavras que Jesus lhe tinha dito e pôs-se a caminho. Já ele descia, quando os servos vieram ao seu encontro e lhe disseram que o filho vivia. Perguntou-lhes então a que horas tinha melhorado. Eles responderam-lhe: «Foi ontem à uma da tarde que a febre o deixou». Então o pai verificou que àquela hora Jesus lhe tinha dito: «O teu filho vive». E acreditou, ele e todos os de sua casa. Foi este o segundo milagre que Jesus realizou, ao voltar da Judeia para a Galileia. (João 4,43-54)

Confira o comentário do Padre Paulo Ricardo sobre este evangelho

Comentário Balduíno de Ford (?-c. 1190), abade cisterciense, depois bispo Homília 6, sobre Heb 4, 12

«A palavra de Deus é viva, eficaz e mais afiada que uma espada de dois gumes» (Hb 4,12). Com estas palavras, o apóstolo mostra aos que procuram Cristo – Palavra, Força e Sabedoria de Deus – toda a força e toda a sabedoria que há na Palavra de Deus. No princípio, a Palavra estava junto do Pai, era eterna com Ele (Jo 1,1). Foi revelada a seu tempo aos apóstolos, anunciada por eles, e recebida humildemente na fé pelo povo crente.

Há, por conseguinte, uma Palavra no Pai, uma Palavra na boca dos apóstolos, e uma Palavra no coração dos crentes. A Palavra que está na boca dos apóstolos é a expressão da Palavra que está no Pai; é também expressão da Palavra que está no coração do homem. Quando se compreende a Palavra, ou quando se crê nela, ou quando se a ama, a Palavra que está no coração do homem converte-se em inteligência da Palavra, ou em fé na Palavra, ou em amor à Palavra. Quando estas três se reúnem num só coração, no mesmo instante compreende-se, crê-se e ama-se a Cristo, Palavra de Deus, Palavra do Pai […]. Cristo habita nessa pessoa pela fé e, por admirável condescendência, desce do coração do Pai ao coração do homem […].

A Palavra de Deus […] é viva: o Pai deu-lhe ter vida em si própria, como Ele tem a vida em Si mesmo (Jo 5,26). É por isso que ela não é apenas viva, mas é Vida, como está escrito: «Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida» (Jo 14,6). E, dado que é Vida, é viva para ser vivificante, porque «assim como o Pai ressuscita os mortos e os faz viver, também o Filho faz viver aqueles que quer» (Jo 5,21).

rodape-blog

Obs.: Hoje tem programa Dominus Vobiscum. Às 20h30 na webrádio Coração de Mãe e 21h30 aqui no Blog.  Esperamos por você!

Não matemos Jesus por inveja, invejando nossos irmãos

CN 26A

Deus concede a cada um de seus filhos aquilo que lhe convém. Sem injustiças nem igualitarismos, o Senhor nos faz diferentes para que, como membros de um só e mesmo Corpo Místico, aprendamos a depender e a precisar uns dos outros. Por isso, o cristão deve lutar contra os mais leves sinais de inveja, raiz dos piores males e pecados. Assista à homilia desta 6.ª-feira e descubras os tesouros do Evangelho de hoje!

Naquele tempo, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: «Ouvi outra parábola: Havia um proprietário que plantou uma vinha, cercou-a com uma sebe, cavou nela um lagar e levantou uma torre; depois arrendou-a a uns vinhateiros e partiu para longe. Quando chegou a época das colheitas, mandou os seus servos aos vinhateiros para receber os frutos. Os vinhateiros, porém, lançando mão dos servos, espancaram um, mataram outro e a outro apedrejaram-no. Tornou ele a mandar outros servos, em maior número que os primeiros, e eles trataram-nos do mesmo modo. Por fim mandou-lhes o seu próprio filho, pensando: ‘Irão respeitar o meu filho’. Mas os vinhateiros, ao verem o filho, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro; vamos matá-lo e ficaremos com a sua herança’. Agarraram-no, levaram-no para fora da vinha e mataram-no. Quando vier o dono da vinha, que fará àqueles vinhateiros?» Os príncipes dos sacerdotes e os anciãos do povo responderam-Lhe: «Mandará matar sem piedade esses malvados e arrendará a vinha a outros vinhateiros que lhe entreguem os frutos a seu tempo». Disse-lhes Jesus: «Nunca lestes na Escritura: ‘A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular; tudo isto veio do Senhor e é admirável aos nossos olhos’?  Por isso vos digo: Ser-vos-á tirado o reino de Deus e dado a um povo que produza os seus frutos». Ao ouvirem as parábolas de Jesus, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus compreenderam que falava deles e queriam prendê-l’O; mas tiveram medo do povo, que O considerava profeta. (Mateus 21,33-43.45-46)

CONFIRA O COMENTÁRIO DO PADRE PAULO RICARDO SOBRE ESTE EVANGELHO

Comentário Santo Ambrósio (c. 340-397), bispo de Milão, doutor da Igreja (Comentário sobre o Evangelho de São Lucas 9, 29-30)

A vinha é o nosso símbolo, porque o povo de Deus eleva-se acima da terra enraizado na cepa da vinha eterna (Jo 15,5). Fruto de um solo ingrato, a vinha pode desenvolver-se e florescer, ou revestir-se de verdura, ou assemelhar-se ao jugo amável da cruz, quando cresce e os seus braços estendidos são os sarmentos de uma videira fecunda. […] É, pois, com razão que chamamos vinha ao povo de Cristo, quer porque ele traça na testa o sinal da cruz (Ez 9,4), quer porque os frutos da vinha são recolhidos na última estação do ano, quer porque, tal como acontece aos ramos da videira, pobres e ricos, humildes e poderosos, servos e senhores, todos são, na Igreja, de uma igualdade completa. […]

Quando é ligada, a vinha endireita-se; se é podada, não é para a diminuir, mas para fazê-la crescer. E o mesmo se passa com o povo santo: quando é preso, liberta-se; quando é humilhado, eleva-se; quando é cortado, é uma coroa que lhe é dada. Melhor ainda: tal como o rebento que é retirado de uma árvore velha e enxertado noutra raiz, assim também este povo santo […] se desenvolve quando é alimentado na árvore da cruz […]. E o Espírito Santo, como que expandindo-Se nos sulcos de um terreno, derrama-Se sobre o nosso corpo, lavando tudo o que é imundo e limpando-nos os membros, para os dirigir para o céu.

O Vinhateiro tem por costume mondar esta vinha, ligá-la e apará-la (Jo 15,2). […] Ora inunda de sol os segredos do nosso corpo, ora os rega com a chuva. Ele gosta de mondar o terreno, para que os espinheiros não perturbem os rebentos; e vela para que as folhas não façam demasiada sombra […], privando de luz as virtudes e impedindo os frutos de amadurecer.

Sobre a Quaresma de São Miguel Arcanjo 2015

QSM-finall

Começa hoje a Quaresma (ou quarentena) de São Miguel Arcanjo. No ano passado rezamos junto com vocês os quarenta dias postando a cada dia as orações e recebemos inúmeros testemunhos deste tempo de graça. No entanto, este ano não poderei repetir este momento de oração que foi tão rico para mim e para minha esposa. E não é por falta de vontade!

Este ano devido a alguns compromissos profissionais (viajarei muito durante estes 40 dias), não poderei gravar os áudios e vídeos. Quem não sabe, a criação destes vídeos consome um tempo muito grande e hoje eu não consigo ter este tempo disponível. Como estarei na estrada vai ficar difícil. Mas como devoto de São Miguel Arcanjo, rezarei com a minha esposa todos os dias e ficarei feliz em saber que você está rezando também.

Se você deseja, baixe aqui o texto da quaresma. Estou disponibilizando aqui no blog todos os dias do ano passado. Assim você pode rezar conosco se assim quiser.

Deus te abençoe,
Dominus Vobiscum

Veja também:: Como fazer a preparação para a Quaresma de São Miguel? | 1º Dia | 2º Dia | 3º Dia | 4º Dia | 5º Dia | 6º Dia | 7º Dia | 8º Dia | 9º Dia | 10º Dia | 11º Dia | 12º Dia | 13º Dia | 14º Dia | 15º Dia | 16º Dia17º Dia | 18º Dia | 19º Dia | 20º Dia | 21º Dia | 22º Dia | 23º Dia | 24º Dia | 25º Dia | 26º Dia | 27º Dia | 28º Dia | 29º Dia | 30º Dia | 31º Dia | 32º Dia | 33º Dia | 34º Dia | 35º Dia | 36º Dia | 37º Dia | 38º Dia | 39º Dia | 40º Dia | 41º Dia | 43º Dia | 44º Dia | 45º Dia | 46º Dia